Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22678
Título: Um bonde chamado saudade: memória e historiografia na prosa de Augusto Frederico Schmidt
Autor(es): Caldas Neto, Paulo de Macedo
Palavras-chave: Augusto Frederico Schmidt;Memorialismo;Historiografia;Narrativa;História brasileira
Data do documento: 9-Dez-2016
Citação: CALDAS NETO, Paulo de Macedo. Um bonde chamado saudade: memória e historiografia na prosa de Augusto Frederico Schmidt. 2016. 221f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Resumo: The approach of literary discourse and its relations with the historical speech starts from an inquiry focused on the understanding of memory and the subject.This, as a psychosocial being, endowed with the capacity to perceive and remember something meaningful, will contribute to the formation of his own memory. This will be filled by the memories of social groups of which the subject was part, instituting what is called collective memory. Afterwards, a reflection on the historical discourse will take place, with Historiography, a branch of the Philosophy of History responsible for the appreciation of the facts that marked a society, as a basis for the literary analysis of the object of study in question – the Prose of memories of Augusto Frederico Schmidt. This work has as its primary focus the understanding of the foundations of individual memory I in memorialistic reports White Rooster, Forests and other published texts, in prose category, the writer and businessman Augusto Frederico Schmidt. Known for its intense political activity in the Government JK, the ides of 50 and 60 in Brazil, we will come across a worried man with the record of his life and the existing connections between his artistic and biographical work and the events of an era. Some of Schmidtian texts resemble chronic, because they were published in newspapers and have the brevity, lyricism, poetry of the moment, although follow beyond circumstantial record, reaching the structure of a long and full of autobiographical narrative points. This research points out to the boundaries between memorialistic, historiographical and autobiographical texts, especially when we establish theoretical and analytical links to the aesthetic explanation of literary works in question. All psychomotor mechanism of memory, component for activation of memory, has been highlighted. Then, we approach the way in which it presents the historical discourse within the actual narratives of Schmidt and the connection of representation between memory and history within the prose.
metadata.dc.description.resumo: A abordagem do discurso literário e das suas relações com o discurso histórico parte de uma indagação voltada ao entendimento da memória e do sujeito. Este, enquanto ser psicossocial, dotado da capacidade de perceber e de lembrar algo significativo, irá contribuir para a formação de sua própria memória. Esta acabará sendo preenchida pelas lembranças de grupos sociais de que fez parte o sujeito, instituindo o que se chama de memória coletiva. Em seguida, produzir-se-á uma reflexão sobre o discurso histórico, tendo-se a Historiografia, vertente da Filosofia da História responsável pela apreciação dos fatos que marcaram uma sociedade, como base para a análise literária do objeto de estudo em questão – a prosa de memórias de Augusto Frederico Schmidt. Este trabalho tem como primeiro foco a compreensão dos alicerces da memória individual do eu nos relatos memorialísticos de O Galo Branco, As florestas e outros textos publicados, na categoria prosa, pelo escritor e homem de negócios Augusto Frederico Schmidt. Conhecido por sua intensa atuação política no Governo JK, nos idos de 50 e 60 no Brasil, vamos nos deparar com um sujeito preocupado com o registro de sua vida e com as correspondências existentes entre a sua obra artístico-biográfica e os acontecimentos de uma época. Alguns dos textos schmidtianos lembram crônicas, porque foram editados em jornais e possuem a brevidade, o lirismo, a poesia do momento, muito embora sigam além do registro circunstancial, alcançando a estrutura de uma narrativa longa e cheia de pontos autobiográficos. Tivemos a preocupação aqui de apontar as fronteiras entre o memorialístico, o historiográfico e o autobiográfico, principalmente ao estabelecermos ligações teóricas e analíticas para a explicação estética das obras literárias em questão. Todo o mecanismo psicomotor da lembrança, componente para a ativação da memória, foi destacado. A seguir, abordamos a maneira pela qual se apresenta o discurso histórico no interior das narrativas reais de Schmidt e a representatividade da conexão entre a memória e a história no interior da prosa.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22678
Aparece nas coleções:PPGEL - Doutorado em Estudos da Linguagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
PauloDeMacedoCaldasNeto_TESE.pdf1,58 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.