Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/24815
Título: Atenção?! Pare?! A mobilidade por bicicleta e a relação ambiente urbano - normas de trânsito
Autor(es): Mascarenhas, Guilherme Paim
Palavras-chave: Mobilidade;Bicicleta;Psicologia ecológica;Behavior settings;Mapeamento comportamental
Data do documento: 21-Ago-2017
Citação: MASCARENHAS, Guilherme Paim. Atenção?! Pare?! A mobilidade por bicicleta e a relação ambiente urbano - normas de trânsito. 2017. 111f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.
Resumo: Although usually associated with means of transport, mobility is a fundamental characteristic of human life and may be expressed in many ways. Human movement through spaces is one of the possible ways of mobility, which changed since the advent of the automobile. While cities made room for cars, the automobile industry, facing a bad reputation in the early 1920s, both introduced the idea of reckless pedestrian and naturalized traffic accidents. The use of bicycle does not escape such logic, which blames the most vulnerable individuals. Given this scenario, the general objective of this study is to investigate the relationship between bicycle users and the environmental and normative aspects of urban traffic. The present work has an exploratory character and applied different techniques of data production due to the complexity of the object, in two stages: 1) place-centered behavioral mapping; 2) person-centered behavioral mapping and interview based on video recordings. The data revealed some forms of relationship: compulsory or optional use of helmet, discourses about the traffic code, body language during cycling and behaviors that do not follow the standards. The results demonstrated that the traffic environments make cyclists adopt movements that sometimes oppose the Brazilian Traffic Code.
metadata.dc.description.resumo: Embora normalmente associada a meios de transporte, a mobilidade é uma característica fundamental da vida do ser humano e pode ser expressa de diversas maneiras. A circulação humana pelos espaços é uma das possibilidades de mobilidade, que mudou desde o advento do automóvel. Enquanto as cidades criaram espaços para os carros, a indústria automotiva, que enfrentava uma péssima reputação no início dos anos 20, tanto introduziu a ideia do pedestre imprudente quanto naturalizou os acidentes de trânsito. O uso da bicicleta não escapa desta lógica, que responsabiliza os mais vulneráveis. Diante deste cenário, o objetivo geral deste estudo é investigar a relação dos usuários de bicicleta com os aspectos ambientais e normativos do trânsito urbano. O presente trabalho possui caráter exploratório e aplicou diferentes técnicas de produção de dados devido à complexidade do objeto, em duas etapas: 1) mapeamento comportamental centrado no lugar; 2) o mapeamento comportamental centrado na pessoa e a entrevista com base em vídeos. Os dados revelaram algumas das formas de relação: uso obrigatório ou opcional do capacete, discursos sobre o código de trânsito, linguagem corporal durante o ciclismo e os comportamentos que não seguiram os padrões. Os resultados demonstraram que os ambientes do trânsito fazem com que os ciclistas adotem movimentos que, por vezes, vão de encontro ao Código de Trânsito Brasileiro.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/24815
Aparece nas coleções:PPGPSI - Mestrado em Psicologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
GuilhermePaimMascarenhas_DISSERT.pdf2,88 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.