Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22389
Título: Belos panoramas, matizes imaginários: a cidade das províncias do norte na obra de Charles Landseer e William Burchell (1825-1830)
Autor(es): Moreira, Bárbara Gondim Lambert
Palavras-chave: Representações;Viajantes;Iconografia;Paisagem urbana
Data do documento: 30-Jan-2017
Citação: MOREIRA, Bárbara Gondim Lambert. Belos panoramas, matizes imaginários: a cidade das províncias do norte na obra de Charles Landseer e William Burchell (1825-1830). 2017. 270f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - Centro de Tecnologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.
Resumo: The representation of the Brazilian landscape of the early nineteenth century set up as an important issue for the construction of imagery identity of the empire; inserted in this iconographic corpus, there is the production of European travelers who, under the most distinctive insignia, reported to pen and ink, watercolors and inks, changes in the colony just heave the seat condition of the Portuguese Empire. This pictorial production helped in the construction of what is as Brazilian urban landscape of the nineteenth century, permeated the studies and has been consolidated and legitimized by historiography during the first half of the twentieth century. This thesis aims to analyze the iconographic representations of the urban landscape of the provinces of Pernambuco, Bahia and the Gão-Para held in the first quarter of the nineteenth century by two English travelers: William John Burchell and Charles Landseer. It is intended to observe the perspectives that open from reading the handlings of these images offer the glimpse of a different approach for interpreting the complex picture of the urban landscape of Brazilian towns and cities in the first half of the nineteenth century. Members of the Diplomatic English Mission, headed by Sir Charles Stuart, whose goal was the negotiation of the recognition by Portugal of the recent Brazilian Empire, were designed to depict and document the path on Brazilian soil of the entourage. The analysis was based on the literature review, focusing on questioning the iconographic material produced by Burchell and Landseer as a historiographical source on the subject and analysis of iconography selected through formal and interpretative reading. The iconographic material reveals historical transformations experienced by the society to which it belongs; however, there is more in this speech: works of art are not mirror, give us aspects of reality from stratagems: either shifting or blurring elements, now resizing aspects of the real. documentary character of investees from its production, the work of two travelers on urban landscapes of the provinces proved to be permeated by figurative schemes whose job adds layers of meaning still little explored.
metadata.dc.description.resumo: um importante tema para a construção da identidade imagética do Império; inserido neste corpus iconográfico, destaca-se a produção de viajantes europeus que, sob as mais distintas insígnias, relataram à bico de pena, aquarelas e tintas, as mudanças na colônia recém alçada à condição de sede do Império português. Esta produção pictórica auxiliou na construção do que se convencionou como paisagem urbana brasileira do Oitocentos, permeou pelos estudos e foi consolidada e legitimada pela historiografia ao longo da primeira metade do século XX. Esta dissertação propõe analisar as representações iconográficas da paisagem urbana das províncias de Pernambuco, da Bahia e do Grão-Pará realizadas no primeiro quartel do século XIX por dois viajantes ingleses: William John Burchell e Charles Landseer. Pretende-se observar nas perspectivas que se abrem a partir da leitura que os manuseios dessas imagens oferecem, o vislumbre de uma via de acesso distinta para interpretar o complexo quadro da paisagem urbana das vilas e cidades brasileiras da primeira metade do século XIX. Membros da Missão Diplomática Inglesa, chefiada por Sir Charles Stuart e cujo objetivo era a negociação do reconhecimento por parte de Portugal do recente império brasileiro, foram designados a retratar e documentar o trajeto em solo brasileiro da comitiva. A análise fundamentou-se na revisão bibliográfica, com enfoque na problematização do material iconográfico produzido por Burchell e Landseer como fonte historiográfica sobre o assunto e na análise da iconografia elencada por meio de sua leitura formal e interpretativa. O material iconográfico revela transformações históricas vividas pela sociedade ao qual pertence; contudo, há mais neste discurso: obras de arte não são espelho, nos transmitem aspectos da realidade a partir de estratagemas: ora deslocando ou desfocando elementos, ora redimensionando aspectos do real. Investidas de caráter documental desde a sua produção, a obra dos dois viajantes relativas às paisagens urbanas das províncias mostrou-se permeada por esquemas figurativos, cujo emprego adiciona camadas de significação ainda pouco exploradas.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22389
Aparece nas coleções:PPGAU - Mestrado em Arquitetura e Urbanismo

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
BarbaraGondimLambertMoreira_DISSERT.pdf13,01 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.