Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/26578
Title: Efeito de uma sessão de flexão de cotovelo isométrica sobre a pressão arterial ambulatorial de hipertensos: um ensaio cruzado
Other Titles: Effect of a single session of isometric elbow flexion on ambulatory blood pressure in hypertensive individuals: a crossover trial
Authors: Silva, Paulo Henrique Medeiros da
Keywords: Hipertensão arterial;Monitorização ambulatorial da pressão arterial;Hipotensão pós-exercício;Exercício isométrico
Issue Date: 20-Oct-2017
Citation: SILVA, Paulo Henrique Medeiros da. Efeito de uma sessão de flexão de cotovelo isométrica sobre a pressão arterial ambulatorial de hipertensos: um ensaio cruzado. 2017. 72f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.
Portuguese Abstract: INTRODUÇÃO: O treinamento com exercício isométrico pode contribuir na melhora dos níveis pressóricos em indivíduos hipertensos. Contudo, os efeitos agudos desse tipo de exercício sobre a pressão arterial (PA) ambulatorial são pouco conhecidos. OBJETIVO: analisar o efeito de uma sessão de flexão de cotovelo isométrica sobre a PA ambulatorial em indivíduos hipertensos. METODOLOGIA: ensaio clínico controlado com delineamento cruzado em que 12 hipertensos fisicamente inativos (♀= 9; 46,8 ± 7,1 anos; 27,2 ± 2,7 kg/m²; PA de repouso sistólica 123,0 ± 11,6 / diastólica 74,3 ± 6,0 mm Hg) foram submetidos a duas sessões experimentais, em ordem randomizada, com intervalo de até duas semanas: i) sessão flexão de cotovelo isométrica (estímulos: 4 x 1 min; intervalos: 2 min; intensidade: 30% de uma repetição máxima à 90º) e ii) sessão controle (sem exercício). Ambas as sessões foram realizadas pela manhã e tiveram uma duração de 12 min. Antes e até 30 minutos após a sessão experimental e controle a variabilidade da frequência cardíaca e a PA clínica foram avaliadas. A PA ambulatorial foi avaliada durante 20 h (vigília: 12 h; sono: 8 h) após as sessões de flexão de cotovelo isométrica e controle, através da monitorização ambulatorial da PA. A PA sistólica, diastólica e média no período de 20 h (vigília e sono) entre as condições foi comparada através do teste t pareado. A significância estatística adotada foi de 5%. RESULTADOS: Não houve diferença entre as condições sobre a PA sistólica de 20 h (exercício: 126,1 ± 14,7 vs. controle: 125,6 ± 11,4 mm Hg; p = 0,810) e PA diastólica de 20 h (exercício: 71,0 ± 8,7 vs. controle: 71,3 ± 5,7 mm Hg; p = 0,800). Nenhuma alteração da PA sistólica e diastólica de vigília e sono foi observada entre as condições exercício e controle (p > 0,05). Não houve mudanças nos índices de variabilidade da frequência cardíaca (intervalo RR, SDNN, LF, HF, SampleEN). Em relação a PA clínica foi observado aumento imediatamente após o fim da sessão de treinamento isométrico comparado à sessão controle (14,7 mm Hg, IC95% 8,7-20,7). CONCLUSÃO: uma sessão de flexão de cotovelo isométrica não induz alterações sobre a PA ambulatorial em indivíduos hipertensos.
Abstract: INTRODUCTION: The isometric training may contribute to improve the blood pressure levels in hypertensive individuals. However, the acute effects of the isometric training on ambulatory blood pressure are less known. OBJECTIVE: To analyze the effects of a single session of isometric elbow flexion on ambulatory blood pressure in hypertensive individuals. METHODS: This is a randomized clinical trial with a crossover design. Twelve inactive hypertensive individuals (♀= 9; 46.8 ± 7.1 years; 27.2 ± 2.7 kg/m²; resting blood pressure 123.0 ± 11.6 / 74.3 ± 6.0 mm Hg) were submitted to two experimental sessions in a randomized order with one-week interval: i) isometric elbow flexion (4 x 1 min, 2 min intervals, 30% of one-repetition maximum at 90º); ii) control session (no exercise). Both sessions were performed in the morning and lasted for 12 min. Before and until 30 min after the isometric and control sessions the heart rate variability and blood pressure were measured. Ambulatory blood pressure was measured during 20 h (awake: 12 h; asleep: 8 h) after the isometric and control sessions using an ambulatory blood pressure monitoring device. Systolic, diastolic, and mean blood pressure during the 20 h period were compared between the conditions using a paired t-test. A statistical significance was set at 5%. RESULTS: There were no differences in systolic (isometric: 126.1 ± 14.7 vs. control: 125.6 ± 11.4 mm Hg; p = 0.810) and diastolic (isometric: 71.0 ± 8.7 vs. control: 71.3 ± 5.7 mm Hg; p = 0.800) during the 20 h period. Also, no differences were found in the awake and asleep period between the isometric and control session (p > 0.05). No changes were found in the heart rate variability indices (RR interval, SDNN, LF, HF, SampleEN). Regarding the blood pressure there was an increase in systolic blood pressure immediately after the isometric exercise session compared to the control session (14,7 mm Hg, IC95% 8,7-20,7, p < 0.05). CONCLUSION: a single session of isometric elbow flexion does not elicit changes on ambulatory blood pressure in hypertensive individuals.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/26578
Appears in Collections:PPGEF - Mestrado em Educação Física

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Efeitosessãoflexão_Silva_2017.pdf1,5 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.