Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25369
Title: Relação entre aptidão cardiorrespiratória e desempenho das funções executivas e atenção sustentada de meninos e meninas de 11-16 anos: um estudo transversal
Other Titles: Relationship between cardiorespiratory fitness, executive functions and sustained attention performance of boys and girls aged 11-16 years: a cross sectional study
Authors: Cabral, Ludmila Lucena Pereira
Keywords: Aptidão física;Neuropsicologia;Cognição;Puberdade
Issue Date: 9-Mar-2018
Citation: CABRAL, Ludmila Lucena Pereira. Relação entre aptidão cardiorrespiratória e desempenho das funções executivas e atenção sustentada de meninos e meninas de 11-16 anos: um estudo transversal. 2018. 106f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.
Portuguese Abstract: Durante a adolescência, as meninas iniciam a maturação puberal mais cedo do que os meninos da mesma faixa etária. Os hormônios sexuais contribuem nas mudanças estruturais e funcionais do cérebro, podendo afetar substancialmente a capacidade cognitiva nesse período. Embora hajam evidências de que a aptidão cardiorrespiratória está positivamente relacionada a capacidade das funções executivas na infância, essa relação na adolescência e sua especificidade do sexo é limitada. Portanto, o objetivo foi analisar a relação entre aptidão cardiorrespiratória e desempenho das funções executivas e atenção sustentada de escolares de 11‒16 anos. Os participantes neste estudo transversal incluíram 57 meninas e 75 meninos, de uma escola privada da cidade de Natal‒RN, Brasil. Cada participante completou um teste de corrida progressivo para determinar o consumo de oxigênio pico (VO2pico), testes computadorizados cognitivos, questionário de sonolência diurna e outros fatores com potencial para influenciar o desempenho físico e cognitivo (idade, estágio puberal e índice de massa corporal). Os resultados são expressos em betas não-padronizados e intervalos de confiança de 95%. Entre as meninas, 73,7% apresentaram uma aptidão cardiorrespiratória na zona de saúde e, entre os meninos, 72%. Após ajustamento para as covariáveis, um maior VO2pico foi associado com melhor desempenho sobre a flexibilidade cognitiva nas meninas, verificado pelas categorias completas (β = 0,174; IC 95% 0,035, 0,314; P = 0,015) e erros persistentes (β = -0,710; IC 95% -1,265, -0,155; P = 0,013) na tarefa de classificação de cartas de Berg. Já nos meninos, um maior VO2pico foi associado com melhor desempenho sobre o planejamento e resolução de problemas, verificado pelo tempo de planejamento na tarefa de torre de Londres (β = -105,7; IC 95% -206,9, -4,5; P = 0,041). Em conclusão, os achados deste estudo transversal sugerem que a relação entre aptidão cardiorrespiratória e funções executivas em escolares de 11-16 anos é específica do sexo. Maiores níveis de aptidão cardiorrespiratória relacionaram-se a melhor desempenho da flexibilidade cognitiva nas meninas, e a melhor desempenho do planejamento e resolução de problemas nos meninos.
Abstract: During adolescence, girls begin pubertal maturity earlier than boys in the same age range. The sexual hormones contribute in structural and functional brain changes, which may substantially affect cognitive capacity in this time period. Even though there are evidences that cardiorespiratory fitness is positively related to executive function capacity in childhood, this relationship in adolescence and its sex specificity is limited. Therefore, the aim of our study was to verify the relationship between cardiorespiratory fitness, executive function and sustained attention performance in schoolchildren aged 11‒16. For this, 57 girls and 75 boys from a private school in the city of Natal, Rio Grande do Norte, Brazil, participated in our study. Each participant completed a progressive running test to determine peak oxygen consumption (VO2peak), computerized cognitive tests and questionnaires for daytime sleepiness as well as other factors that might influence physical and cognitive performance (age, pubertal stage and body mass index). Results are expressed as unstandardized betas and 95% confidence intervals. 73.7% of girls and 72% of boys presented healthy levels of cardiorespiratory fitness. After adjusting for covariates, we found that a higher VO2peak was associated which better performance in cognitive flexibility in girls, which was assessed through categories completed (β = 0.174; 95% CI 0.035, 0.314; P = 0.015) and persistent errors (β = -0.710; 95% CI -1.265, -0.155; P = 0.013) in Berg’s card sorting test. However, in boys, a higher VO2peak was associated with better performance in planning and problem solving, assessed through planning time in the tower of London test (β = -105.7; 95% CI -206.9, -4.5; P = 0.041). In conclusion, the findings in our transversal study suggest that the relationship between cardiorespiratory fitness and executive function in school children aged 11‒16 years is specific to each sex. Higher levels of cardiorespiratory fitness were related to better cognitive flexibility performance in girls, and to the better planning and problem solving performance in boys.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25369
Appears in Collections:PPGEF - Mestrado em Educação Física

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
LudmilaLucenaPereiraCabral_DISSERT.pdf1,82 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.