Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25720
Título: Avaliação de marcadores moleculares em pacientes portadores da doença de Chagas
Autor(es): Silva, Denis Dantas da
Palavras-chave: Doença de Chagas;Trypanosoma cruzi;Formas clínicas;M2-PK;Autoanticorpos;Diagnóstico
Data do documento: 27-Fev-2018
Citação: SILVA, Denis Dantas da. Avaliação de marcadores moleculares em pacientes portadores da doença de Chagas. 2018. 67f. Dissertação (Mestrado em Biologia Parasitária) - Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.
Resumo: Digestive and cardiodigestive forms of Chagas' disease are observed in 2% to 15% of the patients, and the immunopathological mechanisms that induce development remain undefined. In addition, the determination of the esophagus and colon involvement in chagasic patients occurs through invasive and uncomfortable examinations, which in most cases are not performed. With this, the patient evolves to a more severe form of the pathology with worse prognosis. The objective of this work was to evaluate the involvement of the production of anti M2-pyruvate kinase autoantibodies (M2-PK) and the possible association with the development and / or diagnosis of the digestive form of Chagas' disease. The production of total IgG and isotypes (IgG1, IgG2, IgG3, IgG4) was quantified using the epimastigote antigen of Trypanosoma cruzi and the human M2-PK protein by the ELISA technique. The tests were performed with serum of patients with undetermined (n = 30), cardiac (n = 30), digestive (n = 15) and cardiodigestive (n = 15) Chagas disease, and correlated with the degree of dilatation of esophagus and the colon. Serum samples from uninfected individuals (n = 30) were used as controls. Chagas' patients with indeterminate, cardiac, digestive and cardiodigestive clinical forms presented higher production of anti-T cruzi total IgG antibodies and anti-M2-PK autoantibodies compared to uninfected individuals. Interestingly, patients with the digestive form of the disease had a higher production of anti-M2-PK IgG4 autoantibodies compared to patients with the indeterminate, cardiac and healthy control groups. Moreover, a positive correlation was observed between esophageal and colon size with the production of anti M2-PK IgG4 autoantibodies. The results indicate that the detection of anti M2-PK IgG4 autoantibodies is a promising noninvasive method for the diagnosis of digestive system involvement in Chagas' disease and the presence may still be involved in the development of the digestive tract of the disease.
metadata.dc.description.resumo: As formas digestiva e cardiodigestiva da doença de Chagas são observadas em 2% a 15% dos pacientes, e os mecanismos imunopatológicos que induzem o desenvolvimento continuam indefinidos. Ademais, a determinação do acometimento do esôfago e cólon em pacientes chagásicos acontece por meio de exames invasivos e incômodos e que na maioria dos casos não são realizados. Com isso, o paciente pode evoluir para forma mais grave da patologia com pior prognóstico. O objetivo desse trabalho foi avaliar o envolvimento da produção de autoanticorpos anti M2-piruvato quinase (M2-PK) e a possível associação com o desenvolvimento e/ou diagnóstico da forma digestiva da doença de Chagas. A produção de IgG total e isotipos (IgG1, IgG2, IgG3, IgG4) foi quantificada utilizando antígeno de formas epimastigotas do Trypanosoma cruzi e a proteína humana M2-PK por meio da técnica de ELISA. Os testes foram realizados com soro de pacientes portadores das formas indeterminada (n=30), cardíaca (n=30), digestiva (n=15) e cardiodigestiva (n=15) da doença de Chagas, e correlacionada ao grau de dilatação do esôfago e do cólon. Amostras de soro de indivíduos não infectados (n=30) foram utilizadas como controles negativos. Pacientes chagásicos portadores das formas clínicas indeterminada, cardíaca, digestiva e cardiodigestiva apresentaram maior produção de anticorpos IgG total anti-T cruzi e autoanticorpos anti M2-PK, quando comparados aos indivíduos não infectados. De maneira interessante, pacientes com a forma digestiva da doença apresentaram maior produção de autoanticorpos IgG4 anti M2-PK comparado a pacientes com a forma indeterminada, cardíaca e ao grupo controle saudável. Ainda, foi observada correlação positiva entre o tamanho do esôfago e do cólon com a produção de autoanticorpos IgG4 anti M2-PK. Os resultados indicam que a detecção de autoanticorpos IgG4 anti M2-PK é um método promissor não invasivo no diagnóstico do acometimento do sistema digestivo na doença de Chagas e a presença ainda pode estar envolvida no desenvolvimento da forma digestiva da doença.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25720
Aparece nas coleções:PPGBP - Mestrado em Biologia Parasitária

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
AvaliacaoMarcadoresMoleculares_Silva_2018.pdf961,54 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.