Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22803
Título: Trajetória de vida de doadores renais: as histórias não ouvidas
Autor(es): Silva, Fernando de Souza
Palavras-chave: Transplante renal;doadores vivos;história oral de vida
Data do documento: 15-Dez-2015
Citação: SILVA, Fernando de Souza. Trajetória de vida de doadores renais: as histórias não ouvidas. 2015. 100f. Tese (Doutorado em Enfermagem) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
Resumo: O número de pessoas acometidas pela Doença Renal Crônica (DRC) aumenta a cada ano. Dentre as opções terapêuticas, o transplante renal constitui-se a escolha que promove melhor qualidade de vida aos pacientes. O transplante intervivos é uma estratégia muito utilizada, entretanto, não está totalmente esclarecida a repercussão da uninefrectomia na vida dos doadores vivos. Neste estudo buscou-se analisar, mediante a apreensão das narrativas, experiências que marcam a trajetória de vida dos doadores renais, que se submeteram a uninefrectomia com a finalidade de transplante, com o intuito de identificar eventuais interferências da doação na vida dos doadores. Trata-se de uma pesquisa exploratória e descritiva, com uma abordagem qualitativa. Utilizou-se a história oral de vida como método e técnica de apreensão e preparo analítico dos relatos. Foram entrevistados 12 doadores renais por meio da gravação de áudio dos relatos em mídia digital, no qual os colaboradores responderam às seguintes questões norteadoras: Como era sua vida antes da doação renal. Como é sua vida após a doação renal. Realizou-se a análise dos relatos por meio da análise de conteúdo de Bardin, em que os eixos temáticos nortearam as discussões. A pesquisa foi aprovada pelo comitê de ética em pesquisa do Hospital Universitário Onofre Lopes-UFRN, através da Plataforma Brasil, com CAAE 34804214.1.0000.5292. Foram respeitadas as normas preconizadas pela Resolução Nº 466/12 do Conselho Nacional de Saúde, referente aos aspectos éticos da pesquisa envolvendo seres humanos. Emergiram dos relatos os seguintes eixos temáticos: As motivações para a doação renal, a repercussão da doação renal na vida do doador e a presença divina nos desfechos terapêuticos. Concluimos que os colaboradores não reconhecem a presença de interferências negativas em seu cotidiano após o transplante, ao passo que as repercussões positivas estão latentes nos discursos, principalmente as melhorias na qualidade de vida do doador. Este fato se deve, essencialmente, devido o reconhecimento social da nobreza do ato da doação renal. O círculo de convívio social passa a ver o colaborador como uma pessoa especial, imputando-lhe capacidade inestimável de amar ao próximo.
metadata.dc.description.resumo: O número de pessoas acometidas pela Doença Renal Crônica (DRC) aumenta a cada ano. Dentre as opções terapêuticas, o transplante renal constitui-se a escolha que promove melhor qualidade de vida aos pacientes. O transplante intervivos é uma estratégia muito utilizada, entretanto, não está totalmente esclarecida a repercussão da uninefrectomia na vida dos doadores vivos. Neste estudo buscou-se analisar, mediante a apreensão das narrativas, experiências que marcam a trajetória de vida dos doadores renais, que se submeteram a uninefrectomia com a finalidade de transplante, com o intuito de identificar eventuais interferências da doação na vida dos doadores. Trata-se de uma pesquisa exploratória e descritiva, com uma abordagem qualitativa. Utilizou-se a história oral de vida como método e técnica de apreensão e preparo analítico dos relatos. Foram entrevistados 12 doadores renais por meio da gravação de áudio dos relatos em mídia digital, no qual os colaboradores responderam às seguintes questões norteadoras: Como era sua vida antes da doação renal. Como é sua vida após a doação renal. Realizou-se a análise dos relatos por meio da análise de conteúdo de Bardin, em que os eixos temáticos nortearam as discussões. A pesquisa foi aprovada pelo comitê de ética em pesquisa do Hospital Universitário Onofre Lopes-UFRN, através da Plataforma Brasil, com CAAE 34804214.1.0000.5292. Foram respeitadas as normas preconizadas pela Resolução Nº 466/12 do Conselho Nacional de Saúde, referente aos aspectos éticos da pesquisa envolvendo seres humanos. Emergiram dos relatos os seguintes eixos temáticos: As motivações para a doação renal, a repercussão da doação renal na vida do doador e a presença divina nos desfechos terapêuticos. Concluimos que os colaboradores não reconhecem a presença de interferências negativas em seu cotidiano após o transplante, ao passo que as repercussões positivas estão latentes nos discursos, principalmente as melhorias na qualidade de vida do doador. Este fato se deve, essencialmente, devido o reconhecimento social da nobreza do ato da doação renal. O círculo de convívio social passa a ver o colaborador como uma pessoa especial, imputando-lhe capacidade inestimável de amar ao próximo.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22803
Aparece nas coleções:PPGE - Doutorado em Enfermagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
FernandoDeSouzaSilva_TESE.pdf2,69 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.