Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22805
Título: A constituição do eu e a alteridade: diálogos entre a perspectiva histórico-cultural de Vigotski e a psicologia psicogenética de Henri Wallon
Autor(es): Alencar Segundo Júnior, Eudes Basílio de
Palavras-chave: constituição do sujeito; linguagem; emoções; alteridade; mediação.
Data do documento: 22-Fev-2016
Citação: ALENCAR SEGUNDO JÚNIOR, Eudes Basílio de. A constituição do eu e a alteridade: diálogos entre a perspectiva histórico-cultural de Vigotski e a psicologia psicogenética de Henri Wallon. 2016. 106f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Resumo: O presente estudo constitui um trabalho sobre o processo de constituição do sujeito nas perspectivas histórico-cultural de Vigotski e na psicologia psicogenética de Henri Wallon. Estas duas concepções são de base marxista e estão fundamentadas em uma mesma ontologia (a natureza histórico-social do sujeito) e pressupostos epistemológicos (o materialismo histórico-dialético). Consequentemente, nosso objetivo foi estabelecer um diálogo, no sentido bakhtiniano (aproximações, divergências e complementariedades), entre essas duas abordagens, considerando o papel do outro na constituição do eu. Tanto Vigotski quanto Wallon empreenderam críticas às concepções psicológicas biologizantes, mecanicistas e idealistas de suas épocas. Contudo, ressaltam a relevância dos fatores orgânicos, inclusive para compreendermos o percurso desenvolvimental da constituição histórica do sujeito. Os dois teóricos propuseram uma nova concepção acerca da relação entre o orgânico e o social na compreensão e estudo dos fenômenos psicológicos, isto é, de como se constitui a consciência humana. Vigotski e Wallon contribuíram significativamente no estudo do desenvolvimento humano, com ênfase para o desenvolvimento do pensamento e da linguagem, na área da educação, da psicologia e no estudo das emoções. Em Vigotski, localizamos uma concepção cientifica, histórico- cultural, sobre o estudo das emoções e o crescente interesse de pesquisadores para com o estudo dessa temática. Encontramos nesse autor, uma relevância em relação ao estudo da linguagem e, sobre o estudo das emoções, observamos um destaque em Wallon. Assim, mesmo reconhecendo que Vigotski (linguagem) e Wallon (emoções) divergem em relação à base da origem da consciência humana, os dois autores apresentam aproximações em relação à questão da busca pela origem, gênese, para se compreender o processo de constituição do sujeito. Logo, a noção da origem do processo é substancial para os dois teóricos. Desse modo, ambos dialogam sobre a compreensão do psiquismo humano à luz de sua origem e desenvolvimento. Embora Vigotski e Wallon tenham estudado diferentes conceitos centrais em suas teorias, sinalizamos que as duas perspectivas teóricas evidenciam o papel e a importância do contexto e das interações sociais como condições fundantes para compreendermos a construção e constituição do sujeito.
metadata.dc.description.resumo: O presente estudo constitui um trabalho sobre o processo de constituição do sujeito nas perspectivas histórico-cultural de Vigotski e na psicologia psicogenética de Henri Wallon. Estas duas concepções são de base marxista e estão fundamentadas em uma mesma ontologia (a natureza histórico-social do sujeito) e pressupostos epistemológicos (o materialismo histórico-dialético). Consequentemente, nosso objetivo foi estabelecer um diálogo, no sentido bakhtiniano (aproximações, divergências e complementariedades), entre essas duas abordagens, considerando o papel do outro na constituição do eu. Tanto Vigotski quanto Wallon empreenderam críticas às concepções psicológicas biologizantes, mecanicistas e idealistas de suas épocas. Contudo, ressaltam a relevância dos fatores orgânicos, inclusive para compreendermos o percurso desenvolvimental da constituição histórica do sujeito. Os dois teóricos propuseram uma nova concepção acerca da relação entre o orgânico e o social na compreensão e estudo dos fenômenos psicológicos, isto é, de como se constitui a consciência humana. Vigotski e Wallon contribuíram significativamente no estudo do desenvolvimento humano, com ênfase para o desenvolvimento do pensamento e da linguagem, na área da educação, da psicologia e no estudo das emoções. Em Vigotski, localizamos uma concepção cientifica, histórico- cultural, sobre o estudo das emoções e o crescente interesse de pesquisadores para com o estudo dessa temática. Encontramos nesse autor, uma relevância em relação ao estudo da linguagem e, sobre o estudo das emoções, observamos um destaque em Wallon. Assim, mesmo reconhecendo que Vigotski (linguagem) e Wallon (emoções) divergem em relação à base da origem da consciência humana, os dois autores apresentam aproximações em relação à questão da busca pela origem, gênese, para se compreender o processo de constituição do sujeito. Logo, a noção da origem do processo é substancial para os dois teóricos. Desse modo, ambos dialogam sobre a compreensão do psiquismo humano à luz de sua origem e desenvolvimento. Embora Vigotski e Wallon tenham estudado diferentes conceitos centrais em suas teorias, sinalizamos que as duas perspectivas teóricas evidenciam o papel e a importância do contexto e das interações sociais como condições fundantes para compreendermos a construção e constituição do sujeito.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22805
Aparece nas coleções:PPGPSI - Mestrado em Psicologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
EudesBasilioDeAlencarSegundoJunior_DISSERT.pdf816,33 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.