Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22871
Título: Proteção contra a perda óssea induzida pelo diabetes tipo 1 através da suplementação com zinco: análises biomecânica, histomorfométrica e molecular em ratos diabéticos induzidos por STZ
Autor(es): Bortolin, Raul Hernandes
Palavras-chave: Diabetes mellitus tipo 1 crônico;Modelo animal;Perda óssea;Suplementação com zinco;Biomecânica óssea;Histomorfometria óssea;Expressão genica do RNAm dos genes MMP9;COL1A;OPG e OC
Data do documento: 6-Fev-2015
Citação: BORTOLIN, Raul Hernandes. Proteção contra a perda óssea induzida pelo diabetes tipo 1 através da suplementação com zinco: análises biomecânica, histomorfométrica e molecular em ratos diabéticos induzidos por STZ. 2015. 83f. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
metadata.dc.description.resumo: Diversos estudos tem estabelecido a associação entre diabetes e alterações no metabolismo do osso; no entanto, os mecanismos subjacentes não são totalmente elucidados. Embora o zinco seja reconhecido como um potencial agente na prevenção contra a perda óssea induzida pelo diabetes, não há evidência mostrando este efeito em condições crónicas da doença. Assim o presente estudo avaliou os efeitos da suplementação com zinco em modelo crônico de diabetes tipo 1 associado a perda óssea por 90 dias. Foram utilizados ratos Wistar machos, igualmente distribuídos em três grupos (n=15): grupo controle; grupo Diabetes mellitus tipo 1 (TDM1); e grupo T1DM suplementado com zinco (T1DMS). Após o período de 90 dias de estudo, foram analisados: parâmetros bioquímicos sérico, análises biomecânicas, histomorfométricas e conteúdo de colágeno nas tíbias, bem como avaliação da expressão genica de RNAm no fêmures dos animais. Em relação ao controle, TDM1 mostrou uma perda óssea através de: diminuição de parâmetros histomorfométricos, como espessura e área do osso trabecular, bem como aumento da separação do osso trabecular; diminuição de parâmetros biomecânicos representados pela carga máxima, rigidez, máxima deformação em flexão e módulo de elasticidade; e diminuição do conteúdo de colágeno tipo 1. Além disso, uma expressão genica aumentada dos genes: osteoprotegerina (OPG), colágeno tipo 1 (COL1A), e metaloproteinase do tipo 9 (MMP9) foram observadas em TDM1. Estes resultados representam uma menor resistência e flexibilidade óssea associada ao TDM1. A suplementação com zinco mostrou um efeito protetor significativo contra a perda óssea, uma vez que, valores semelhantes foram observados para os parâmetros histomorfométricos e biomecânicos entre os grupos T1DMS e controle. O zinco também apresentou uma manutenção nos valores de expressão genica dos genes estudados, quando comparado com TDM1. Adicionalmente, os efeitos anabólicos do zinco foram evidenciados através do aumento da expressão genica da osteocalcina (OC) e atividade da fosfatase alcalina sérica, ambos relacionados com osteoblastogênese, demonstrando, assim, uma efeito positivo na formação óssea. Em conclusão, o zinco mostrou um efeito positivo sobre a manutenção da arquitetura óssea e parâmetros biomecânicos. Em relação aos parâmetros moleculares, a suplementação mostrou um importante efeito anabólico através do aumento na expressão da OC, e um efeito protetor evidenciado pelo controle na expressão dos genes OPG, COL1A, e MMP9 em condições crônicas de hiperglicemia. Os resultados sugerem ainda que o zinco pode representar uma terapia adjuvante na perda óssea associada ao Diabetes mellitus tipo 1 em condições crônicas.
URI: http://hdl.handle.net/123456789/22871
Aparece nas coleções:PPGCSA - Mestrado em Ciências da Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
RaulHernandesBortolin_TESE..pdf2,48 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.