Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22464
Título: A formação de um grupo de hipertensos para o autocuidado: uma pesquisa-ação
Autor(es): Maia, Joel Dácio de Souza
Palavras-chave: Hipertensão arterial sistêmica;Trabalho com grupo;Autocuidado;Educação popular em saúde;Qualidade de vida;Estratégia de saúde da família
Data do documento: 12-Ago-2016
Citação: MAIA, Joel Dácio de Souza. A formação de um grupo de hipertensos para o autocuidado: uma pesquisa-ação. 2016. 118f. Dissertação (Mestrado Profissional em Saúde da Família) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Resumo: Throughout the world the lifestyle of people have changed drastically in the last decades, especially in developing countries like Brazil. These changes brought new ways of getting ill, among these illnesses stand above chronic and degenerative diseases. One of the illnesses of most incidence in contemporary society is hypertension, including in Brazil, which is in high prevalence and is of a great risk to diseases in the circulatory system. Brazil's Family Health Strategy is prioritizing the cope of this pathology and it needs sustainable actions in this matter. Considering this, it turned out to have a great value to develop a study in order to find out the perception of a team of the Family Health Strategy regarding the formation of groups, concept and importance of self-care and Popular Health Education. Promoting from that the formation of a group of self-care to users carriers of hypertension under the light of the Popular Health Education. As data collection instrument an interview was performed in order to acknowledge the perception of such professionals regarding the subject approached. To collect other kinds of information we used a field journal. The data analysis was based on Bardin's content analysis. At the end of the study, we were able to observe that the workers of the chosen team have a limited perception of health education, understanding it as only a way of preventing diseases and as a way of educate and inform the population. They do not understand the model proposed by the Popular Health Education. The practices currently developed by the team are basically lectures performed in the community without schedule, not even following a regular basis. Problems such as only part of the team developing the actions of health education, some professionals not willing to be part of such practices and a very tight or incompatible schedule are some of the existing hinders found in the reality studied. The workers of the team studied presented some experience working with user groups. They have good expectations of which positive results a group of hypertensive patients may bring, however, most of them do not know the importance of self-care to those patients. It was necessary to develop workshops to the discussion of such subjects with this team. These workshops made possible the confirmation of the results of this research. It was possible to observe that the whole team needs a better involvement in health education activities, a proper schedule, and an ongoing education to the discussion of this and other important subjects. After these workshops, the team decided to organize an experimental action following the models of Popular Health Education to the hypertensive patients in their area, showing excellent results locally. We believe this was a seed to the formation of a group of hypertensive patients in order to develop self-care guided by the Popular Health Education, as well as the start of changes in the educational practices developed by the team studied.
metadata.dc.description.resumo: Os modos de viver das pessoas mudaram consideravelmente nas últimas décadas, em todo o mundo, sobretudo em países em desenvolvimento como o Brasil. Essas mudanças trouxeram novas formas de adoecer, com destaque para as doenças crônicas e as degenerativas. Uma das doenças crônicas que mais acomete as sociedades contemporâneas, inclusive a brasileira, é a hipertensão arterial sistêmica, que tem alta prevalência e se configura como um grande risco para doenças do sistema circulatório. A Estratégia de Saúde da Família está na primeira linha de enfrentamento dessa patologia e necessita de ações que tenham sustentabilidade nessa empreitada. Por essa razão, consideramos importante desenvolver um estudo para detectar a percepção de uma equipe da Estratégia de Saúde da Família acerca da formação de grupos, do conceito e da importância do autocuidado e da Educação Popular em Saúde, para, a partir de então, formar um grupo de autocuidado para usuários portadores de hipertensão arterial à luz da Educação Popular em Saúde. Os instrumentos empregados para a coleta dos dados foram uma entrevista com os profissionais da Estratégia Saúde da Família para conhecer sua percepção a respeito do tema foco da pesquisa, e um diário de campo, para captar outras informações. A análise dos dados coletados foi feita com base na Análise de Conteúdo proposta por Bardin. No final do estudo, concluímos que os trabalhadores que compõem a equipe estudada tinham uma percepção limitada de educação em saúde, que a entendem basicamente como forma de prevenir doenças, como uma forma de educar e informar a população e desconhecem o modelo proposto pela Educação Popular em Saúde. As práticas desenvolvidas pela equipe eram basicamente palestras proferidas na comunidade sem cronograma ou regularidade. Problemas como apenas parte da equipe desenvolvendo as ações de educação em saúde, falta de adesão de alguns profissionais a essas práticas e calendários de atendimento muito apertados e incompatíveis foram alguns dos entraves que constatamos na realidade pesquisada. Os trabalhadores da equipe têm alguma experiência com o trabalho com grupos de usuários e boas expectativas quanto aos resultados que um grupo de usuários portadores de hipertensão arterial pode trazer, porém a maioria não sabe o quanto é importante o autocuidado para essas pessoas. Para discutir sobre esse tema com a equipe, ministramos oficinas, por meio das quais pudemos confirmar esses resultados e concluir que a equipe precisa se engajar nas atividades de educação em saúde e ter uma agenda de trabalho para que esses momentos sejam respeitados, além de mais espaços para discutir sobre esses e outros temas. Depois das oficinas de capacitação, a equipe optou por organizar uma ação experimental seguindo os moldes da Educação Popular em Saúde pela equipe para os hipertensos da área de abrangência, a qual trouxe excelentes resultados e sustentabilidade no âmbito local. Acreditamos que essa foi a semente plantada para fundar o grupo de hipertensos, com vistas ao autocuidado, guiado pela Educação Popular em Saúde, e o início da mudança das práticas de educação desenvolvidas pela referida equipe.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22464
Aparece nas coleções:PPGSFN - Mestrado em Saúde da Família no Nordeste

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
JoelDacioDeSouzaMaia_DISSERT.pdf2,47 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.