Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25907
Título: Efeito inibitório do decocto das folhas de Jatropha gossypiifolia L. contra a toxicidade local e sistêmica da peçonha da serpente Bothrops erythromelas
Título(s) alternativo(s): Inhibitory effect of Jatropha gossypiifolia L. leaves decoction against local and systemic toxicity of Bothrops erythromelas snake venom
Autor(es): Silva, Juliana Félix da
Palavras-chave: Bothrops erythromelas;Serpentes;Atividade antiofídica;Jatropha gossypiifolia;“Pinhão-roxo”;Toxicidade
Data do documento: 28-Jun-2018
Referência: SILVA, Juliana Félix da. Efeito inibitório do decocto das folhas de Jatropha gossypiifolia L. contra a toxicidade local e sistêmica da peçonha da serpente Bothrops erythromelas. 2018. 278f. Tese (Doutorado em Bioquímica) - Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.
Abstract: Bothrops snakes are responsible for about 90% of snakebites in Latin America. Antivenom serum therapy, however, still has low efficacy against local effects, hard access in some regions, in addition to high cost and potential risk of adverse reactions. In this context, the main objective of this work is to contribute with complementary alternatives to antivenom therapy, with emphasis on the species Bothrops erythromelas, which is a snake of epidemiologic relevance in Northeastern Brazil, but that, until this moment, still lacks further studies and that is not included in the antigenic mixture for production of Brazilian bothropic antivenom. For this, two main work fronts were conducted: (1) characterization of the local and systemic toxic effects induced by this venom, in order to better understand its toxicity and thus to develop more effective strategies for its treatment; and (2) evaluation of the effectiveness of Jatropha gossypiifolia leaves decoction against the toxic effects of the venom under study, aiming at its use as raw material for future antiophidic herbal products, which may complement the efficacy of antivenom therapy. Through the experimental envenoming studies in mice, it was observed that B. erythromelas venom produced an intense local inflammatory picture, involving the direct participation of enzymatic components of the venom, as well as endogenous inflammatory mediators, which can be used as therapeutic targets for the treatment of local envenoming. In relation to systemic toxicity, venom produced in mice quite pronounced effects on hemostasis, in addition to systemic hemorrhage and renal and hepatic toxicity, which could be visualized by means of the alteration of several haematological, hemostatic and biochemical parameters. Through inhibition studies of these effects, it is observed that, in general, the tested antivenoms in fact have limited efficacy against the enzymatic activities in vitro and the local effects of the venom in vivo, despite the presence of immunological recognition, which indicates the presence of cross-reactivity with highly immunogenic but little toxicologically relevant components to the toxic action of the venom. Aqueous leaf extract of J. gossypiifolia, in turn, was able to significantly reduce the local and systemic effects of venom, which could be associated with its direct action on snake toxins, as well as an indirect action on the endogenous mediators. An herbal gel for use as a topical adjunct in the treatment of snake envenoming was developed and promising results were obtained when the association of this gel with antivenom was found to be able to significantly improve the efficacy of the treatment of local tissue damage induced by B. erythromelas. Phytochemical analyzes indicate that flavonoids are the major compounds of the plant species, and may be, at least partially, the main class of substance responsible for the activities presented. In conclusion, the results obtained to date demonstrate the potential of the plant species J. gossypiifolia as an adjuvant in the treatment of bothropic envenoming, and this study could be an initial kick-off for the future development of herbal antiophidic products with genuinely Brazilian raw material for complementation of the current antivenom therapy in the treatment of bothropic accidents.
Resumo: Serpentes do gênero Bothrops são responsáveis por cerca de 90% dos acidentes ofídicos na América Latina. A soroterapia antipeçonhenta, entretanto, ainda apresenta baixa eficácia quanto aos efeitos locais, difícil acesso em algumas regiões, além de alto custo e potencial risco de reações adversas. Diante desse cenário, o principal objetivo deste trabalho é contribuir com alternativas complementares à soroterapia, com ênfase na espécie Bothrops erythromelas, que é uma serpente de relevância epidemiológica na região Nordeste do Brasil, porém que, até o momento, ainda carece de estudos mais aprofundados na literatura, além de não estar incluída na mistura antigênica para a produção dos soros antibotrópicos brasileiros. Para tanto, duas frentes de trabalho principais foram conduzidas: (1) caracterização dos efeitos tóxicos locais e sistêmicos induzidos por essa peçonha, de modo a melhor compreender sua toxicidade e assim desenvolver estratégias mais eficazes para o seu tratamento; e (2) avaliação da eficácia do decocto das folhas de Jatropha gossypiifolia frente os efeitos tóxicos da peçonha em estudo, objetivando o seu emprego como matéria-prima para futuros produtos fitoterápicos antiofídicos, que possam vir a complementar a eficácia da soroterapia atual. Por meio de estudos de envenenamento experimental em camundongos, observou-se que a peçonha de B. erythromelas produziu intenso quadro inflamatório local, envolvendo a participação direta de componentes enzimáticos da peçonha, bem como de mediadores inflamatórios endógenos, os quais podem ser empregados como alvos terapêuticos para o tratamento do envenenamento local. Em relação à toxicidade sistêmica, a peçonha induziu, em camundongos, pronunciados efeitos na hemostasia, além de hemorragia sistêmica e toxicidade renal e hepática, que puderam ser visualizados por meio da alteração de diversos parâmetros hematológicos, hemostáticos e bioquímicos. Através de estudos de inibição desses efeitos, observa-se que, em geral, os soros antiofídicos testados de fato apresentam limitada eficácia contra as atividades enzimáticas in vitro e os efeitos locais da peçonha in vivo, apesar da existência de reconhecimento imunológico, o que indica a presença de reatividade cruzada com componentes altamente imunogênicos, porém toxicologicamente pouco relevantes para a ação tóxica dessa peçonha. O decocto das folhas de J. gossypiifolia, por sua vez, foi capaz de reduzir significativamente os efeitos locais e sistêmicos induzidos pela peçonha, o que pôde ser associado à sua ação direta sobre as toxinas ofídicas, bem como a uma ação indireta sobre os mediadores endógenos. Um gel fitoterápico para utilização como adjuvante de uso tópico no tratamento do envenenamento ofídico foi desenvolvido e resultados promissores foram obtidos quando se observou que a associação desse gel ao soro antipeçonhento foi capaz de aprimorar significativamente a efetividade do tratamento do dano tecidual local induzido por B. erythromelas. Análises fitoquímicas indicaram que os flavonoides são os compostos majoritários da espécie vegetal, podendo ser, ao menos parcialmente, a principal classe de substância responsável pelas atividades apresentadas. Em conclusão, os resultados obtidos demonstram a potencialidade da espécie vegetal J. gossypiifolia como adjuvante no tratamento dos envenenamentos botrópicos, podendo esse estudo ser um pontapé inicial para o futuro desenvolvimento de produtos fitoterápicos antiofídicos com matéria-prima genuinamente brasileira para complementação da atual soroterapia no tratamento de acidentes botrópicos.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25907
Aparece nas coleções:PPGB - Doutorado em Bioquímica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
EfeitoInibitórioDecocto_Silva_2018.pdf9,56 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.