Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/23614
Title: Marcadores cognitivos e prática esportiva em jovens de 10 a 13 anos nos diferentes estágios maturacionais
Other Titles: Markers cognitive and practice sports in young people 10 to 13 years of different maturational stages
Authors: Simões, Thaisys Blanc dos Santos
Keywords: Controle inibitório;Maturação;Capacidades cognitivas;Esporte
Issue Date: 22-Feb-2017
Citation: SIMÕES, Thaisys Blanc dos Santos. Marcadores cognitivos e prática esportiva em jovens de 10 a 13 anos nos diferentes estágios maturacionais. 2017. 70f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.
Portuguese Abstract: O desenvolvimento das capacidades cognitivas e a promoção da saúde são importantes variáveis no crescimento e desenvolvimento biológico. Com isso, o neurodesenvolvimento vem sendo colocado como importante fator para melhorar o desempenho no esporte de crianças e adolescentes. O presente estudo teve como objetivo verificar a influência da prática esportiva no controle inibitório de jovens de 10 a 13 anos em diferentes estágios maturacionais. Foram avaliados 203 sujeitos de ambos os sexos, com idades entre 10 a 13 anos. Para metodologia utilizou-se os protocolos de predição de idade óssea para avaliação da maturação e Teste de Stroop para avaliação de controle inibitório. Os testes estatísticos utilizados foram a análise multivariável (MANOVA) seguida do post hoc de Bonferroni. Verificou-se significância nas diferenças entre o tempo de reação e erros na etapa 3 do Stroop Test entre os praticantes e não praticantes de esporte, observou-se que os praticantes obtiveram menores tempo de reação e erros comparado aos não praticantes de atividades esportivas. Ao observar os estágios maturacionais os sujeitos normais e acelerados obtiveram os menores tempos e os indivíduos no estágio atrasado maiores tempos de reação. Nos erros pode-se observar que os indivíduos no estágio atrasado obtiveram menor quantidade de erros, os sujeitos dos estágios normal e acelerado apresentaram mais erros. O tempo de reação dos não praticantes no estágio atrasado são maiores ao compararmos com os normais que apresentaram menores tempos. Em relação aos erros os sujeitos no estágio acelerado mostraram menores quantidade de erros nessa etapa. Para os indivíduos praticantes observa-se que os indivíduos atrasados são lentos para realizar a etapa, porem possuem menores quantidades de erros. Dessa forma, pode-se concluir que as crianças e adolescentes que praticam esporte apresentam maior controle inibitório em relação aos que não praticam atividades esportivas. Em relação aos resultados de tempo de reação nos estágios maturacionais observou-se que os sujeitos classificados normais e acelerados conseguem ser rápidos porém apresentam maior quantidade de erros, já os indivíduos atrasados gastam mais tempo para realizar o teste porém erram menos.
Abstract: The development of cognitive skills and health promotion are important variables in the growth and biological development, therefore, neurodevelopment has been placed as an important factor to improve performance in sports of children and adolescents. The present study aimed to verify the influence of sports practice on the inhibitory control of young people aged 10 to 13 years in different maturational stages. We evaluated 203 subjects of both sexes, aged between 10 and 13 years. For the methodology, bone age prediction protocols for maturation evaluation and Stroop Test used were for the evaluation of inhibitory control. The statistical tests used were the multivariable analysis (MANOVA) followed by Bonferroni post hoc. Significance found was in the differences between reaction time and errors in stage 3 of the Stroop Test between practitioners and non-practitioners. It was observed that practitioners obtained less reaction time and errors compared to non-practitioners. When observing the maturational stages, the normal and accelerated subjects obtained the shortest times and the individuals in the delayed stage had the greatest reaction times. In the errors it observed could be that the individuals in the delayed stage obtained smaller number of errors, the subjects of the normal and accelerated stages presented more errors. The reaction time of non-practitioners in the delayed stage is higher when compared to the normals that presented the shortest times. Regarding the errors, the subjects in the accelerated stage showed smaller number of errors in this stage. For the practicing individuals observed it is that the delayed individuals are slow to perform the step, but they have smaller amounts of errors. Thus, it concluded can be that children and adolescents who play sports have greater inhibitory control in relation to those who do not practice sports activities. Regarding the results of reaction time in the maturational stages, it observed was that the normal and accelerated subjects were able to be fast but present a greater amount of errors, since the delayed individuals spend more time to perform the test but err less.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/23614
Appears in Collections:PPGEF - Mestrado em Educação Física

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ThaisysBlancDosSantosSimoes_DISSERT.pdf1.19 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.