Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22723
Título: Avaliação dos tecidos periimplantares em pacientes reabilitados com sobredentaduras e próteses fixas implantossuportadas
Autor(es): Farias, Danielle Bezerra de
Palavras-chave: Implantação dentária;Mucosite;Periimplantite;Prótese dentária
Data do documento: 16-Abr-2015
Citação: FARIAS, Danielle Bezerra de. Avaliação dos tecidos periimplantares em pacientes reabilitados com sobredentaduras e próteses fixas implantossuportadas. 2015. 70f. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
Resumo: Avaliar as condições dos tecidos periimplantares e suas características anatômicas, bem como a quantidade de biofilme após 3 e 12 meses de reabilitação, em pacientes desdentados totais reabilitados com prótese total convencional superior e prótese fixa implantossuportada ou sobredentadura mandibulares. Materiais e Métodos: Realizou-se um ensaio clínico não randomizado com uma amostra de 32 pacientes desdentados bimaxilares usuários de próteses totais convencionais duplas que tiveram sua prótese convencional inferior substituída por prótese sobre implantes (fixa ou removível). Os pacientes foram divididos em dois grupos: reabilitados com sobredentaduras sobre dois implantes com sistema de retenção barra clipe (grupo 1-G1) e reabilitados com próteses totais fixas implantossuportadas sobre 4 ou 5 implantes (grupo 2-G2). O acompanhamento se deu por meio de controles periódicos nos períodos de 3 meses (T1) e 12 meses (T2) desde a instalação das próteses sobre os implantes. Foram avaliados: índice de biofilme no implante e no mini pilar, índice de sangramento, grau de inflamação periimplantar, faixa de mucosa ceratinizada, profundidade de sondagem e nível da margem da mucosa. Resultados: Ao comparar as avaliações nos períodos T1 e T2 observou-se um aumento no índice de biofilme no mini pilar (p=0,033) e grau de inflamação (p=0,002) no G1; bem como aumento do índice de biofilme no mini pilar (p=0,007) e índice de sangramento (p=0,016) no G2. Comparando-se a influência do tipo de reabilitação sobre os índices avaliados, o índice de biofilme no mini pilar, profundidade de sondagem e nível da margem da mucosa apresentaram resultados menos satisfatórios nos sítios periimplantares dos pacientes do grupo reabilitado com prótese fixa. Conclusão: Indivíduos reabilitados com próteses fixas apresentaram maior quantidade de biofilme e condições dos tecidos periimplantares menos favoráveis quando comparados com aqueles reabilitados com sobredentaduras. As diferenças nos tempos de avaliação refletiram em aumento dos índices periimplantares em ambos os grupos. Entretanto, nos pacientes que desenvolveram mucosite, a mesma ocorreu apenas na forma leve.
metadata.dc.description.resumo: Avaliar as condições dos tecidos periimplantares e suas características anatômicas, bem como a quantidade de biofilme após 3 e 12 meses de reabilitação, em pacientes desdentados totais reabilitados com prótese total convencional superior e prótese fixa implantossuportada ou sobredentadura mandibulares. Materiais e Métodos: Realizou-se um ensaio clínico não randomizado com uma amostra de 32 pacientes desdentados bimaxilares usuários de próteses totais convencionais duplas que tiveram sua prótese convencional inferior substituída por prótese sobre implantes (fixa ou removível). Os pacientes foram divididos em dois grupos: reabilitados com sobredentaduras sobre dois implantes com sistema de retenção barra clipe (grupo 1-G1) e reabilitados com próteses totais fixas implantossuportadas sobre 4 ou 5 implantes (grupo 2-G2). O acompanhamento se deu por meio de controles periódicos nos períodos de 3 meses (T1) e 12 meses (T2) desde a instalação das próteses sobre os implantes. Foram avaliados: índice de biofilme no implante e no mini pilar, índice de sangramento, grau de inflamação periimplantar, faixa de mucosa ceratinizada, profundidade de sondagem e nível da margem da mucosa. Resultados: Ao comparar as avaliações nos períodos T1 e T2 observou-se um aumento no índice de biofilme no mini pilar (p=0,033) e grau de inflamação (p=0,002) no G1; bem como aumento do índice de biofilme no mini pilar (p=0,007) e índice de sangramento (p=0,016) no G2. Comparando-se a influência do tipo de reabilitação sobre os índices avaliados, o índice de biofilme no mini pilar, profundidade de sondagem e nível da margem da mucosa apresentaram resultados menos satisfatórios nos sítios periimplantares dos pacientes do grupo reabilitado com prótese fixa. Conclusão: Indivíduos reabilitados com próteses fixas apresentaram maior quantidade de biofilme e condições dos tecidos periimplantares menos favoráveis quando comparados com aqueles reabilitados com sobredentaduras. As diferenças nos tempos de avaliação refletiram em aumento dos índices periimplantares em ambos os grupos. Entretanto, nos pacientes que desenvolveram mucosite, a mesma ocorreu apenas na forma leve.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22723
Aparece nas coleções:PPGSCOL - Mestrado em Saúde Coletiva

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DanielleBezerraDeFarias_DISSERT.pdf3,04 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.