Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/24334
Título: Efeito da associação de laserterapia e própolis na cicatrização de feridas em ratos diabéticos
Autor(es): Barreto, Mardem Portela e Vasconcelos
Palavras-chave: Diabetes mellitus;Cicatrização;Laser;Própolis verde
Data do documento: 31-Jul-2017
Citação: BARRETO, Mardem Portela e Vasconcelos. Efeito da associação de laserterapia e própolis na cicatrização de feridas em ratos diabéticos. 2017. 66f. Dissertação (Mestrado em Biologia Estrutural e Funcional) - Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.
Resumo: Diabetes mellitus causes a number of systemic complications, including delay in the healing process. Several therapeutic alternatives have been tested in in vitro and in vivo studies in order to promote improvement in the process of wound repair in diabetic animals and individuals. The aim of the present study was to evaluate the effect of the association of low intensity laser therapy and topical administration of green propolis in cutaneous wounds model in rats with streptozotocin-induced diabetes. Ninety animals were allocated in the following groups: (N) normoglycemic (not induced), without therapy; (C) diabetic control, without therapy; (L) undergoing low intensity laser therapy (660 nm, 30 mW, 4 J/cm2); (P) submitted to topical administration of green propolis (30% alcoholic extract); and (LP) submitted to the combination of laser therapy and topical administration of green propolis. Therapeutic procedures were performed every 24 hours for 6 days. The surgical areas were photographed to evaluate the wound closure area. At intervals of 7, 14 and 21 days, the animals were submitted to euthanasia and subsequent removal of the wound area. The specimens were fixed, routinely processed, and embedded in paraffin and the slides obtained were stained by H/E and Picrosirius red for evaluation of re-epithelization, intensity of inflammatory infiltrate, and formation and organization of collagen, and also submitted to immunostaining for FGF-2 and VEGF. The quantitative data were submitted to non-parametric statistical tests, with a 95% confidence interval. The macroscopic evaluation of the wound area showed that the three groups submitted to treatment (L, P, and LP) showed an acceleration of wound retraction in relation to group C (p <0.001) from the 3rd to the 14th day, with results similar to group N. The LP group presented a better result in relation to the others (p <0.05) from the 5th day onwards. Histological analysis showed that the treated groups exhibited higher rates of re-epithelialization, especially in the L and LP groups, as well as lower inflammation rates, especially in the LP and P groups. Regarding the collagen I/III ratio, it was observed on the 7th day higher values in the LP group compared to the C group (p <0.05), similar to the N group. On the 14th day, the L group presented the highest proportion of the treated groups, resembling to the results of group N and with statistical difference for the other experimental groups (p <0.01). There was no difference in the collagen I/III ratio among the groups at the 21-day interval. The three treated groups (L, P, and LP) exhibited lower expression of FGF-2 and VEGF compared to N and C groups, especially the LP group (p <0.05). Taken together, the results of the present study allow us to conclude that the association of laser therapy with the topical application of propolis improves the cutaneous wound repair in the animal model of diabetes studied.
metadata.dc.description.resumo: O diabetes mellitus causa uma série de complicações sistêmicas, incluindo o retardo no processo de cicatrização. Diversas alternativas terapêuticas têm sido testadas em estudos in vitro e in vivo para promover melhora no processo de reparo de feridas em animais e indivíduos diabéticos. O objetivo do presente estudo foi avaliar o efeito da associação da laserterapia de baixa intensidade com a administração tópica de própolis verde em feridas cutâneas em ratos com diabetes induzida por estreptozotocina. Foram utilizados 90 animais, alocados nos seguintes grupos: (N) normoglicêmicos (sem indução), sem terapia; (C) controle diabético, sem terapia; (L) submetidos à laserterapia de baixa intensidade (660 nm, 30 mW, 4 J/cm2); (P) submetidos à administração tópica de própolis verde (extrato alcoólico a 30%); e (LP) submetidos à combinação de laserterapia com administração tópica de própolis verde. Os procedimentos terapêuticos foram realizados a cada 24 horas, por 6 dias. As áreas cirúrgicas foram fotografadas em dias intercalados, para avaliação da área de fechamento da ferida. Nos intervalos de 7, 14 e 21 dias parte dos animais foi submetida à eutanásia e posterior remoção da área da ferida. Os espécimes foram fixados, processados rotineiramente e incluídos em parafina e as lâminas obtidas foram coradas por H/E e Picrosirius red, para avaliação da reepitelização, intensidade do infiltrado inflamatório e formação e organização de colágeno, além da imunomarcação para FGF-2 e VEGF. Os dados quantitativos foram submetidos a testes estatísticos não paramétricos, com intervalo de confiança de 95%. A avaliação macroscópica da área da ferida mostrou que os três grupos tratados (L, P e LP) exibiram uma aceleração da retração da ferida em relação ao grupo C (p<0,001) a partir do 3º até o 14º dia, com resultado semelhante ao grupo N. O grupo LP apresentou um melhor resultado em relação aos demais (p<0,05) a partir do 5º dia. A análise histológica mostrou que os grupos tratados exibiram maiores índices de reepitelização, especialmente nos grupos L e LP, e também menores índices de inflamação, com destaque para os grupos LP e P. Com relação à proporção colágeno I/III observou-se no 7ª dia valores maiores no grupo LP em relação ao grupo C (p<0.05), assemelhando-se ao grupo N. No 14º dia o grupo L apresentou a maior proporção dos grupos tratados, aproximando-se dos resultados do grupo N e com diferença estatística para os demais grupos experimentais (p<0,01). Não houve diferença na proporção colágeno I/III entre os grupos no intervalo de 21 dias. Os três grupos tratados exibiram menor expressão de FGF-2 e VEGF em comparação com os grupos N e C, especialmente o grupo LP (p<0,05). Em conjunto, os resultados do presente trabalho permitem concluir que a associação da laserterapia com a aplicação tópica de própolis acelera o processo e a qualidade do reparo no modelo animal de diabetes estudado.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/24334
Aparece nas coleções:PGBIOEF - Mestrado em Biologia Estrutural e Funcional

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
MardemPortelaEVasconcelosBarreto_DISSERT.pdf1,53 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.