Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/24398
Title: Níveis de hipocretina-1 no líquido cefalorraquidiano de ratos tratados com antidepressivos e em um modelo animal de depressão
Other Titles: Levels of hypocretin-1 in cerebrospinal fluid of rats treated with antidepressants and in an animal model of depression
Authors: Pontes, Josy Carolina Covan
Keywords: Depressão;Imipramina;Líquido cefalorraquidiano;Antidepressivos;Depression;Imipramine;Cerebrospinal fluid;Antidepressive agents
Issue Date: 1-Jan-2008
Publisher: Universidade Federal de São Paulo
Citation: PONTES, Josy Carolina Covan. Níveis de hipocretina-1 no líquido cefalorraquidiano de ratos tratados com antidepressivos e em um modelo animal de depressão. 2008. 108 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2008.
Portuguese Abstract: O papel fisiológico das hipocretinas no ciclo sono-vigília e principalmente na manutenção da vigília é bem estabelecido, assim como o seu envolvimento na fisiopatologia da narcolepsia. Pacientes narcolépticos com baixos níveis de hipocretina exibem depressão clínica e os pacientes com depressão maior apresentam diversas alterações na arquitetura do sono. Devido a essas evidências clínicas e ao possível efeito antidepressivo desses neuropeptídeos em ratos privados de sono REM, o objetivo desse estudo foi observar se há alterações nos níveis de hipocretina-1 no estado depressivo induzido num modelo animal e após o tratamento com drogas antidepressivas. Foram usados ratos da linhagem Wistar com 3 meses de idade e realizados dois experimentos: no primeiro, os animais foram tratados durante 21 dias com drogas antidepressivas (fluoxetina e imipramina) e no segundo os animais foram submetidos a um protocolo de estresse brando crônico utilizado como modelo animal de depressão e tratados com o antidepressivo tricíclico imipramina. No primeiro experimento observamos que somente os animais tratados com imipramina tiveram os níveis de hipocretina-1 aumentados. No segundo experimento, os animais submetidos ao modelo animal de depressão apresentaram níveis mais baixos de hipocretina, os quais aumentaram após tratamento com imipramina. Esses resultados sugerem que o sistema hipocretinérgico pode ser um dos fatores envolvidos na fisiopatologia da depressão e que drogas agonistas de hipocretina podem ter efeito antidepressivo.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/24398
Appears in Collections:ICe - Dissertações e Teses defendidas em outras Instituições

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Josy_Pontes_Dissertação_2008.pdfJosy_Pontes_Dissertação_2008769,78 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons