Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/23506
Título: A digital geográfica do turismo: uma análise teórico-metodológica e conceitual de teses e dissertações no âmbito dos programas brasileiros de pós-graduação stricto sensu em geografia
Autor(es): Maranhão, Christiano Henrique da Silva
Palavras-chave: Geografia;Fundamentos teórico-metodológicos;Pesquisa;Turismo
Data do documento: 10-Fev-2017
Citação: MARANHÃO, Christiano Henrique da Silva. A digital geográfica do turismo: uma análise teórico-metodológica e conceitual de teses e dissertações no âmbito dos programas brasileiros de pós-graduação stricto sensu em geografia. 2017. 354f. Tese (Doutorado em Geografia) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.
Resumo: The aim of this research is to analyze the main theoretic-methodological and conceptual trends existing in the studies on tourism brought about with the production of geographical knowledge (theses and dissertations) stimulated in the scope of the Brazilian Programs of Post-graduation stricto sensu in Geography. Alongside that, there is the possibility of identifying the scientific contents inside the geographical space and in its theory in the work of the geographer Milton Santos, verifying, with it, the meaning of a specific knowledge in Geography to the construction and validation of this science. The study is defined as descriptive-exploratory and possessing a qualitative-quantitative bias. In addition, it applies Bardin‟s (2004), analysis of thematic contents indicated by Richardson (2008), besides the programs Wordle (cloud of words) and Pajek (network constitution). As an analytical support, one visits the way tourism gains materiality in Brazil since 1930, genesis of this activity in the country, added with the ordaining of the main theoretic-methodological contributions of the geographical science to identify the odds of the research. it is useful to mention that among a total of 63 stricto sensu post-graduation programs in Geography validated in the period of the researching, 44 presented 814 studies on tourism: 641 master‟s dissertations and 173 doctoral theses, in a total of 35 superior education instances. Given these data, Geography studies tourism through the actions of tourism on the landscape, especially the natural ones, for the Brazilian tourism focuses particularly the natural resources behind the touristic displacements and trips. Through these actions, tourism eventually transforms landscapes in “products” and “merchandises” to be commercialized and consumed, in a process intermediated in every phase by the capitalist system. That is why the principal studies realized by the geographic science interpreting how the praxis of tourism in Brazil is organized vary due the economic biases, the focus on the geographic space, the impacts on environment, the yearning for sustainability and the consolidation of the social instance. A great number of these information are supported by the method of dialectical approach. The geographical science still endeavors to disclose the touristic phenomenon understanding it as a social phenomenon intrinsic to the development process. However, this kind of analysis is still minority, what justifies the negligible existence of researches of phenomenological trend. As a research subject, tourism does not need to be especially important to Geography. Along with other subjects, it only needs encouragement in function of the contribution it can give to help building a society more just in the coming future.
metadata.dc.description.resumo: Esta pesquisa analisa as principais tendências teórico-metodológicas e conceituais presentes nos estudos sobre o turismo, a partir da produção do conhecimento geográfico (teses e dissertações), fomentada no âmbito dos Programas brasileiros de Pós-graduação stricto sensu em Geografia. Paralela a essa questão, está a possibilidade de identificar a relevância do uso do conteúdo científico contido no conceito de Espaço geográfico e na sua teoria, com base na obra do geógrafo Milton Santos, verificando com isso, a significância de um conhecimento específico da Geografia para a construção e validação do saber em questão. Este estudo classifica-se como descritivo-exploratório, dotado de um viés qualiquantitativo. Além disso, aplicou-se a análise de conteúdo de Bardin (2004), análise temática indicada por Richardson (2008), além dos Programas Wordle (Nuvens de palavras) e Pajek (constituição de Redes). Como suporte analítico, tem-se a forma como o turismo se materializa no Brasil, desde 1930, gênese da atividade no país. Somada com o ordenamento dos principais subsídios teórico-metodológicos da ciência geográfica, a fim de identificar as possibilidades, pelas quais as pesquisas norteiam-se. Por tudo isso, atesta-se que, dos 63 programas brasileiros de pós-graduação stricto sensu em Geografia validados no período do levantamento, 44 deles apresentaram 814 pesquisas sobre o turismo, das quais 641 são dissertações (nível mestrado) e 173 teses (nível doutorado), espacializadas por 35 Instituições de Educação Superior. De posse desses dados, entende-se que a Geografia estuda o turismo por meio das ações que ele promove nas paisagens, sobretudo naturais, revelando que o turismo brasileiro se dá, prioritariamente, pela utilização dos recursos naturais, os quais motivam os deslocamentos turísticos. E a partir dessa atuação nas paisagens, o turismo acaba transformando-as em “produtos” e “mercadorias” a serem comercializadas e consumidas, com todo processo mediado pelo sistema capitalista. Com isso, os principais estudos realizados pela ciência geográfica para interpretar a organização da práxis do turismo brasileiro, variam pelo viés econômico, pelo enfoque sobre o espaço geográfico, pelos impactos causados na natureza, pela busca por sustentabilidade e pela consolidação da instância social. Grande parte dessas informações é respaldada pelo método de abordagem dialético. A ciência geográfica ainda empenha-se em desvendar o fenômeno turístico entendendo-o como fenômeno social intrínseco ao processo de desenvolvimento. Contudo, essa forma de analisar o turismo ainda se configura como minoritária, fato que justifica a pífia presença de pesquisas com base no método fenomenológico. Enquanto tema de pesquisa, o turismo não precisa ser mais nem menos importante para a Geografia. Juntamente com os demais temas, só precisa ser estimulado, em função da contribuição que pode fornecer, a fim de construir uma sociedade mais justa no futuro breve.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/23506
Aparece nas coleções:PPGe - Doutorado em Geografia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ChristianoHenriqueDaSilvaMaranhao_TESE.pdf5,28 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.