Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25231
Title: Juventude em Rio Branco no Acre: trabalho e estrutura de oportunidades na Cidade-Floresta
Other Titles: Youth in Rio Branco in Acre: work and opportunity structure in the City-Forest
Authors: Assis, Márcia Meireles de
Keywords: Juventude;Trabalho;Segmentações sociais;Estratura de oportunidades;Sustentabilidade urbana;Cidade sustentável;Cidade socioambiental;Cidade para o aprendizado
Issue Date: 9-Apr-2010
Citation: ASSIS, Márcia Meireles de. Juventude em Rio Branco no Acre: trabalho e estrutura de oportunidades na Cidade-Floresta. 2010. 263f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2010.
Portuguese Abstract: Esta tese tem por objetivo verificar nas novas gerações, formas de inserção na economia urbana de Rio Branco no Acre. Sob contextos sócio-históricos diferenciados, considerou-se as histórias de trabalho de duas gerações, uma, proveniente da floresta, e outra, proveniente da cidade. Estes jovens são remanescentes de famílias sermgueiras e moradores da periferia de Rio Branco. Suas experiências de trabalho advêm de um novo contexto urbano, o qual passa por transformações consideráveis. Em consonância a isto, buscou-se investigar as mudanças sócio-espaciais de Rio Branco - uma cidade que advinda do seringai - entrever contemporaneamente mudanças visando efetivar novas escritas de cidade nesta parte da Amazónia. No Acre, é principalmente a partir da década de 1970 que as questões de sobrevivência e reprodução social começam a atingir amplos segmentos de famílias seringueiras advindas dos seringais falidos pelo declínio da economia da borracha. Emerge dessa relação entre cidade e floresta uma nova forma de gerir a cidade atual, bem como, a inserção da juventude neste urbano em associação ás necessidades ambientais do planeta. Mediados pelas praticas sociais de um passado recente, as novas gerações herdam o legado de uma floresta em pé. No entanto, as perspectivas em poderem acionar trabalho por meio desta floresta, são ainda, pouco visíveis para o jovem inserido neste urbano, que por enquanto, conta apenas com o "chão da cidade" para empreender suas formas de sobrevivência e emprego. A pesquisa insere-se no campo dos estudos da juventude e da memória social considerando-se a geração precedente, em relação às suas inter-relações com as atuais pelo trabalho, pela escola e pela moradia. Assim, além das mudanças na construção de uma "nova" condição juvenil nesta sociedade evidencia-se também, mudanças nas formas de gerir o desenvolvimento em nível local, tendo em vista, o legado das práticas sociais locais em manter seu aporte de floresta ramo a uma cidade que possa ser sócio-ambientalmente mais justa, fato que, para o ambiente sócio-histórico de Rio Branco, é algo que resvala ainda em limites e desafios, visando efetivar a cidade da promessa. Do ponto de vista teórico, parte das análises das categorias juventude e trabalho e se utiliza das noções de Segmentações Sociais e Estmtura de Oportunidades de R. Kaztman, e de Inserção Aleatória de Dubar para a análise das entrevistas, além dos conceitos de Rémy sobre aldeia não urbanizada e cidade urbanizada, na compreensão das principais mudanças que Rio Branco experimenta. Utiliza-se da metodologia qualitativa baseada em entrevistas abertas e em profundidade, a partir de um roteiro semidhetivo. O trabalho de campo desenvolveu-se entre os anos de 2008 e 2009, quando foram entrevistados 35 jovens e 12 pais seringueiros acerca de suas trajetórias de trabalho. A idade dos jovens variou entre 13 e 29 anos e dos pais entre 37 e 76 anos. Partindo das narrativas juvenis evidencia-se uma inserção em descompasso nas trajetórias de trabalho e escola para estes jovens em meio às lutas empreendidas pelas ações de governo visando aplicar sustentabilidade urbana nesta cidade que intenta promover novas escritas de si no decurso deste chão amazônico.
Abstract: This thesis aims at studying the new generations, forms of integration in the urban area of Rio Branco in Acre. Under socio-historical contexts differentiated, it was the stories of two generations of work, one coming from the forest, and another from the city. These young families are remnants of trees and residents on the outskirts of Rio Branco. His work experiences come from a new urban context, which xmdergoes considerable changes. In accordance to this, we attempted to investigate the socio-spatial changes of Rio Branco - a city that comes from the plantation - a glimpse contemporaneously efifect changes for new writings in this city of the Amazon. In Acre, is mainly from the 1970s that the issues of survival and social reproduction are reaching large segments of families arísing fix)m rubber plantations failed by the decline of the rubber. Emerges from this relationship between city and forest a new way to manage the current city, as well as the inclusion of youth in urban environmental association to the needs of the planet. Mediated by social practices of the recent past, new generations inherit the legacy of a standing forest. However, the outlook could trigger work through this forest, are still barely visible to the couple belongs to this city, which for now has only "the ground of the city" to carry out their ways of survival and employment. The research is part of the field of youth studies and social memory considering the previous generation, in relation to their inter-relations with the current work, at school and at home. Thus, in addition to changes in the construction of a "new" condition of youth in society is evident also changes in ways of managing development at the local levei, in order, the legacy of local practices and to maintain their contribution towards forest a city that can be socially and environmentally more just the fact that, for the socio-historical Rio Branco, is something tiiat slips still limitations and challenges in order to accomplish the city of promise. From the theoretical point of view, part of the analysis of categories and youth work and uses the concepts of Segmentations Social Structure and Opportunities R. Kaztman and Insert Random Dubar for the analysis of the interviews on the concept of Rémy village on undeveloped land and urbanized city in the understanding of the key changes that Rio Branco experience. We use the qualitative methodolo©? based on open interviews and in depth, from a semi-directive. The field developed between the years 2008 and 2009, when 35 people were interviewed and 12 rubber parents about their past work. The young age ranged from 13 to 29 years and parents between 37 and 76 years. Using the narrativos youth is evident in a gap insertion in the trajectories of work and school for these young people in the midst of the struggles undertaken by govemment actions aimed at implementing urban sustainability in this city that tries to promote new writing of himself in the course of the Amazon floor.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25231
Appears in Collections:PPGCS - Doutorado em Ciências Sociais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
JuventudeRioBranco_Assis_2010.pdf237.16 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.