Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22696
Título: Da análise sistêmica à Serra de Martins: contribuição teórico-metodológica aos brejos de altitude
Autor(es): Medeiros, Jacimária Fonseca de
Palavras-chave: Sistema ambiental;Análise sistêmica;Brejo de altitude;Serra de Martins
Data do documento: 16-Dez-2016
Citação: MEDEIROS, Jacimária Fonseca de. Da análise sistêmica à Serra de Martins: contribuição teórico-metodológica aos brejos de altitude. 2016. 219f. Tese (Doutorado em Geografia) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Resumo: Environmental systems must be understood as complex formed by its own elements (e.g., rocks, landform, soil, water bodies and land cover) and their processes and interactions, constantly driven by matter and energy flows. Thus, the present investigation used systemic metodologies aiming to identify and delimit the geoenvironmental units present at the Serra de Martins. This investigation is composed of six chapters, where at the first chapter it was established theoretical discussions of concepts designed in the light of systemic analysis, highlighting the theoretical and methodological evolution of the geosystemic theory. Furthermore, this chapter draw a discussion of the Brejo Forest at the Brazilian Northeast region. At the second chapter, it was characterized the climatic traits of the Serra de Martins region aiming to compare and differentiate it from the surrounding regions. For achieving that, it was used the the last 30 years historical series of the temperature and precipitation at the counties of Antônio Martins and Martins. These data provide support to a posteriori water balance analysis. As a result, it was established that the Serra de Martins exhibits climatic characteristics influenced by altitude. In the third chapter, it was characterized the geological and geomorphological aspects of the study area, based on a survey of secondary data, cartographic and field works. It allowed the observation that the Serra de Martins is built on crystalline soils of various lithologies with the occurrence of concentrated sediment capping the flat areas of the Chapada. It was further concluded that the landforms present in the area are subject to different lithostratigraphic units and are classified in denudational and agradacionais units. The fourth chapter provides a characterization of the study area soils, which was based on the physical and chemical analysis of samples collected in 20 points. Furthermore, clustering statistical analysis was used in order to provide the soil groups. Thus, the discussion of the results has established the pedological compartmentalization of the study area into three groups: Lownlands area, Slopes and Plateau. In the fifth chapter it was based how is the soil occupation at the Serra de Martins region, were the following land cover classes were identified: Semideciduous Seasonal Forest, Savannah-Estépica Forested, Savannah-Estépica Tree, Permanent Agriculture, Temporary Agriculture, Bare Soil, Urban area and water bodies. The above chapters were of fundamental importance to the development of the last chapter where geoenvironmental compartmentalization of the area was attempted and anchored in multivariate data analysis. Thus, in the study area, the following environmental units have been identified: facies 1: recessed surfaces Relief Plan Gentle Undulating in the Crystalline Basement with Savannah-Estépica Tree on Luvisols; facies 2: Lowered Surface Busy relief in the Crystalline Basement with savannah-Estépica Tree on Acrisols Red Yellow Eutrophic; facies 3: Escarpment Serranas of Busy relief in the Crystalline Basement with savannah-Estépica Forest on Leptosols; facies 4: Tabular Surfaces Plan Relief in Basement Sedimentary with semideciduous forest on Ferralsols Yellow Dystrophic; facies 5: Escarpment Serranas with relief Gentle Undulating in the Crystalline Basement with Savannah-Estépica Forested in Leptosols; facies 6: Escarpment Erosive of Busy relief in the Crystalline Basement and Sedimentary Cover with semideciduous forest on Ferralsols Yellow Dystrophic. Thus, based on the perspective of Brejo Forest and taking in consideration the constituent elements and their interactions, it was possible to identify the facies 4 of the Serra de Martins must be understood and termed as Chapada de Martins Altitude Swamps.
