Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/24508
Título: Tectônica e sedimentação neogênica-quaternária na planície literânea do Rio Assu, Bacia Potiguar
Título(s) alternativo(s): Neogene - quaternary tectonics and sedimentation in the coastal plain of the Assu River, Potiguar Basin
Autor(es): Barbosa, Maria Emanuella Firmino
Palavras-chave: Transgressão holocênica;Neotectônica;Beachrock;Variação do nível do mar
Data do documento: 28-Ago-2017
Referência: BARBOSA, Maria Emanuella Firmino. Tectônica e sedimentação neogênica-quaternária na planície literânea do Rio Assu, Bacia Potiguar. 2017. 202f. Tese (Doutorado em Geodinâmica e Geofísica) - Centro de Ciências Exatas e da Terra, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.
Abstract: A detailed geomorphological survey using Light Detection and Ranging was carried out along the western part of Assu River, NE, Brazil. The study was complemented by a series of shallow boreholes, sediment benthic foraminifera indicators, as well as radiocarbon and optically stimulated luminescence dating and permitted to reconstruct the evolution of this area from the late Pleistocene until the present. The shallow embayment, which is now completely infilled formed within the limits of antecedent morphology developed since the last interglacial. The main forcing factors responsible for repositioning of the shoreline, which ran at an angle of ca. 35% to the present coast in Early/mid Holocene were: (1) tectonic activity along Afonso Bezerra a strike-slip fault line which defines the horst-graben structure of Mel dome, (2) fast inundation of the shallow paleovalley embayment during the last pulse of Holocene transgression ca. 7500 cal BP, and (3) fast progradation of the Assu estuary through accretion of coastal drift and fluvial sediments.
Resumo: Uma pesquisa geomorfológica detalhada usando Light Detection and Ranging (LIDAR) foi realizada ao longo da parte ocidental do rio Assu, estado do Rio Grande do Norte, Brasil. O estudo foi complementado por uma série de sondagens com trado, indicadores de foraminíferos bentônicos de sedimentos, bem como datação por Optically Stimulated Luminescence (OSL) e por Radiocarbono (C14). Esses dados permitiram reconstruir a evolução desta área desde o Pleistoceno tardio até o presente. O baía rasa, que agora está completamente preenchido formado dentro dos limites da morfologia antecedente desenvolvida desde a última interglacial. Os principais fatores forçadores responsáveis pelo reposicionamento do litoral, que correu em um ângulo de ca. 35% para a costa atual no Pre Holoceno e Médio Holoceno foram: (1) atividade tectônica ao longo da linha de falha de Afonso Bezerra, define a estrutura de horst-graben da Serra do Mel, (2) inundação rápida da baía do paleovale raso durante a Último pulso da transgressão do Holoceno ca. 7500 cal BP e (3) progradação rápida do estuário do rio Assu através da acumulação de sedimentos costeiros e sedimentos fluviais.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/24508
Aparece nas coleções:PPGG - Doutorado em Geodinâmica e Geofísica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
MariaEmanuellaFirminoBarbosa_TESE.pdf16,68 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.