Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22799
Título: Índice epidemiológico de vulnerabilidade aos extremos de seca: uma aplicação para o Estado do Rio Grande do Norte, 2000 e 2010
Autor(es): Silva, Pollyanne Evangelista da
Palavras-chave: Morbidade;Mortalidade;Capacidade adaptativa
Data do documento: 30-Jun-2014
Citação: SILVA, Pollyanne Evangelista da. Índice epidemiológico de vulnerabilidade aos extremos de seca: uma aplicação para o Estado do Rio Grande do Norte, 2000 e 2010. 2014. 95f. Dissertação (Mestrado em Demografia) - Centro de Ciências Exatas e da Terra, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.
Resumo: The impacts of climate change in Brazil tend to be more severe in the northeast of the country, most affected by the impacts of drought and likely to witness even worse scenarios caused by rising temperatures, the decrease in rainfall in the region and anthropogenic action. One of the main effects of drought reflected on the state of health of the population, especially the poorest and most vulnerable people, children and the elderly. The aim of this study is to construct an epidemiological indicator of vulnerability to drought, but also propose a new methodology for calculating the indicator taking into account the socioepidemiological and hospital aspects. Another objective was to map and classify the microregions of Rio Grande do Norte (RN) according to the characteristics of risk, susceptibility and adaptive capacity using cluster analysis, based on estimates of epidemiological indicators of vulnerability to drought. To create the indicator, climatic, social, demographic, and hospital variables, morbimortality of the microregions and methodology of Principal Component Analysis (PCA) were used for assigning weights to the components of vulnerability: risk, susceptibility and adaptive capacity. For the analysis, understanding and identifying vulnerable areas, statistical methods such as cluster analysis, paired t-test and spatiotemporal were used. The results showed that the microregions of Pau dos Ferros, Umarizal, Seridó Oriental and Seridó Ocidental showed the largest IEVS and also those who were at risk to drought, i.e., lower levels of rainfall. In contrast, Natal had the lowest risk to drought (0.00) and a better adaptive ability (0.96), however, attention should be given to the significant increase in mortality rates due to respiratory and heart diseases. This study identified the microregions of Rio Grande do Norte more vulnerable to drought, which should have priority when designing public actions to mitigate the impacts on public health.
metadata.dc.description.resumo: Os impactos das mudanças climáticas no Brasil tendem a ser mais graves na região Nordeste, mas necessariamente a região do Semiárido do Brasil mais atingida pelos impactos da seca e com perspectivas de presenciar cenários ainda piores ocasionados pelo aumento da temperatura, pela diminuição das chuvas na região no período chuvoso, como também, as cheias nos períodos não chuvosos, e com a ação antropogênica. Um dos principais efeitos da seca reflete-se sobre o estado de saúde da população, principalmente das populações mais pobres e frágeis, e das crianças e os idosos. O objetivo principal deste estudo é construir um indicador epidemiológico de vulnerabilidade à seca, como também propor uma nova metodologia de cálculo do indicador levando-se em consideração os aspectos socioepidemiológicos e hospitalares. Outro objetivo consistiu em mapear e classificar as microrregiões do Rio Grande do Norte (RN) segundo as características do risco, susceptibilidade e capacidade adaptativa utilizando análise de agrupamento, com base nas estimativas dos indicadores epidemiológicos de vulnerabilidade à seca. Para criar o indicador, utilizaram-se variáveis meteorológicas, sociais, demográficas, hospitalares e a morbimortalidade das microrregiões e a metodologia da análise de componentes principais (ACP) para a atribuição de pesos aos componentes da vulnerabilidade: risco, susceptibilidade e capacidade adaptativa. Para a análise, compreensão e identificação das áreas vulneráveis, utilizaram-se as metodologias estatísticas, tais como: análise de agrupamento, teste t pareado e espaço-temporal. Os resultados mostraram que microrregiões como Pau dos Ferros, Umarizal e Seridó Oriental e Ocidental foram as que apresentaram maiores IEVS e também as que apresentaram maior risco à seca, ou seja, menor precipitação. Em contrapartida, Natal apresentou o menor risco à seca (0,00) e a melhor capacidade adaptativa (0,96), no entanto, atenção deve ser dada ao aumento significativo das taxas de mortalidade por doenças do aparelho respiratório e do coração. Este estudo possibilitou identificar as microrregiões do estado do RN mais vulneráveis à seca com prioridade de elaboração de ações públicas que mitiguem os impactos na saúde pública.
URI: http://hdl.handle.net/123456789/22799
Aparece nas coleções:PPGDEM - Mestrado em Demografia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
PollyanneEvangelistaDaSilva_DISSERT..pdf3,34 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.