Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/23840
Title: O cristianismo e a crítica à modernidade na obra O Anticristo de Nietzsche
Authors: Silva, Diego Wendell da
Keywords: Nietzsche;Cristianismo;Anticristo;Modernidade;Decadência
Issue Date: 23-Nov-2015
Citation: SILVA, Diego Wendell da. O cristianismo e a crítica à modernidade na obra O Anticristo de Nietzsche. 2015. 92f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
Abstract: The present study starts from Nietzsche's psycho-physiologist analysis of Christianity and investigates its relation with the body, defined here as a dynamic space of agonistic processes among forces. Thus, we highlight Nietzsche's criticism to consciousness, to the status of the ´Self´ as a product of bodily processes, that allows us to understand what he called as the process of décadence. In the first part, we assess the way in which the Christian ideal deny and depreciate life while aiming for a world beyond, the true world; such elements are symptons of degeneration and of a frail vitality, characterizing features of décadence. Thereafter, we investigate the genealogy of Christianity in Nietzsche's work, The Antichrist. We try to rebuild all the structure that allowed the emergence of the Christian mindset within the Hebrew culture. We shall see that all eevaluative processes towards existence might be understood as physiological processes that expresses the dynamic of forces that compose the body of individuals, as well as the cultural bodies. These eevaluative processes are also expression of possible configurations among the multiple forces that make reality. At last, we investigate Modernity and its roots on Christianity by elucidating how the modern mentality kept its metaphysical core, even while trying to overcome the Christian ideal. According to Nietzsche, western civilization is the natural unfoldment of the Christian ideal as a set of civilizatory ideas, the slow domestication of the instincts. Even ideas that seems to contend the legitimacy of christian religion, like the ideas of democracy, science and progress, are derived from the Christian mindset, they are just symptoms of the process of décadence.
Portuguese Abstract: O presente estudo parte do esclarecimento da análise psicofisiológica do cristianismo empreendida por Nietzsche, investigando a sua relação com a instância do corpo, enquanto espaço dinâmico de processos agonísticos entre forças, e evidenciando a crítica à consciência, ao estatuto do ‘Eu’, produto dos processos corporais, permitindo compreender, por fim, o que Nietzsche denomina processo de décadence. Em um primeiro momento, trata-se de analisar de que modo o ideário cristão deprecia e nega a vida em vista a um mundo além, o mundo verdadeiro, sendo sintoma de degeneração e fragilidade vital, elementos caracterizadores da décadence. Em seguida, examinamos a genealogia do cristianismo na obra O Anticristo de Nietzsche, tendo em vista reconstruir os pontos que permitiram o emergir do ideário cristão no seio da cultura hebraica. Veremos que todos estes processos valorativos frente à existência podem ser entendidos como processos fisiológicos que expressam uma dinâmica entre as forças que compõem os corpos, tanto os corpos dos indivíduos, quanto corpos culturais, sendo também expressões de organizações entre as múltiplas forças que compõe a totalidade, que se mantém sempre aberta para possíveis reconfigurações das forças que a constitui. Por fim, investigamos a modernidade e suas raízes no cristianismo, buscando elucidar em que medida o discurso moderno, embora tente superar o ideário cristão, mantém-se ainda vinculado ao seu âmbito metafísico. Para Nietzsche, a civilização ocidental é o desdobrar natural do ideário cristão, enquanto conjunto de ideias civilizatórias, um lento prostrar-se e quebramento dos instintos. Mesmo as ideias que parecem confrontar diretamente a religião cristã deslegitimando-a, como as ideias de democracia, ciência e progresso são derivadas do ideário cristão, são sintomas do processo de décadence.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/23840
Appears in Collections:PPGFIL - Mestrado em Filosofia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DiegoWendellDaSilva_DISSERT.pdf716,74 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.