Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/26383
Title: Modelo de gestão visual para projetos de alto risco financeiro: uma abordagem utilizando simulação de Monte Carlo, opções reais e o modelo Life Cylce Canvas
Authors: Medeiros, João Paulo Costa de
Keywords: Gestão visual;LCC;Risco;SMC;TOR
Issue Date: 15-Oct-2018
Citation: MEDEIROS, João Paulo Costa de. Modelo de gestão visual para projetos de alto risco financeiro: uma abordagem utilizando simulação de Monte Carlo, opções reais e o modelo Life Cylce Canvas. 2018. 94f. Tese (Doutorado em Administração) - Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.
Abstract: The development of a project involves many variables, so it is no surprise to speak in uncertainty given the infinite possibilities which the real world presents. This should be thought over the life of any project as a form of risk control, and not just as an introductory step in planning, as suggested by the PMBOK, unlike PRINCE’s vision, which are the main tools used in managing projects. In this sense, the traditional techniques for assessing financial risk and feasibility of a project do not encompass all the possible possibilities and assume that it will be carried forward passively, without considering natural changes that may occur throughout its life cycle as, for example, the option to expand it if it goes well or abandons it if it goes bad. The more uncertain the future of a project, the more valuable its managerial flexibility becomes, that is to say, its ability to react to these changes. In order to do this, we have integrated models which capture this flexibility in the continuous assessment of the financial risk of a project, namely the Monte Carlo Simulation (MCS), the Real Options Theory (ROT) and the Life Cycle Canvas (LCC) model. A case study with real data was used to ascertain the application of the methodology. The case study consists of pricing a wind farm with the option of abandoning the project. The pricing using the traditional model points to a NPV of R$ 46.6 million and says nothing about its chance of occurrence, while using the methodology suggested in the study we found that MCS offers the full range of the distributions of probability of the financial variables involved in the project, calculating the chance of a positive NPV by almost 70%. In turn, the ROT uses decision trees to trace possible paths (scenarios) for each stage of the project, expressing the financial value of each path over time, showing the different directions and decisions which can be taken throughout the project period, capturing the managerial flexibility and making the NPV increase by R$ 22.6 million, reaching a total of R$ 69.2 million. Finally, this information has been integrated into the LCC to facilitate the management and increase the speed of decision making.
Portuguese Abstract: O desenvolvimento de um projeto envolve muitas variáveis, logo, não é nenhuma surpresa falar em incerteza dadas as infinitas possibilidades que o mundo real apresenta. Isso deve ser pensado ao longo da vida útil de qualquer projeto como uma forma de controle do risco, e não apenas como uma etapa introdutória de planejamento, como sugere o PMBOK, diferentemente da visão do PRINCE, que são as principais ferramentas utilizadas no gerenciamento de projetos. Nesse sentido, as técnicas tradicionais para avaliação de risco financeiro e viabilidade de um projeto não englobam todas as possibilidades possíveis e assumem que ele será levado adiante passivamente, sem considerar alterações naturais que podem acontecer ao longo do seu ciclo de vida como, por exemplo, a opção de expandi-lo caso vá bem ou abandona-lo se for mal. Quanto mais incerto é o futuro de um projeto, mais valiosa se torna sua flexibilidade gerencial, ou seja, sua capacidade de reagir a essas alterações. Para isso foram integrados modelos que captam essa flexibilidade na avaliação contínua do risco financeiro de um projeto, a saber a Simulação de Monte Carlo (SMC), a Teoria de Opções Reais (TOR) e o modelo Life Cycle Canvas (LCC). Um estudo de caso com dados reais foi utilizado para averiguar a aplicação da metodologia. O estudo de caso consiste na precificação de um parque eólico com opção de abandono do projeto. A precificação utilizando o modelo tradicional aponta para um VPL de R$ 46,6 milhões e nada diz sobre sua chance de ocorrência, enquanto que utilizando a metodologia sugerida no estudo observamos que a SMC oferece a gama completa das distribuições de probabilidade das variáveis financeiras envolvidas no projeto, calculando em quase 70% a chance de ocorrência de um VPL positivo. Por sua vez a TOR utiliza árvores de decisão para traçar caminhos (cenários) possíveis para cada etapa do projeto, expressando o valor financeiro de cada caminho ao longo do tempo, mostrando os diferentes rumos e decisões que podem ser tomadas ao longo da vigência do projeto, capturando a flexibilidade gerencial e fazendo o VPL se elevar em R$ 22,6 milhões, atingindo o total de R$ 69,2 milhões. Por fim, essas informações foram integradas ao LCC para facilitar o gerenciamento e aumentar a celeridade da tomada de decisão.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/26383
Appears in Collections:PPGA - Doutorado em Administração

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Modelogestãovisual_Medeiros_2018.pdf3,08 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.