Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/24195
Título: Gestação: uma perspectiva sobre sexualidade e desfechos obstétricos desfavoráveis relacionados a vulvovaginites
Autor(es): Monteiro, Michelly Nóbrega
Palavras-chave: Complicações na gravidez;Sexualidade;Orgasmo;Vaginose bacteriana;Nascimento prematuro
Data do documento: 19-Ago-2016
Citação: MONTEIRO, Michelly Nóbrega. Gestação: uma perspectiva sobre sexualidade e desfechos obstétricos desfavoráveis relacionados a vulvovaginites. 2016. 83f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Resumo: The Postgraduate Program in Health Sciences of the Federal University of Rio Grande do Norte is a multidisciplinary proposal where we have the opportunity to exchange ideas, and to know experiences and receive contributions from several professionals of the area, including disciplines that expand our field of vision. The objectives of this study were to evaluate the sexual behavior and the prevalence of vulvovaginitis during pregnancy, the efficacy of the available diagnostic methods and the risk of perinatal complications. A prospective observational study conducted between October 2014 and July 2015, with vaginal material collected from 225 women between 26 and 34 weeks' gestation, and in these samples, the samples were microbiologically fresh and stained by Gram, Papanicolau, culture, amine test and vaginal pH measurement. In these patients, the FSFI (Female Sexual Function Index) questionnaire was applied to assess the female sexual response. Initially, the univariate analysis of the sample was done. Absolute and relative quantitative and categorical variables were described. The domains averages according to the risk of sexual dysfunction (FSFI ≤26.5) were compared by the T test for independent samples. The magnitude of the association between sexual dysfunction and all sociodemographic, clinical, and behavioral variables was measured by the chi-square test (χ2) and Fisher's exact test. From this perspective, the Relative Risks and their respective confidence intervals were evaluated for the bivariate analysis. Values of p less than 0.05 were considered significant. As a result, approximately two-thirds of the pregnant women studied (66.7%) presented a risk of sexual dysfunction (FSFI≤26.5). FSFI ≤26.5 (i.e., indicator of sexual dysfunction) was statistically significant (p <0.001) in all components (desire, excitation, lubrication, orgasm, satisfaction, and pain). In relation to the areas of the FSFI, it was found that the lowest means observed were desire (2.67), satisfaction (2.71) and excitation (2.78). The presence of Bacterial Vaginosis (p = 0.001, RR 3,542) and Trichomoniasis (p = 0.010; RR 2,577) was associated with preterm labor (p = 0.001; RR 2,897) and fetal birth weight below 2,500g p value = 0.001, RR 2,175). Bacterial Vaginosis and Trichomoniasis appears to have had an adverse fetal outcome (preterm delivery and fetal low birth weight).
metadata.dc.description.resumo: O Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte constitui uma proposta multidisciplinar onde temos a oportunidade de trocar ideias, e conhecer experiências e receber contribuições de diversos profissionais da área, incluindo disciplinas que ampliam o nosso campo de visão. Os objetivos deste trabalho foram avaliar o comportamento sexual e a prevalência de vulvovaginites na gestação, eficácia dos métodos diagnósticos disponíveis e risco de complicações perinatais. Um estudo observacional prospectivo realizado entre outubro de 2014 e julho de 2015, com material vaginal coletado de 225 mulheres entre 26 e 34 semanas de gestação foi, e nestas amostras, feitos exames microbiológico a fresco e corado pelo Gram, Papanicolau, cultura, teste das aminas e mensuração do pH vaginal. Nestas pacientes foi aplicado o questionário FSFI (Female Sexual Function Index) para avaliação da resposta sexual feminina. Inicialmente, a análise uni variada da amostra foi feita. Variáveis quantitativas e categóricas absolutas e relativas foram descritas. As médias dos domínios de acordo com o risco de disfunção sexual (FSFI≤26,5) foram comparadas pelo teste T para amostras independentes. A magnitude da associação entre disfunção sexual e todas as variáveis sociodemográficas, clínicas e comportamentais foram mensuradas pelo teste do qui-quadrado (χ2) e exato de Fisher. Foram aferidos os Riscos Relativos e seus respectivos intervalos de confiança para a análise bivariada. Foram considerados significativos os valores de p inferiores a 0,05. Como resultados, aproximadamente dois terços das gestantes estudadas (66,7%) apresentaram risco de disfunção sexual (FSFI≤26,5). Analisando o desfecho disfunção sexual em função dos domínios, o FSFI≤26,5 (ou seja, indicador de disfunção sexual) foi estatisticamente significativo (p<0,001) em todos os componentes (desejo, excitação, lubrificação, orgasmo, satisfação, e dor). Em relação aos domínios do FSFI, constatou-se que as médias mais baixas observadas foram em desejo (2,67), satisfação (2,71) e excitação (2,78). A presença de Vaginose Bacteriana (p=0,001; RR 3,542) e Tricomoníase (p=0,010; RR 2,577) foi associada a trabalho de parto pré-tremo (p=0,001; RR 2,897) e peso fetal ao nascer inferior a 2.500g (p valor=0,001; RR 2,175). Vaginose Bacteriana e Tricomoníase parece ter tido relação com desfecho obstétrico desfavorável (parto prematuro e fetos com baixo peso ao nascer).
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/24195
Aparece nas coleções:PPGCSA - Mestrado em Ciências da Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
MichellyNobregaMonteiro_DISSERT.pdf1,8 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.