metadata.dc.description.resumo: Os sistemas ambientais devem ser entendidos sob a ótica de um todo complexo formado por partes (rochas, formas de relevo, solo, água e cobertura da terra) e carregados de processos e interações entre os elementos, movidos pelos constantes fluxos de matéria e energia. Nessa perspectiva, esta pesquisa objetiva analisar a Serra de Martins a partir de uma metodologia sistêmica com vistas à delimitação de Unidades Geoambientais. O primeiro capítulo aborda uma discussão teórica acerca dos conceitos concebidos à luz da análise sistêmica, destacando-se a evolução teórico-metodológica da Teoria Geossistêmica. Além disso, foi traçada uma discussão acerca dos Brejos de Altitude do Nordeste brasileiro. O segundo capítulo objetivou uma caracterização climática da Serra de Martins, buscando diferenciar este maciço das regiões do entorno. Para tanto foram utilizados dados climáticos (temperatura e precipitação) de uma série histórica de 30 anos para os municípios de Antônio Martins e Martins, os quais subsidiaram a posteriori, o balanço hídrico da área. Como resultado, afere-se que a Serra de Martins apresenta particularidades climáticas influenciadas pela altitude. O terceiro capítulo se pautou na caracterização dos aspectos geológicos e geomorfológicos da área de estudo, baseando-se em levantamento de dados secundários, elaboração cartográfica e trabalhos de campo. Com efeito, destaca-se que a Serra de Martins está erguida sobre terrenos cristalinos de diversas litologias com a ocorrência de capeamento sedimentar concentrado nas áreas planas da Chapada. Concluiu-se ainda, que as formas de relevo presentes na área estão condicionadas às diferentes Unidades Litoestratigráficas e se classificam em unidades denudacionais e unidades agradacionais. O quarto capítulo traz uma caracterização dos solos da área de estudo, a partir de análises física e química de amostras coletadas em 20 pontos. Posteriormente, os dados foram submetidos à técnicas estatísticas de agrupamento de dados. Assim, a discussão dos resultados se estabeleceu numa perspectiva físico-química, e as diferenças encontradas propiciaram a compartimentação pedológica da área de estudo em três grupos, Depressão, Encostas e Chapada. O quinto capítulo se pautou na discussão de como a Serra de Martins está ocupada, sendo identificadas na área as seguintes classes de cobertura da terra: Floresta Estacional Semidecidual, Savana-Estépica Florestada, Savana-Estépica Arborizada, Agricultura Permanente, Agricultura Temporária, Solo Exposto, Área urbana e Corpos D’água. Os capítulos acima mencionados foram de fundamental importância para o desenvolvimento do último capítulo que intencionou a compartimentação geoambiental da área de estudo ancorada na análise multivariada de dados. Deste modo, na área de estudo foram identificadas as seguintes Unidades Geoambientais, sendo, fácie 1: Superfícies Rebaixadas de Relevo Plano a Suave Ondulado em Embasamento Cristalino com Savana-Estépica Arborizada sobre Luvissolos, fácie 2: Superfícies Rebaixadas de Relevo Movimentado em Embasamento Cristalino com Savana-Estépica Arborizada sobre Argissolos Vermelho-Amarelo Eutrófico, fácie 3: Escarpas Serranas de Relevo Movimentado em Embasamento Cristalino com Savana-Estépica Floresta sobre Neossolos Litólicos, fácie 4: Superfícies Tabulares com Relevo Plano em Capeamento Sedimentar com Floresta Estacional Semidecidual sobre Latossolos Amarelo Distróficos, fácie 5: Escarpas Serranas com Relevo Suave Ondulado em Embasamento Cristalino com Savana-Estépica Florestada em Neossolos Litólicos e fácie 6: Escarpas Erosivas de Relevo Movimentado em Embasamento Cristalino e Capeamento Sedimentar com Floresta Estacional Semidecidual sobre Latossolos Amarelo Distróficos. A partir dos elementos constituintes e interações entre estes, foi possível identificar que a fácie 4, deve ser entendida sob a luz dos Brejos de Altitude, denominada Brejo de Altitude Chapada de Martins.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22696
Aparece nas coleções:PPGe - Doutorado em Geografia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
JacimariaFonsecaDeMedeiros_TESE.pdf11,5 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.