Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/12761
Título: Utilização de matérias primas vegetais para aplicabilidade como inibidores de corrosão
Autor(es): Anjos, Gineide Conceição dos
Palavras-chave: Aço carbono AISI 1020. Inibidores de corrosão. Extratos vegetais. Resistência à polarização linear;Vegetable extracts. Corrosion inhibitors. AISI 1020 carbon steel. linear polarization resistence
Data do documento: 26-Out-2012
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: ANJOS, Gineide Conceição dos. Utilização de matérias primas vegetais para aplicabilidade como inibidores de corrosão. 2012. 91 f. Dissertação (Mestrado em Processamento de Materiais a partir do Pó; Polímeros e Compósitos; Processamento de Materiais a part) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.
Resumo: In the search for products that act as corrosion inhibitors and do not cause environmental, impact the use of plant extracts as corrosion inhibitors is becoming a promising alternative. In this work the efficiency of polar extracts (ethanol extracts) obtained from the plants Anacardium occidentale Linn (AO) and Phyllantus amarus Schum. & Thonn (PA) as corrosion inhibitors were evaluated in different concentrations. For that AO and PA extracts were solubilized in the microemulsion systems (SME) containing saponified coconut oil as surfactant (SME -OCS and SME-OCS-1) in saline (NaCl 3,5 %) solution, which was also used as electrolyte. Both SME-OCS and SME-OCS-1 were characterized by surface tension and viscosity methods showing a Newtonian fluid behavior. The SME-OCS and SME-OCS-1 systems satisfactorily solubilized the polar extracts AO and PA with measurements carried out by ultraviolet spectroscopy. The measurements of corrosion inhibition efficiencies were performed by the electrochemical linear polarization resistance (LPR) technique as well as weight loss, on the surface of AISI 1020 carbon steel. The maximum corrosion inhibition efficiencies were determined by extrapolation of Tafel plots, showing the following values: 95,6 % for the system SME-OCS-AO, 98,9 % for the system SME-OCS-AO-1 and 93,4 % for the system SME-OCS-PA
metadata.dc.description.resumo: Na busca por produtos que combatam a corrosão e ao mesmo tempo não agridam o meio ambiente, a utilização de extratos vegetais como inibidores de corrosão vêm se tornando uma alternativa promissora. Neste trabalho a eficiência de inibição à corrosão foi avaliada em diferentes concentrações de extratos polares (etanólicos) obtidos das plantas Anacardium occidentale Linn (AO) e Phyllantus amarus Schum. & Thonn (PA). Para tanto, os extratos AO e PA foram solubilizados no sistema microemulsionado (SME) contendo o tensoativo óleo de coco saponificado (SME-OCS e SME-OCS-1) em solução salina (NaCl 3,5 %), que também foi utilizada como eletrólito. Estes sistemas microemulsionados foram caracterizados por métodos que avaliam a tensão superficial e viscosidade, tendo sido evidenciado que se comportam como fluidos Newtonianos. As medidas de eficiência de inibição à corrosão foram realizadas através da técnica eletroquímica de resistência à polarização linear (LPR) e perda de massa, na superfície de aço carbono AISI 1020. A corrente aplicada ao eletrodo foi controlada pelo equipamento Potenciostato/Galvanostato possibilitando a medição da diferença de potencial elétrico entre o eletrodo de trabalho e o de referência. Os sistemas SME-OCS e SME-OCS-1 solubilizaram os extratos etanólicos AO e PA, com quantificações realizadas por espectroscopia na região do ultravioleta. As eficiências máximas de inibição à corrosão foram determinadas através da extrapolação das curvas de Tafel, tendo apresentado os seguintes valores: 95,6 % para o sistema SME-OCS-AO, 98,9 % para o sistema SMEOCS- 1-AO e 93,4 % para o sistema SME-OCS-PA
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/12761
Aparece nas coleções:PPGCEM - Mestrado em Ciência e Engenharia de Materiais

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
GineideCA_DISSERT.pdf3,97 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.