Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/26239
Título: A lírica do moribundo Manuel Bandeira – Poesia de vida e morte
Autor(es): Dantas, Juliana Fernandes Ribeiro
Palavras-chave: Manuel Bandeira;Poesia;Morte;Vida
Data do documento: 23-Mar-2015
Referência: DANTAS, Juliana Fernandes Ribeiro. A lírica do moribundo Manuel Bandeira – Poesia de vida e morte. 2015. 80f. Dissertação (Mestrado em Estudos da Linguagem) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
Abstract: The present work aims to analyze the poetry of Manuel Bandeira (1886-1968) during the Brazilian Modernism period (which began in Brazil, 1922, marked by the Week of Modern Art). Known for his autobiographical poems, particularly regarding deathrelated themes, Bandeira offers us mostly a life rich poetry, treating everyday events with accuracy, and yet with uttermost delicacy and simplicity. Here we expose the influence of death on Bandeira’s poetry, and highlight aspects of his personal life and of his poetry that is flooded with the essence of moribundity, by means of the book Estrela da vida inteira (2007), an extensive compilation of the poet’s entire lyric work. A few poems from this volume were selected for careful appraisal. We studied the enactment of death in western society and compared it to the enactment of this theme during the Middle Ages and up to the present, applying concepts and schemas from Philippe Ariès (1914-1984) in História da morte no Ocidente (2012). We analyzed the emotional feelings depicted from the viewpoint of the man, of the poet, of the poetic persona, and of the poetry that is flooded by the existence of “Flag”, as Bandeira tenderly referred to his friend Mário de Andrade.
Resumo: O presente trabalho tem como proposta geral analisar a poesia do poeta Manuel Bandeira (1886-1968), do período modernista brasileiro (iniciado em 1922, no Brasil, cujo marco foi a Semana de Arte Moderna). Conhecido por seus poemas possuidores de um caráter autobiográfico, principalmente no que tange à temática da morte, oferece-nos, sobretudo, uma poesia de vida, que trata dos aspectos cotidianos com certa acuidade e, ao mesmo tempo, com tanta delicadeza e simplicidade. Este trabalho procura expor o traço da morte na poesia bandeiriana, assim como ressaltar aspectos de sua vida e também de uma poesia inundada pela essência de um moribundo, por meio do obra Estrela da vida inteira (2007), a coletânea extensiva do poeta, que reuniu toda a sua produção lírica. Do livro extraímos nossos subsídios através da seleção de alguns dos poemas. Estudamos a representação da morte na sociedade ocidental, fazendo uma comparação de como se figurava esse tema desde a Idade Média até a contemporaneidade, utilizando conceitos e explanações de Philippe Ariès (1914-1984) em História da morte no Ocidente (2012). Analisamos os sentimentos do homem, do poeta, do eu lírico, e da poesia inundada de existência do “Flag”, como o chamava carinhosamente o amigo Mário de Andrade.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/26239
Aparece nas coleções:PPGEL - Mestrado em Estudos da Linguagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
LíricamoribundoManuel_Dantas_2018.pdf937,76 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.