Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/24091
Título: Resistência ao cisalhamento e grau de conversão: efeito de diferentes protocolos de fotoativação na colagem de bráquetes metálicos
Autor(es): Cruz, Itanielly Dantas Silveira
Palavras-chave: Resistência ao cisalhamento;Espectroscopia de infravermelho por transformada de Fourier;Esmalte dentário;Braquetes ortodônticos
Data do documento: 25-Jul-2017
Citação: CRUZ, Itanielly Dantas Silveira. Resistência ao cisalhamento e grau de conversão: efeito de diferentes protocolos de fotoativação na colagem de bráquetes metálicos. 2017. 72f. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.
Resumo: Objective: To analyze the effect of different photoactivation protocols on shear bond strength (SBS) of metallic brackets bonded to enamel and the degree of conversion (DC) of an orthodontic resin using three photoactivating devices. Methodology: 230 crowns of bovine incisors were randomly distributed in 23 groups (n = 10). After the surface treatment with phosphoric acid (15 seconds) and Primer Transbond XT (3M Unitek), metal brackets were bonded to the enamel with Transbond XT resin (3M Unitek) using 23 photoactivation protocols according to the factors "photoactivator" (FlashMax P4 – RMO, Valo Cordless – Ultradent or Radii-Cal – SDI), "photoactivated faces" (center/vestibular; mesial, distal, cervical and incisal; mesial and distal or cervical and incisal) and "photoactivation time" (2, 3, 4, 6, 20 or 40 seconds). The shear test (100KgF, 1mm/min) was performed after storage of the samples for 4 months (distilled water, 37°C). Using the same photoactivation protocols, 230 resin discs (0,1 mm thick and 5 mm diameter, on average) were made for DC analysis. The SBS (MPa) and DC (%) data were evaluated descriptively and through Student's T-test, one-way ANOVA and the Tukey test. The union failures were classified according to the Adhesive Remnant Index (ARI), analyzed descriptively and through the Kruskal-Wallis test. Results: Of all 23 protocols, only 5 presented clinically accepted SBS values according to the literature. Regarding the factors "photoactivated faces" and "photoactivation time", the Valo Cordless protocols were the only ones that presented statistically similar SBS results (p=0,230 and p=0,093, respectively). Of the comparisons that presented a statistically significant difference (p≤0,05) regarding the factor "time of photoactivation" according to SBS, 66,6% corresponded to the protocols where only the central face of the bracket was photoactivated. When comparing the groups where only two faces were photoactivated, those in which the pair of faces corresponded to the mesial and the distal were the ones that resulted in higher SBS values. Regarding the CG, considering the "photoactivated faces" factor, only the results of the FlashMax P4 groups were statistically different (p≤0,05). The Valo Cordless was the only device in which the factor "time of photoactivation" didn’t affect statistically means the values of the DC (p=0,968). And the majority (66,6%) of the highest DC values when only two faces were photoactivated corresponded to those protocols in which such faces were mesial and distal. Regarding ARI, there was a statistically significant difference between the scores (p=0,000), and the score 2 was the most observed (52,6%). Conclusion: The SBS of the metal brackets bonded to the enamel and the DC of the Transbond XT resin may present statistically significant differences depending on the selected photoactivating device and the bonding protocol used by the orthodontist. And it’s assumed that the adhesive force between the resin and the dental enamel is greater than that between the bracket and the Transbond XT.
metadata.dc.description.resumo: Objetivo: Analisar o efeito de diferentes protocolos de fotoativação na resistência de união ao cisalhamento (RUC) de bráquetes metálicos colados em esmalte e no grau de conversão (GC) de uma resina ortodôntica utilizando três aparelhos fotoativadores. Metodologia: 230 coroas de incisivos bovinos foram distribuídas aleatoriamente em 23 grupos (n=10). Após ser realizado o tratamento de superfície com ácido fosfórico (15 segundos) e Primer Transbond XT (3M Unitek), bráquetes metálicos foram colados ao esmalte com resina Transbond XT (3M Unitek) utilizando 23 protocolos de fotoativação de acordo com os fatores “aparelho fotoativador” (FlashMax P4 – RMO, Valo Cordless – Ultradent ou Radii-Cal – SDI), “faces fotoativadas” (centro/vestibular; mesial, distal, cervical e incisal; mesial e distal ou cervical e incisal) e “tempo de fotoativação” (2, 3, 4, 6, 20 ou 40 segundos). O ensaio de cisalhamento (100KgF, 1mm/min) foi realizado após o armazenamento das amostras por 4 meses (água destilada, 37°C). Utilizando os mesmos protocolos de fotoativação, 230 discos de resina (0,1 mm de espessura e 5 mm de diâmetro, em média) foram confeccionados para análise do GC. Os dados da RUC (MPa) e do GC (%) foram avaliados descritivamente e através do teste T de Student, da ANOVA one way e do teste de Tukey. As falhas de união foram classificadas de acordo com o Índice Remanescente Adesivo (IRA), analisadas descritivamente e através do teste de Kruskal-Wallis. Resultados: De todos os 23 protocolos, apenas 5 apresentaram valores de RUC clinicamente aceitos de acordo com a literatura. No que diz respeito aos fatores “faces fotoativadas” e “tempo de fotoativação”, os protocolos do Valo Cordless foram os únicos que apresentaram resultados quanto à RUC estatisticamente semelhantes (p=0,230 e p=0,093, respectivamente). Das comparações que apresentaram diferença estatisticamente significativa (p≤0,05) quanto ao fator “tempo de fotoativação” de acordo com a RUC, 66,6% correspondem aos protocolos onde apenas a face central do bráquete foi fotoativada. Ao comparar os grupos onde apenas duas faces foram fotoativadas, aqueles em que o par de faces correspondeu à mesial e à distal foram os que resultaram maiores valores de RUC. Quanto ao GC, tendo em vista o fator “faces fotoativadas”, apenas os resultados dos grupos do FlashMax P4 foram estatisticamente diferentes (p≤0,05). O Valo Cordless foi o único aparelho no qual o fator “tempo de fotoativação” não afetou de forma estatisticamente significa os valores do GC (p=0,968). E a maioria (66,6%) dos valores mais elevados do GC quando apenas duas faces foram fotoativadas correspondeu àqueles protocolos nos quais tais faces foram a mesial e a distal. Em relação ao IRA, houve diferença estatisticamente significativa entre os escores (p=0,000), sendo que o escore 2 foi o mais observado (52,6%). Conclusão: A RUC dos bráquetes metálicos colados ao esmalte e o GC da Transbond XT podem apresentar diferenças estatisticamente significativas a depender do aparelho fotoativador selecionado e do protocolo de colagem utilizado pelo ortodontista. E supõe-se que a força adesiva entre a resina e o esmalte dentário é maior do que aquela entre o bráquete e a Transbond XT.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/24091
Aparece nas coleções:PPGSCOL - Mestrado em Saúde Coletiva

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ItaniellyDantasSilveiraCruz_DISSERT.pdf2,38 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.