Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/57198
Title: Impacto do abuso financeiro no declínio da mobilidade do idoso
Authors: Medeiros, Jéssica Fernandes de
Advisor: Guerra, Ricardo Oliveira
Keywords: Envelhecimento;Abuso de idosos;Prevalência
Issue Date: 21-Oct-2022
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: MEDEIROS, Jéssica Fernandes de. Impacto do abuso financeiro no declínio da mobilidade do idoso. Orientador: Dr. Ricardo Oliveira Guerra. 2022. 29f. Dissertação (Mestrado em Fisioterapia) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2022.
Portuguese Abstract: Introdução: O abuso financeiro de idosos é um evento constante e negligenciado, e pode trazer graves consequências e implicações importantes para os sistemas de saúde pública ao redor do mundo. O conhecimento de relações entre o abuso financeiro e o declínio da funcionalidade/mobilidade ainda é escasso na literatura científica. Objetivo: Descrever a prevalência do abuso financeiro em pessoas idosas de diferentes perfis demográficos de envelhecimento, e seu impacto no declínio da funcionalidade e mobilidade. Materiais e métodos: Trata-se de um estudo com amostras populacionais de idosos em 04 países (Canadá, Albânia, Colômbia e Brasil). A amostra foi composta por indivíduos de ambos os sexos com idade entre 65 e 74 anos, residentes das cidades de Kingston, SaintHyacinthe, Tirana, Manizales e Natal. Foram coletadas informações sobre, abuso financeiro, situação socioeconômica, condições de saúde e limitações de mobilidade e desempenho físico. Os modelos de regressão linear múltiplo e análise de mediação foram utilizados para avaliar o efeito do abuso financeiro sobre medidas objetivas e subjetivas de desempenho físico e declínio da mobilidade. Resultados: A prevalência do abuso financeiro variou entre as cidades, sendo mais baixa em Saint-Hyacinthe (6,7%) e Kingston (4,2%), e mais elevada nas mulheres em Natal (13,7%) e Tirana (20,3%). Ajustando para idade, sexo, nível de educação e cidade de pesquisa, aqueles que relataram abuso financeiro apresentaram maior comprometimento da mobilidade (β= 0,08; IC 95%: 0,29; 0,86). Os efeitos do abuso financeiro no declínio da mobilidade e do desempenho físico foi mediado por condições crônicas e sintomatologia depressiva. Conclusão: O abuso financeiro junto com outros fatores adversos, contribui para desfechos negativos no declínio da mobilidade e do desempenho físico do idoso. As vias que podem explicar essa relação, possuem forte relação com exposição a experiências adversas ao longo da vida como a sintomatologia depressiva, e a resposta fisiológica ao estresse crônico, sendo esta expressada pela multimorbidade presente frequentemente em populações idosas.
Abstract: Introduction: Financial abuse of the elderly is usually a constant and neglected event, and can have serious consequences and important implications for public health systems around the world. Knowledge of the relationship between financial abuse and the decline in functionality/mobility is still scarce in the scientific literature. Objective: To describe the prevalence of financial abuse in older people of different aging demographic profiles, and its impact on the decline in functionality and mobility. Materials and methods: This is a study with population samples of elderly people in 04 countries (Canada, Albania, Colombia and Brazil). The sample consisted of individuals of both sexes aged between 65 and 74 years, residents of the cities of Kingston, Saint-Hyacinthe, Tirana, Manizales and Natal. Information was collected on financial abuse, socioeconomic status, health conditions and limitations of mobility and physical performance. Multiple linear regression models and mediation analysis were used to assess the effect of financial abuse on objective and subjective measures of physical performance and mobility decline. Results: The prevalence of financial abuse varied between cities, being lowest in SaintHyacinthe (6,7%) and Kingston (4,2%), and highest among women in Natal (13,7%) and Tirana (20,3%). Adjusting for age, sex, education level and research city, those who reported financial abuse had greater mobility impairment (β= 0.08; 95% CI: 0.29; 0.86). The effects of financial abuse on mobility and physical performance decline were mediated by chronic conditions and depressive symptomatology. Conclusion: Financial abuse, along with other adverse factors, contributes to negative outcomes in the decline of mobility and physical performance in the elderly. The pathways that can explain this relationship have a strong relationship with exposure to adverse experiences throughout life, such as depressive symptoms, and the physiological response to chronic stress, which is expressed by the multimorbidity often present in elderly populations.
URI: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/57198
Appears in Collections:PPGFS - Mestrado em Fisioterapia

Files in This Item:
File SizeFormat 
Impactoabusofinanceiro_Medeiros_2022.pdf1.18 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.