Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/27814
Title: Autorrelato de saúde e desempenho funcional: uma relação mediada pela percepção da qualidade de vida em mulheres osteoporóticas
Authors: Oporto, Tiago Silva
Keywords: Osteoporose pós-menopausa;Envelhecimento;Saúde do idoso
Issue Date: 27-Feb-2019
Citation: OPORTO, Tiago Silva. Autorrelato de saúde e desempenho funcional: uma relação mediada pela percepção da qualidade de vida em mulheres osteoporóticas. 2019. 81f. Dissertação (Mestrado em Fisioterapia) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019.
Portuguese Abstract: Introdução: A saúde autorrelatada (SAR) é uma ferramenta útil para avaliação da população idosa, já que fornece uma percepção subjetiva da saúde do indivíduo, sendo uma forte ferramenta para triagem de risco de comorbidades, juntamente com medidas de desempenho físico e as avaliações de qualidade de vida. Entretanto pouco se sabe sobre a interação entre as medidas de desempenho físico com a saúde autorrelatada e como essa relação se estabelece em idosas com osteoporose quando mediada pela qualidade de vida. Objetivo: Analisar a relação entre autorrelato de saúde e desempenho funcional, quando mediada pela percepção da qualidade de vida em mulheres osteoporóticas. Metodologia: Trata-se de um estudo do tipo observacional analítico transversal. A amostra foi constituída por idosas, a partir dos sessenta anos de idade, que faziam uso dos serviços do setor de densitometria óssea do hospital universitário Onofre Lopes. As idosas foram submetidas, primeiramente, aos questionários sobre saúde autorrelatada, qualidade de vida relacionada à osteoporose e avaliação cognitiva com o teste de Leganés. Em seguida foram feitas as avaliações físicas com o uso do SPPB, dados antropométricos e clínicos, confirmação ou não da presença de osteoporose indicada por exame de densidade óssea com valor de T-score ≤ -2,5 DP. Modelos de análise de mediação foram construídos para explorar a significância de efeitos diretos e indiretos da SAR no desempenho funcional, mediadas pela qualidade de vida. Resultados: A amostra foi composta por 83 mulheres, com média de idade 66,98 (7,09) anos. No tocante sobre a saúde autorrelatada (SAR), observou-se que 30,1% da amostra considerava a avaliação como satisfatória. OPAQ obteve a média de 247,27(28,05), enquanto que para o SPPB total o valor obtido foi de 6,40(1,87). Mulheres com percepção satisfatória sobre o autorrelato em saúde apresentaram uma pontuação maior no SPPB comparado as mulheres que manifestaram uma percepção insatisfatória sobre a SAR. Houve uma correlação negativa com significância estatística (r= -0,33; p < 0,05) entre o SPPB e o OPAQ. Na análise de mediação o efeito direto da saúde percebida foi de -1,39, enquanto que o efeito indireto também foi significativo (-0,27). Conclusão: Os resultados desta pesquisa apontam que mulheres com percepção negativa da SAR apresentam médias menores no SPPB e maiores valores na média do OPAQ, corroborando que a percepção da qualidade de vida tem influência na noção pessoal da saúde e no desempenho físico.
Abstract: Introduction: Self-reported health (SRH) is a useful tool for evaluating the elderly population, since it provides a subjective perception of the individual's health, being a strong tool for comorbid risk assessment, together with physical performance measures and quality of life. However, little is known about the interaction between physical performance measures with self-reported health and how this relationship is established in elderly women with osteoporosis when mediated by quality of life. Objective: To analyze the relationship between health self-report and functional performance when mediated by the perception of quality of life in osteoporotic women. Methodology: This is a cross-sectional observational study. The sample consisted of elderly women, from the age of sixty, who used the services of the bone densitometry department of the university hospital Onofre Lopes. The elderly was submitted to the questionnaires on selfreported health, quality of life related to osteoporosis and cognitive evaluation with the Leganes test. Physical evaluations were then performed using SPPB, anthropometric and clinical data, confirmation of the presence of osteoporosis indicated by a bone density test with T-score ≤ -2.5 SD. Mediation analysis models were constructed to explore the significance of direct and indirect effects of SAR on functional performance, mediated by quality of life. Results: The sample consisted of 83 women, with a mean age of 66.98 (7.09) years. Regarding self-reported health (SAR), it was observed that 30.1% of the sample considered the evaluation to be satisfactory. OPAQ obtained the mean of 247.27 (28.05), while for total SPPB the value obtained was 6.40 (1.87). Women with a satisfactory perception of self-report in health presented a higher SPPB score compared to women who expressed an unsatisfactory perception about SAR. There was a negative correlation with statistical significance (r = -0.33, p <0.05) between the SPPB and the OPCW. In the mediation analysis the direct effect of perceived health was -1.39, while the indirect effect was also significant (-0.27). Conclusion: The results of this study indicate that women with negative perception of SAR present lower mean values in the SPPB and higher values in the average of the OPAQ, corroborating that the perception of quality of life influences the personal notion of health and physical performance.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/27814
Appears in Collections:PPGFS - Mestrado em Fisioterapia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Autorrelatosaúdedesempenho_Oporto_2019.pdf4,6 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.