Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/27528
Title: Adaptação transcultural e validação para o uso no Brasil da Medida da Participação e do Ambiente - Crianças e Jovens (PEM-CY)
Authors: Galvão, Elida Rayanne Viana Pinheiro
Keywords: Criança;Jovem;Classificação Internacional de Funcionalidade;Incapacidade e saúde;Participação;Ambiente;PEM-CY
Issue Date: 31-Jan-2019
Citation: GALVÃO, Elida Rayanne Viana Pinheiro. Adaptação transcultural e validação para o uso no Brasil da Medida da Participação e do Ambiente - Crianças e Jovens (PEM-CY). 2019. 75f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Reabilitação) - Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019.
Portuguese Abstract: Introdução: A participação é definida pela Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF) como o envolvimento do indivíduo em situações cotidianas, sendo determinada por fatores intrínsecos e do ambiente. Objetivos: Realizar a adaptação transcultural da Medida da Participação e do Ambiente – Crianças e Jovens (PEM-CY) para o português do Brasil; e analisar as suas propriedades psicométricas numa amostra de crianças e jovens com e sem deficiência, com idades entre 5-17 anos. Métodos: Trata-se de um estudo metodológico desenvolvido em duas etapas. A primeira compreendeu o processo de adaptação transcultural, que foi dividido e executado em cinco estágios, seguindo a metodologia amplamente utilizada e recomendada por Beaton e Colaboradores. Os estágios foram divididos em: (I) Adaptação inicial para o português do Brasil; (II) Síntese das versões; (III) Retrotradução; (IV) Comitê de especialistas; (V) Compreensão pelos pais e retrotradução para aprovação final. A segunda etapa foi caracterizada pela aplicação do questionário a 101 pais e/ou responsáveis de crianças e jovens com e sem deficiência, provenientes de 3 estados brasileiros, com o objetivo de atestar suas propriedades psicométricas, bem como identificar supostas diferenças em quanto à participação e características do ambiente em casa, na escola e na comunidade entre os dois grupos. Resultados: Foram realizadas modificações linguísticas e gramaticais para facilitar a fluência, interpretação e compreensão na leitura do instrumento, bem como para tornar as expressões mais equivalentes à linguagem na primeira etapa do estudo, dando origem à versão definitiva da PEM-CY Brasil, a qual foi aprovada pelos autores da versão original e encontra-se comercialmente disponível no site oficial do CanChild. Na segunda etapa, das 101 crianças e jovens recrutadas, 62 apresentavam deficiência física e 39 apresentavam desenvolvimento típico; 45,5% eram do sexo feminino e 54,5% do sexo masculino, com média de idade de 9,36 anos (+/- 3,47). A consistência interna do instrumento variou de boa a excelente quando considerados todos os itens de participação e do ambiente, respectivamente, nos ambientes da casa (α=0,873 e α=0,760), da escola (α=0,877 e α=0,948) e da comunidade (α=0,889 e α=0,855). Houve diferenças significativas entre os grupos em quanto ao número de atividades realizadas nos três cenários, indicando que crianças com deficiência participaram em menor número de atividades em casa (p=0,000), na escola (p=0,001) e na comunidade (p=0,000). As crianças com deficiência estiveram menos envolvidas que seus pares sem deficiência nas atividades no ambiente escola (p=0,034). Em relação ao ambiente, o grupo com deficiência percebeu maiores barreiras em casa (p=0,001) e menos ajudas nos ambientes da casa (p=0,000), escola (p=0,002) e comunidade (p= 0,011) que o grupo sem deficiência. Conclusão: Após o processo de adaptação transcultural, a versão brasileira da PEM-CY pode ser considerada um instrumento válido e confiável para medir a participação em atividades em casa, na escola e na comunidade, bem como as características do ambiente. Ao mesmo tempo, o instrumento possibilitou identificar diferenças entre crianças e jovens com e sem deficiência em relação à participação e ao ambiente.
Abstract: Introduction: Participation is defined by the International Classification of Functioning, Disability and Health (ICF) as the individual's involvement in everyday situations, being determined by intrinsic factors and the environment. Objectives: To carry out the cross-cultural adaptation of the Measure of Participation and the Environment - Children and Youth (PEM-CY) to Brazilian Portuguese; and to analyze their psychometric properties in a sample of children and youth with and without disabilities, aged 5-17 years. Methods: This is a methodological study developed in two stages. The first one comprised the process of cross-cultural adaptation, which was divided and executed in five stages, following the methodology widely used and recommended by Beaton and Collaborators. The stages were divided into: (I) Initial adaptation to Brazilian Portuguese; (II) Synthesis of the versions; (III) Back-translation; (IV) Committee of experts; (V) Parent understanding and back-translation for final approval. The second stage was characterized by the application of the questionnaire to 101 parents and/or caregivers of children and youth with and without disabilities from 3 Brazilian states, in order to attest their psychometric properties, as well as to identify supposed differences in participation and characteristics of the environment at home, at school and in the community between the two groups. Results: Linguistic and grammatical modifications were made to facilitate fluency, interpretation and comprehension in reading the instrument, as well as to make the expressions more equivalent to the language in the first stage of the study, giving rise to the definitive version of PEM-CY Brazil, which was approved by the authors of the original version and is commercially available on CanChild's official website. In the second stage, of the 101 children and youth recruited, 62 had a disability and 39 presented a typical development; 45.5% were female and 54.5% were male, with a mean age of 9.36 years (+/- 3.47). The internal consistency of the instrument varied from good to excellent when considering all the participation items and the environment, respectively, at home (α = 0.873 and α = 0.760), at school (α = 0.877 and α = 0.948) and in the community (α = 0.889 and α = 0.855). There were significant differences between groups in terms of the number of activities performed in the three scenarios, indicating that children with disabilities participated in fewer activities at home (p = 0.000), at school (p = 0.001) and in the community (p = 0.000 ). Children with disabilities were less involved than their non-disabled peers in school setting activities (p = 0.034). In relation to the environment, the disabled group perceived higher barriers at home (p = 0.001) and fewer aids in the home (p = 0.000), school (p = 0.002) and community (p = 0.011) settings than the non-disabled group. Conclusion: After the transcultural adaptation process, the Brazilian version of PEM-CY can be considered a valid and reliable instrument to measure participation in activities at home, at school and in the community, as well as the characteristics of the environment. At the same time, the instrument made it possible to identify differences between children and youth with and without disabilities in relation to participation and the environment.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/27528
Appears in Collections:FACISA - Mestrado em Ciências da Reabilitação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Adaptaçãotransculturalvalidação_Galvão_2019.pdf1,87 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.