Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/27185
Title: Silêncio na sala!: combates narrativos contra o silenciamento de grupos periféricos através dos modelos não formais de ensino da Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB) e de Olimpíadas Escolares Internas (OIH)
Authors: Damasceno, Paulo Airton Pinto
Keywords: Ensino de História;Didática histórica;Narrativa histórica;Consciência histórica;Silenciamento;Olimpíadas científicas;ONHB
Issue Date: 19-Feb-2019
Citation: DAMASCENO, Paulo Airton Pinto. Silêncio na sala!: combates narrativos contra o silenciamento de grupos periféricos através dos modelos não formais de ensino da Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB) e de Olimpíadas Escolares Internas (OIH). 2019. 381f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de História - Profhistoria) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019.
Portuguese Abstract: O presente trabalho reflete a Didática Histórica pensando a Narrativa Tradicional do ensino e a formação identitária dos alunos frente aos silêncios e estereótipos acerca de grupos marginalizados pela historiografia. Assim, pensando nos esquecimentos da historiografia didática tradicional (masculina, branca, eurocêntrica e focada nos documentos oficiais), suas permanências no ensino, apesar dos debates e mudanças da historiografia acadêmica, elencamos o silêncio como eixo central deste projeto. Utilizaremos como referência três grupos – que apesar de suas especificidades – serão (re) pensados a partir do silenciamento que os aproxima: pensaremos o feminino, o indígena brasileiro, a afro-brasilidade e seus lugares na narrativa histórica nacional. Analisaremos esta prática narrativa a partir de conceitos teóricos como Consciência História, Experiência vicária, Decolonialidade e Identidade coletiva, de forma a tentar compreender as mudanças e permanências narrativas sobre estes grupos. Iniciaremos analisando os materiais didáticos tradicionais, utilizados em sala, buscando as estruturas que amparam as permanências ou permitem as mudanças. Percebendo a necessidade de ir além da prática da sala de aula, sairemos da análise estrita da disciplina histórica escolar. Pensando a escola como um construto múltiplo de significações e sentidos, formado por relações humanas, sociais, políticas e educacionais que dialogam, se apropriam e ressignificam as relações sociais que a cercam, assim, definimos o conceito de “Complexo Escolar”. Analisaremos sua historicidade, suas transformações e a estruturação que organiza as resistências aos modelos libertários de educação. Buscaremos as experiências de ensino não-formal que possam, dentro do contexto da educação digital, redefinir a relação da escola com os grupos periféricos e acolher um Produto Didático que possa atuar na construção narrativa da nossa História coletiva. Dentro do modelo de Olimpíadas do Conhecimento, nos debruçaremos sobre a Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB), analisando seus métodos, sistemas e modelos, percebendo a abordagem historiográfica desta sobre os grupos periféricos. A partir destes modelos e após este trajeto praxeológico, estruturaremos, como Produto Didático, as Olimpíadas Internas de Humanidades (OIH), e a rede Baobá – um jogo didático e um sistema colaborativo de compartilhamento de materiais e atividades – ferramentas que permitam a emergência das vozes, rostos e experiências dos grupos marginalizados pela História tradicional ensinada e pela sociedade, em uma adequação do ensino ao mundo da educação da era digital. Pensando na identificação dos alunos com nossa História e memória coletiva, na pertinência e relevância da História ensinada na formação dos educandos.
Abstract: The present work reflects the Historical Didactics thinking the Traditional Narrative of the teaching and the identity formation of the students facing the silences and stereotypes about groups marginalized by historiography. Thus, considering the forgetfulness of traditional didactic historiography (masculine, white, Eurocentric and focused on official documents), its permanence in teaching, despite the debates and changes in academic historiography, we set silence as the central axis of this project. We will use as reference three groups - which despite their specificities - will be (re) thought from the silencing that approaches them: we will think the feminine, Brazilian Indian, Afro-Brazilian and their places in the national historical narrative. We will analyze this narrative practice from theoretical concepts such as Consciousness History, Vicarious Experience, Decoloniality and Collective Identity, in order to try to understand the changes and narrative permanences about these groups. We will begin by analyzing the traditional didactic materials, used in the classroom, searching for the structures that support the permanences or allow the changes. Realizing the need to move beyond the practice of the classroom, we will leave the strict analysis of the historical school discipline. Thinking about school as a multiple construct of meanings and meanings, formed by human, social, political and educational relations that dialogue, appropriate and resignify the social relations that surround it, we define the concept of "School Complex". We will analyze its historicity, its transformations and the structure that organizes the resistances to the libertarian models of education. We will look for non-formal teaching experiences that can, within the context of digital education, redefine the relationship between the school and the peripheral groups and host a Didactic Product that can act in the narrative construction of our collective History. Within the Olympiad of Knowledge model, we will focus on the Brazilian National History Olympiad (ONHB), analyzing its methods, systems and models, perceiving the historiographical approach of this on the peripheral groups. From these models and after this praxeological path, we will structure, as Didactic Product, the Internal Olympiad of Humanities (OIH), and the Baobá network - a didactic game and a collaborative system of sharing materials and activities - tools that allow the emergence of voices, faces and experiences of groups marginalized by traditional history taught and by society, in an adaptation of teaching to the world of education of the digital age. Thinking about the identification of the students with our history and collective memory, on the pertinence and relevance of the history taught in the formation of the students.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/27185
Appears in Collections:PROFHISTORIA - Mestrado Profissional em Ensino de História

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Silêncionasala_Damasceno_2019.pdf4.25 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.