Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/12937
Título: Hidrocarbonetos policíclicos aromáticos em sedimentos de fundo do estuário do rio Potengi, região da grande Natal (RN): implicações ambientais
Autor(es): Queiroz, Maria Sara Maia de
Palavras-chave: Hidrocarbonetos policíclicos aromáticos;Sedimentos de fundo;Fontes;Razões diagnósticas;Petrogênico;Pirolítico;Estuário do Rio Potengi;Polycyclic aromatic hydrocarbons;Bottom sediment;Sources;Diagnostic ratios;Petrogenic;Pyrolytic;Potengi River Estuary
Data do documento: 7-Fev-2011
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: QUEIROZ, Maria Sara Maia de. Hidrocarbonetos policíclicos aromáticos em sedimentos de fundo do estuário do rio Potengi, região da grande Natal (RN): implicações ambientais. 2011. 114 f. Dissertação (Mestrado em Pesquisa e Desenvolvimento em Ciência e Engenharia de Petróleo) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011.
Resumo: Estuaries are environments prone to the input of chemical pollutants of various kinds and origins, including polycyclic aromatic hydrocarbons (PAHs). Anthropogenic PAHs may have two possible sources: pyrolytic (with four or more aromatic rings and low degree of alkylation) and petrogenic (with two and three aromatic rings and high degree of alkylation). This study aimed to evaluate the levels, distribution and possible sources of polycyclic aromatic hydrocarbons in the estuary of the Potengi river, Natal, Brazil. Samples of bottom sediments were collected in the final 12 km of the estuary until its mouth to the sea, where the urbanization of the Great Natal is more concentrated. Sampling was performed on 12 cross sections, with three stations each, totaling 36 samples, identified as T1 to T36. The non alkylated and alkylated PAHs were analyzed by gas chromatography coupled to mass spectrometry (GC / MS). PAHs were detected in all 36 stations with total concentration on each varying 174-109407 ng g-1. These values are comparable to those of several estuarine regions worldwide with high anthropogenic influence, suggesting the record of diffuse contamination installed in the estuary. PAHs profiles were similar for most stations. In 32 of the 36 stations, low molecular weight PAHs (with 2 and 3 ring: naphthalene, phenanthrene and their alkylated homologues) prevailed, which ranged from 54% to 100% of the total PAH, indicating that leaks, spills and combustion fuels are the dominant source of PAH pollution in the estuary. The level of contamination by PAHs in most stations suggests that there is potential risk of occasional adverse biological effects, but in some stations adverse impacts on the biota may occur frequently. The diagnostic ratios could differentiate sources of PAHs in sediments of the estuary, which were divided into three groups: petrogenic, pyrolytic and mixing of sources. The urban concentration of the Great Natal and the various industrial activities associated with it can be blamed as potential sources of PAHs in bottom sediments of the estuary studied. The data presented highlight the need to control the causes of existing pollution in the estuary
metadata.dc.description.resumo: Os estuários são ambientes propícios ao aporte de poluentes químicos de diversas naturezas e origens, incluindo Hidrocarbonetos Policíclicos Aromáticos (HPA). Os HPA antrópicos são de duas fontes possíveis: pirolítica (com quatro ou mais anéis aromáticos e baixo grau de alquilação) e petrogênica (com dois e três anéis aromáticos e alto grau de alquilação). O presente trabalho teve como objetivo avaliar os níveis, distribuição e possíveis fontes de Hidrocarbonetos Policíclicos Aromáticos no estuário do rio Potengi, Natal-RN. Amostras de sedimentos de fundo foram coletadas nos 12 km finais do estuário até a sua foz, onde a urbanização da Grande Natal é mais concentrada. A amostragem foi realizada em 12 seções transversais, com três estações em cada uma, totalizando 36 amostras, identificadas de T1 a T36. Os HPA alquilados e não alquilados foram analisados por cromatografia gasosa acoplada a um detector seletivo de massas (CG/EM). Foram detectados HPA em todas as 36 estações, com concentração total em cada uma variando de 174 a 109407 ng g-1. Esses valores são comparáveis aos de várias regiões estuarinas mundiais com grande influência antrópica, o que sugere o registro de contaminações difusas instaladas no estuário. O perfil de HPA foi similar para a maioria das estações. Em 32 das 36 estações predominaram HPA de baixo peso molecular (com 2 e 3 anéis: naftaleno, fenantreno e seus homólogos alquilados), que variaram de 54% a 100% em relação ao total de HPA, indicando que vazamentos, derramamentos e queima de combustíveis são a fonte dominante de poluição por HPA no estuário. O nível de contaminação por HPA na maioria das estações sugere que há risco potencial de ocasionais efeitos biológicos adversos serem observados, porém em algumas estações se confirmam que impactos adversos sobre a biota ocorrem com freqüência. As razões diagnósticas permitiram diferenciar as fontes de HPA nos sedimentos do estuário, que foram divididos em três grupos: sedimentos com padrões de introdução de hidrocarbonetos petrogênicos, pirolíticos e de mistura de fontes. A concentração urbana da Grande Natal e as atividades industriais diversas a ela associadas podem ser responsabilizadas como fontes potenciais dos HPA nos sedimentos de fundo do estuário estudado. Os dados apresentados evidenciam a necessidade de se controlar as causas da poluição existente no estuário
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/12937
Aparece nas coleções:PPGCEP - Mestrado em Ciência e Engenharia do Petróleo

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
MariaSMQ_DISSERT.pdf16,22 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.