Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/26994
Title: Estratégias sexuais e escolha de parceiros em pessoas transgêneras
Authors: Gomes, Rodrigo de Menezes
Keywords: Transgêneros;Escolha de parceiros;Estratégias sexuais;Autoavaliação de valor de mercado;Sociossexualidade
Issue Date: 25-Mar-2019
Citation: GOMES, Rodrigo de Menezes. Estratégias sexuais e escolha de parceiros em pessoas transgêneras. 2019. 99f. Dissertação (Mestrado em Psicobiologia) - Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019.
Portuguese Abstract: Diversas pesquisas sobre a diferença intersexual das estratégias sexuais humanas e dos critérios de escolha de parceiros têm sido realizadas nas últimas décadas, resultando em dados empíricos que sustentam as teorias que têm explicado a evolução dos comportamentos sexuais e reprodutivos humanos, como a Teoria das Estratégias Sexuais (TES), a Teoria do Pluralismo Estratégico (TPE) e a Teoria do Mercado Biológico (TMB). Em geral, esses estudos têm se concentrado em amostras de indivíduos heterossexuais, uma vez que as hipóteses e predições das teorias explicativas das estratégias sexuais têm como foco suas consequências em termos de sucesso reprodutivo. Apesar de muitas pesquisas também terem sido realizadas mais recentemente com amostras de indivíduos homossexuais, apontando em grande parte para estratégias comportamentais típicas de cada sexo independentemente da orientação sexual, o fenômeno da transgeneridade ainda permanece relativamente ausente nas investigações acerca das estratégias sexuais humanas. O presente estudo teve como objetivo medir e comparar variáveis indicadoras e moderadoras de estratégias sexuais e critérios de escolha de parceiros em uma amostra de 120 indivíduos composta por 27 transgêneros male-to-female (MtF), 24 transgêneros female-to-male (FtM), 37 mulheres cisgêneras (F) e 32 homens cisgêneros (M). Investigou-se se o sexo biológico ou a autopercepção de gênero dos indivíduos transgêneros exercia maior influência sobre suas medidas de sociossexualidade (SS), autoavaliação de valor de mercado (AVM), autoestima (AE) e características preferidas em parceiros de curto e longo prazo. A análise estatística dos dados obtidos indicou que, para as estratégias sexuais mais vantajosas do ponto de vista evolutivo (de curto prazo para o sexo masculino e de longo prazo para o sexo feminino), indivíduos transgêneros apresentaram critérios de preferência concordantes com seu sexo biológico. Para as estratégias menos vantajosas (de longo prazo para o sexo masculino e de curto prazo para o sexo feminino), entretanto, os dados apontaram uma possível influência da autopercepção de gênero sobre os critérios de preferência. As medidas de AVM de indivíduos transgêneros também foram congruentes com sua autopercepção de gênero, enquanto as de SS apresentaram maior influência do sexo biológico. Não foram encontradas diferenças estatisticamente significativas para as medidas de AE. De forma geral, os resultados do estudo corroboraram em grande parte as predições da TES, da TEP e da TMB, embora tanto transgêneros MtF quanto transgêneros FtM tenham apresentado padrões mistos em relação ao que a literatura tem estabelecido como típico de cada sexo para as variáveis investigadas.
Abstract: Several researches on the intersexual differences of human sexual strategies and mate choice criteria have been made over the last decades, resulting in empirical data supporting the theories that have explained the evolution of human sexual and reproductive behavior, such as Sexual Strategies Theory (SST), Strategic Pluralism Theory (SPT) and Biological Market Theory (BMT). In general, these studies have focused on heterosexual individuals because hypotheses and predictions from explanatory theories of sexual strategies focus on their consequences in terms of reproductive success. Though many recent researches have also been performed with samples of homosexual individuals, pointing largely towards sex-typical behavioral strategies regardless of sexual orientation, the transgender phenomenon still remains relatively absent from investigations on human sexual strategies. This study aimed to assess and compare indicative and moderating variables related to sexual strategies and mate choice criteria in a sample of 120 individuals composed by 27 male-to-female (MtF) transgenders, 24 female-to-male (FtM) transgenders, 37 female cisgenders (F) and 32 male cisgenders (M). It was investigated whether either biological sex or gender self-perception was more influent on transgenders’ measures of sociosexuality (SS), mate value self-assessment (MVS), self-esteem (SE) and preferred characteristics for both short- and long-term mates. Statistical analysis of the obtained data indicated that, for sexual strategies deemed as more advantageous from an evolutionary standpoint (short-term for males and long-term for females), transgenders’ mate preference criteria were concordant with their biological sex. For the less advantageous strategies (long-term for males and short-term for females), however, the data pointed towards a likely influence of gender self-perception on mate preference criteria. Transgenders’ MVS measures were also congruent with their gender self-perception, whereas SS ones were mostly sex-typical. No statistically significant differences were found for SE measures. In sum, the study’s findings largely corroborated SST, SPT and BMT predictions, although both MtF and FtM transgenders had mixed patterns for what literature has established as being typical of each sex regarding the investigated variables.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/26994
Appears in Collections:PPGPSICO - Mestrado em Psicobiologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Estratégiassexuaisescolha_Gomes_2019.pdf3,95 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.