Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/24464
Título: Oxidação eletroquímica para o tratamento da água produzida proveniente da indústria petroquímica da região Nordeste do Brasil
Autor(es): Melo, Jaqueline Ferreira de
Palavras-chave: Compostos orgânicos;Oxidação eletroquímica;Água produzida real;Lactuca sativa
Data do documento: 16-Out-2017
Citação: MELO, Jaqueline Ferreira de. Oxidação eletroquímica para o tratamento da água produzida proveniente da indústria petroquímica da região Nordeste do Brasil. 2017. 70f. Dissertação (Mestrado em Ciência e Engenharia de Petróleo) - Centro de Ciências Exatas e da Terra, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.
metadata.dc.description.resumo: Diferentes metodologias são investigadas para a remoção dos poluentes presente na água produzida proveniente da exploração de petróleo, a fim de diminuir o impacto ambiental. Nos últimos anos uma atenção especial tem sido dada para as tecnologias eletroquímicas. Neste trabalho foi empregada a oxidação eletroquímica indireta em dois efluentes reais provenientes da indústria do petróleo situada no Estado do Rio Grande do Norte. Os experimentos foram realizado em sistemas em batelada e fluxo com os eletrodos de Óxido de Rutênio (Ti/Ru0.3Ti0.7O2), Platina suportada em Titânio (Ti/Pt) e Diamante Dopado com Boro (BDD - sigla em inglês) e como cátodo o Titânio (Ti), aplicando diferente densidades de corrente (15 mA cm-2 e 45 mA cm-2). Para análise da adequação do tratamento eletroquímico foi verificado o decaimento da demanda química de oxigênio (DQO), através de suas concentrações ao fim do tratamento. De acordo com os resultados obtidos para os sistemas em batelada, a remoção DQO foi aproximadamente 42% com consumo energético de 115 KWhm-3 e 52% com 86 KWhm-3 consumidos usando BDD e Ti/Pt respectivamente, nessas condições o ânodo de Ti/Ru0.3Ti0.7O2 mostrou a melhor eficiência de degradação com 85% de remoção da matéria orgânica e menor consumo energético 70 KWhm-3, o comportamento mais eficiente desse eletrodo foi correlacionado a evolução das espécies oxidativas cloradas (, , ) no ânodo durante o tratamento. Quando efluentes reais foram submetidos ao tratamento eletroquímico em célula de fluxo os melhores resultados foram obtidos com o ânodo de BDD já na menor densidade de corrente aplicada, com valores de mineralização próximos da totalidade e consumo energético de 66 KWhm-3. A toxicidade dos efluentes tratados foi estimada por meio do cultivo da Lactuca Sativa a fim de avaliar o possível reuso do efluente após tratamento, o qual se mostrou efetivo quando analisado o fator de germinação para o efluente tratado com ambos os ânodos em condições de fluxo com desenvolvimento do caule mais expressivo se comparado à amostra de referência para o ânodo de Ti/Ru0.3Ti0.7O2. Nos sistemas em batelada a carga orgânica e a produção de oxidantes ao final da desinfecção eletroquímica inibiram a germinação da Lactuca sativa, o qual foi atribuído aos oxidantes remanescentes no efluente tratado, evitando a germinação devido ao ataque dos oxidantes das paredes celulares das sementes de alface. Os resultados indicam a eficiência do método para remoção dos compostos orgânicos confirmando a aplicabilidade para os efluentes estudados.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/24464
Aparece nas coleções:PPGCEP - Mestrado em Ciência e Engenharia do Petróleo

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
JaquelineFerreiraDeMelo_DISSERT.pdf1,61 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.