Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/13349
Título: Análise in vitro da atividade antifúngica e de toxicidade da anfotericina B pré-aquecida
Autor(es): Silva Filho, Miguel Adelino da
Palavras-chave: Anfotericina B;Farmacotoxicidade;In vitro;Micelas;Superagregados;Tecnologia farmacêutica;Micelles;Nanotechnology;Pre-heated amphotericin B;Superaggregates
Data do documento: 11-Jul-2011
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: SILVA FILHO, Miguel Adelino da. Análise in vitro da atividade antifúngica e de toxicidade da anfotericina B pré-aquecida. 2011. 62 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011.
Resumo: The aim of this work was to evaluate how an aqueous micellar system containing Amphotericin B (AmB) and sodium deoxycholate (DOC) can be rebuilt after heating treatment. Also a review of the literature about the new physicochemical and biological properties of this new system was carried out. Afterwards, heated (AmB-DOC-H) and unheated (AmB-DOC) micelles were subsequently diluted at four different concentrations (50mg.L-1, 5mg.L-1, 0.5mg.L-1 and 0.05mg.L-1) to perform the physicochemical study and, then, the pharmacotoxicity assay, in which two cell models were used for the in vitro experiments, Red Blood Cells (RBC) from human donors and Candida parapisilosis (Cp). While potassium (K+) and hemoglobin leakage from RBC were the used parameters to evaluate the acute and chronic toxicity, respectively, the efficacy of AmB-DOC and AmB-DOC-H were assessed by K+ leakage and cell survival rate from Cp. The spectral study revealed a slight change on the aggregate peak from 327nm to 323nm for AmB-DOC-H compared to AmB-DOC. Concerning the toxicity, although AmB-DOC and AmB-DOC-H presented different behavior for hemoglobin leakage, AmB-DOC produced higher leakage than AmB-DOC-H at high concentrations (from 5mg.L-1) with values tending to zero. However, concerning K+ leakage, both AmB-DOC and AmB-DOC-H, showed similar profile for both cell models, RBC and Cp (p<0,05). AmB-DOC-H and AmB-DOC also revealed similar profile of activity against Cp with equivalent survival rate. In short, the AmB-DOC-H showed much less toxicity than AmB-DOC, but remained as active as the late one against fungal cell. Therefore, the results highlight the importance of this new procedure as a simple, inexpensive and safe alternative to produce a new kind of micelle system for treatment of systemic fungal infections
metadata.dc.description.resumo: A anfotericina B micelar (AmB) é um importante agente antimicrobiano utilizado contra infecções fúngicas sistêmicas. No entanto, seu uso é limitado devido a sua alta toxicidade. Formulações de anfotericina B em estruturas lipídicas são menos tóxicas, porém apresentam elevado custo. A AmB em solução aquosa possui formas monoméricas e agregadas, estes últimos são os responsáveis pelas reações adversas. Este trabalho avaliou a AmB desoxicolato de sódio (AmB-DOC) e AmB aquecida (AmBDOC- H) em relação a sua toxicidade e atividade, bem como perfil de seu espectro em quatro concentrações diferentes (50mg.L-1, 5mg.L-1, 0,5mg.L-1 e 0.05mg.L-1). O aquecimento controlado das soluções AmB levou a alterações no espectro de 327nm AmB (agregados) para 323nm (superagregados). Além disso, quando as amostras foram submetidas ao processo de diluição, apresentam o mesmo comportamento espectrofotométrico: ambas as amostras diminuem o pico das formas auto-associadas até apresentarem apenas monômeros com pico em 409nm, o que sugere um processo de liberação de monômeros por concentração-dependente. No que diz respeito à toxicidade, AmB-DOC e AmB-DOC-H apresentaram comportamentos distintos: a taxa de liberação de hemoglobina de hemácias para AmB-DOC, em altas concentrações, foi muito superior a AmB-DOC-H, cujos valores tendem a zero (p <0,05). Já em relação à liberação de K+ ambas as amostras apresentaram perfil semelhante. Sobre a atividade, AmB-H mantém o mesmo perfil da AmB-DOC. Em suma, a AmB-DOC-H é muito menos tóxica do que AmB-DOC e mantendo a atividade. Sendo este procedimento uma alternativa simples, de baixo custo e segura para, em um o futuro próximo, ser utilizada no tratamento de infecções fúngicas sistêmicas
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/13349
Aparece nas coleções:PPGCSA - Mestrado em Ciências da Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
MiguelASF_DISSERT.pdf773,62 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.