Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22725
Título: A intensificação no viés ensino/aprendizagem: uma abordagem da linguística funcional centrada no uso
Autor(es): Silva, Wesley Rodrigo Pedroza da
Palavras-chave: Intensificação. Funcionalismo. Ensino de Língua Portuguesa.
Data do documento: 18-Ago-2015
Citação: SILVA, Wesley Rodrigo Pedroza da. A intensificação no viés ensino/aprendizagem: uma abordagem da linguística funcional centrada no uso. 2015. 80f. Dissertação (Mestrado Profissional em Letras - Profletras/NAT) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
Resumo: Neste trabalho, discutimos o tratamento da intensificação em sala de aula sob o viés da Linguística Funcional Centrada no Uso. O objetivo é desenvolver uma proposta de intervenção pedagógica, focalizando o recurso à intensificação em situações reais de uso da língua. Investigam-se as diferentes formas de codificação da intensificação, correlacionando-as a fatores semânticos e discursivo-pragmáticos que lhes são subjacentes. Tomando por base contribuições do Funcionalismo de vertente norte-americana (GIVÓN, 2001; HOPPER, 1987; THOMPSON, 2004; FURTADO DA CUNHA, MARTELOTTA, OLIVEIRA, 2003) e apoiando-nos numa abordagem funcional de ensino de língua portuguesa (OLIVEIRA, CEZÁRIO, 2007; FURTADO DA CUNHA, TAVARES, 2007; FURTADO DA CUNHA, BISPO, SILVA, 2014), correlacionada a orientações dos Parâmetros Curriculares Nacionais (BRASIL, 1998), desenvolvemos intervenção pedagógica em turma do 7º ano do Ensino Fundamental de uma escola pública de Natal-RN. De caráter eminentemente qualitativo, com viés descritivo e explicativo, a intervenção desenvolvida oportunizou trabalhar diferentes mecanismos de codificação da intensidade, efeitos de sentido decorrentes do uso desses mecanismos e adequação do emprego desses elementos a situações de comunicação variadas. Como resultado, proporcionamos aos alunos uma aprendizagem mais significativa de um tópico gramatical e um entendimento mais amplo sobre os usos de mecanismos de intensificação em textos efetivamente realizados.
metadata.dc.description.resumo: Neste trabalho, discutimos o tratamento da intensificação em sala de aula sob o viés da Linguística Funcional Centrada no Uso. O objetivo é desenvolver uma proposta de intervenção pedagógica, focalizando o recurso à intensificação em situações reais de uso da língua. Investigam-se as diferentes formas de codificação da intensificação, correlacionando-as a fatores semânticos e discursivo-pragmáticos que lhes são subjacentes. Tomando por base contribuições do Funcionalismo de vertente norte-americana (GIVÓN, 2001; HOPPER, 1987; THOMPSON, 2004; FURTADO DA CUNHA, MARTELOTTA, OLIVEIRA, 2003) e apoiando-nos numa abordagem funcional de ensino de língua portuguesa (OLIVEIRA, CEZÁRIO, 2007; FURTADO DA CUNHA, TAVARES, 2007; FURTADO DA CUNHA, BISPO, SILVA, 2014), correlacionada a orientações dos Parâmetros Curriculares Nacionais (BRASIL, 1998), desenvolvemos intervenção pedagógica em turma do 7º ano do Ensino Fundamental de uma escola pública de Natal-RN. De caráter eminentemente qualitativo, com viés descritivo e explicativo, a intervenção desenvolvida oportunizou trabalhar diferentes mecanismos de codificação da intensidade, efeitos de sentido decorrentes do uso desses mecanismos e adequação do emprego desses elementos a situações de comunicação variadas. Como resultado, proporcionamos aos alunos uma aprendizagem mais significativa de um tópico gramatical e um entendimento mais amplo sobre os usos de mecanismos de intensificação em textos efetivamente realizados.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22725
Aparece nas coleções:PROFLETRAS - NATAL - Mestrado Profissional em Letras

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
WesleyRodrigoPedrozaDaSilva_DISSERT.pdf6,01 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.