Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/24473
Título: O papel das Áreas de Proteção Ambiental (APAs) na conservação da biodiversidade brasileira
Autor(es): Magalhães, Daniel Rodrigo de Macêdo
Palavras-chave: Áreas protegidas;Área de proteção ambiental;Gestão;Cobertura do solo;Categorias de áreas protegidas;Unidades de conservação
Data do documento: 24-Nov-2017
Citação: MAGALHÃES, Daniel Rodrigo de Macêdo. O papel das Áreas de Proteção Ambiental (APAs) na conservação da biodiversidade brasileira. 2017. 63f. Dissertação (Mestrado em Ecologia) - Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.
Resumo: Protected Areas are the main strategy to protected biodiversity. Protected Areas are not equal and vary in their management objectives and level of human occupation. Brazil has 12 protected area's categories. Among those, "Environment Protected Area" (EPA, Category V in IUCN Classification), is the one with least restriction to human activity. This category has many critics, that argue EPAs should not be account as Protected Areas, as has defenders who argue that EPA belong to a “New Paradigm” of Protected Areas, aimed to reconcile biodiversity conservation and human development. EPAs has special importance because it covers a third of the protected land, and more than 60% on biomes such as Atlantic Forest, Cerrado, Caatinga and Pampa, and more than 80% of all marine protected areas in Brazil. Therefore, understand the implementation, land cover and management patterns is crucial for Brazilian biodiversity conservation. We find lower levels of human activity within EPAs when compared with biome and in areas without protection (protected areas and indigenous areas) within biome. Nonetheless, we found about 7 million people live inside EPA and that in 2016, Amazon biome was the only biome with more than 50% of forest land cover. We find that if we do not account for the area with anthropogenic use inside EPA, the total area covered by protected area in Brazil would go from 17,6% to 12,8%. We also found that only 18% of EPA had a "management plan" and 45% had a "management council". Lastly, we recommend starting a discussion about specific management and support mechanism to the EPA category.
metadata.dc.description.resumo: As Áreas Protegidas (AP) são a principal estratégia de conservação da biodiversidade. Entretanto, as áreas protegidas são diferentes e variam, entre outras coisas, em seu objetivo de criação e grau de ocupação humana. O Brasil possuí 12 categorias de unidades de conservação. Dentre elas, as Áreas de Proteção Ambiental (APA, categoria V na classificação da IUCN) é a categoria com menores restrições ao uso. Essa categoria atrai críticos que afirmam que as APAs nem deveriam ser consideradas APs, e defensores, que afirmam que as APAs pertencem a um “novo paradigma” em APs, que busca conciliar a proteção da biodiversidade com o desenvolvimento humano. As APAs abrangem quase um terço das APs brasileiras, sendo mais de 60% da área total protegida de biomas como a Mata Atlântica, Caatinga, Cerrado e Pampa, além de representarem mais de 80% da área protegida marinha. Nesse trabalho nós buscamos entender os padrões de criação, ocupação, dinâmica da cobertura do solo e gestão dessas áreas. Nós observamos que os níveis de antropização dentro das APAs são proporcionalmente menores que nos biomas, principalmente quando desconsiderada a área das demais UCs e Terras Indígenas. Mesmo assim, nós constatamos que cerca de 7 milhões de pessoas vivem em APAs, e que em 2016, a Amazônia era o único bioma em que a cobertura de floresta dentro das APAs era superior a 50%. De acordo com nossas estimativas, desconsiderar as áreas antropizadas no interior das APAs, da área total coberta por Unidades de Conservação no Brasil, faria o país passar de um total de 17,6% de área protegida para 12,8%. Além disso, encontramos que apenas 18% das APAs possuem Plano de Manejo e 45% possuem Conselho Gestor. Por fim, nós recomendamos que seja aberta uma discussão sobre a criação de mecanismos de apoio à gestão especificamente para a categoria APA.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/24473
Aparece nas coleções:PPGE - Mestrado em Ecologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
DanielRodrigoDeMacedoMagalhaes_DISSERT.pdf4,06 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.