Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25325
Title: Relação entre mastócitos e e-caderina em ceratocistos odontogênicos e cistos radiculares
Authors: Pinheiro, Juliana Campos
Keywords: Ceratocisto odontogênico;Cisto radicular;Mastócitos;E-caderina
Issue Date: 27-Feb-2018
Citation: PINHEIRO, Juliana Campos. Relação entre mastócitos e e-caderina em ceratocistos odontogênicos e cistos radiculares. 2018. 103f. Dissertação (Mestrado em Patologia Oral) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.
Portuguese Abstract: Os mastócitos são células secretoras que liberam diferentes mediadores químicos, dentre eles a triptase, participando tanto de estímulos fisiológicos quanto patológicos. A Ecaderina é um elemento da família das caderinas conhecida por desempenhar um papel importante na regulação da adesão intercelular em tecidos epiteliais. O presente estudo se propôs a avaliar a relação entre mastócitos e a expressão da E-caderina em ceratocistos odontogênicos e cistos radiculares. A avaliação imuno-histoquímica da triptase consistiu na quantificação de mastócitos degranulados e não degranulados em 15 campos, sendo 5 no tecido epitelial, 5 no tecido conjuntivo superficial e 5 campos no tecido conjuntivo profundo. A avaliação da E-caderina foi realizada de forma semi-quantitativa, utilizando os escores: 1 (0 a 50%) e 2 (>50%), sendo observado também o padrão de imunorreatividade celular (membranar, citoplasmática, membranar e citoplasmática) além da verificação do tamanho das lesões a partir da coleta de dados nas fichas clínicas dos pacientes. A análise das lesões císticas estudadas revelou maior média total de mastócitos nos cistos radiculares, quando comparados aos ceratocistos odontogênicos (IC 95%). No que diz respeito a quantidade de mastócitos no componente epitelial, verificou-se maior mediana nos cistos radiculares em relação aos ceratocistos odontogênicos, já no tecido conjuntivo constatou-se que os ceratocistos odontogênicos apresentaram a maior mediana. Ao verificar a densidade de mastócitos degranulados e não degranulados através do teste não paramétrico de Kruskal-Wallis, constatou-se que as maiores concentrações estavam relacionadas a mastócitos degranulados no epitélio de cistos radiculares (KW=30,343; p=0,000), sendo que nos ceratocistos odontogênicos as maiores densidades desses tipos celulares degranulados foram encontrados no tecido conjuntivo (KW=0,092; p=0,762). Ao se examinar a expressão da E-caderina no componente epitelial, observou-se uma similaridade entre as lesões císticas com maior expressão nos ceratocistos odontogênicos (p=0,798) que apresentaram marcação membranar em 63.3% dos casos. Realizando a análise da correlação de Spearman (r) foi observada uma correlação negativa entre a expressão da E-caderina e o número total de mastócitos (r= -0,311; p= 0,016), número de mastócitos degranulados (r= -0,255; p= 0,049) e a localização desses tipos celulares no tecido conjuntivo total e profundo tanto nos cistos radiculares quanto nos ceratocistos odontogênicos. Observou-se também, outra correlação negativa entre os mastócitos intraepiteliais (r= -0,265; p=0,016) e o tamanho das lesões císticas. Diante desses achados, verificamos que a maior concentração de mastócitos nos cistos radiculares confirma a sua natureza inflamatória, destacando a maior quantidade de mastócitos degranulados no componente epitelial, refletindo em menor expressão de e-caderina quando comparados aos ceratocistos odontogênicos, sugerindo desta forma, uma possível atuação da triptase na alteração das junções de adesão e consequente aumento na permeabilidade epitelial. No que diz respeito ao tamanho das lesões, verificou-se que as maiores densidades mastocitárias no componente epitelial foram identificadas em lesões menores, sugerindo uma atuação desses tipos celulares em uma etapa inicial de crescimento das lesões císticas estudadas.
Abstract: Mast cells are secretory cells that release different chemical mediators, among them tryptase, participating in both physiological and pathological stimuli. E-cadherin is an element of the cadherin family known to play an important role in the regulation of intercellular adhesion in epithelial tissues. The present study aimed to evaluate the relationship between mast cells and E-cadherin expression in odontogenic keratocysts and radicular cysts. The immunohistochemical evaluation of tryptase consisted of the quantification of degranulated and non-degranulated mast cells in 15 fields, 5 in the epithelial tissue, 5 in the superficial connective tissue and 5 fields in the deep connective tissue. The evaluation of E-cadherin was performed semi-quantitatively, using the scores: 1 (0 to 50%) and 2 (> 50%), also observing the cellular immunoreactivity pattern (membrane, cytoplasmic, membrane and cytoplasmic) in addition to the verification of the size of the lesions from the data collection in the clinical records of the patients. The analysis of the cystic lesions studied revealed a higher total mean number of mast cells in the radicular cysts when compared to odontogenic keratocysts (95% CIs). With regard to the amount of mast cells in the epithelial component, a higher median was observed in the radicular cysts in relation to odontogenic keratocysts; in the connective tissue, odontogenic keratocysts were the largest median. When verifying the density of degranulated and non-degranulated mast cells through the Kruskal-Wallis non-parametric test, it was found that the highest concentrations were related to degranulated mast cells in the epithelium of radicular cysts (KW = 30,343; p = 0,000). Odontogenic keratocysts the highest densities of these degranulated cell types were found in connective tissue (KW = 0,092; p = 0,762). When examining the expression of E-cadherin in the epithelial component, a similarity was observed between cystic lesions with greater expression in odontogenic keratocysts (p = 0,798), which presented membrane marking in 63.3% of the cases. Spearman's correlation analysis showed a negative correlation between E-cadherin expression and total mast cells (r = -0,311; p = 0,016), number of degranulated mast cells (r = -0,255; p = 0,049) and the location of these cell types in total and deep connective tissue in both radicular cysts and odontogenic keratocysts. There was also another negative correlation between intraepithelial mast cells (r = -0,265; p = 0,016) and cystic lesion size. In view of these findings, we observed that the higher concentration of mast cells in the radicular cysts confirms their inflammatory nature, highlighting the greater amount of degranulated mast cells in the epithelial component, reflecting less e-cadherin expression when compared to odontogenic keratocysts. Possible tryptase activity in the alteration of adhesion joints and consequent increase in epithelial permeability. Regarding the size of the lesions, it was verified that the higher mast cell densities in the epithelial component were identified in smaller lesions, suggesting an action of these cell types in an initial stage of growth of cystic lesions studied.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25325
Appears in Collections:PPGPO- Mestrado em Patologia Oral

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
JulianaCamposPinheiro_DISSERT.pdf3.08 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.