Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25047
Título: A nostalgia da forma poética do romance: alegorização barroca e tradição retórica n'O Ateneu de Raul Pompéia
Autor(es): Araújo, Francisco Magno Silva de
Palavras-chave: Teoria da literatura;Literatura brasileira;“O Ateneu”, de Raul Pompéia;Barroco e modernidade;Prosa poética;Crítica e interpretação;Ensaio
Data do documento: 20-Fev-2017
Citação: ARAÚJO, Francisco Magno Silva de. A nostalgia da forma poética do romance: alegorização barroca e tradição retórica n'O Ateneu de Raul Pompéia. 2017. 212f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.
Resumo: The present study proposes to analyze the stylistic primacy of Raul Pompéia’s O Ateneu (1888), seeking to show it as a novel that elects poetry as the creative material, making of it one of the most significant works within the Brazilian literary panorama. Along with a broad re-reading of the pertinent bibliography, which starts from the review of the book's critical fortune in correspondence with the reception theory, it seeks to show the mechanics of Sérgio's "chronic of homesickness" through three procedures: first, as an allegorical transposition of reality into the fable; second, as a poetic meta-language updated in the form of the novel; and, finally, as baroque recycling of old rhetorical codes in modern fictional prose.
metadata.dc.description.resumo: O presente estudo propõe analisar a primazia estilística d’O Ateneu (1888) de Raul Pompéia, buscando mostrá-lo como romance que elege a poesia como matéria de criação, motivo pelo qual se revela uma das obras mais modernas da Literatura Brasileira. A par de ampla releitura da bibliografia pertinente, que parte da revisão da fortuna crítica do livro em correspondência com a teoria da recepção, busca-se mostrar a mecânica da “crônica de saudades” de Sérgio por meio de três procedimentos: primeiro, como transposição alegórica da realidade para a fábula; segundo, como metalinguagem poética atualizada na forma do romance; e, por fim, como reciclagem barroca de antigos códigos retóricos na moderna prosa de ficção.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25047
Aparece nas coleções:PPGEL - Doutorado em Estudos da Linguagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
FranciscoMagnoSilvaDeAraujo_TESE.pdf1,67 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.