Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/13406
Título: Limiar e tolerância à dor em mulheres com fibromialgia: correlação com a capacidade funcional, qualidade do sono e força muscular
Autor(es): Carvalho, Ranulfo Fiel Pereira Pessoa de
Palavras-chave: Fibromialgia. Limiar de dor. Tolerância à dor. Força de preensão manual
Data do documento: 16-Abr-2013
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: CARVALHO, Ranulfo Fiel Pereira Pessoa de. Limiar e tolerância à dor em mulheres com fibromialgia: correlação com a capacidade funcional, qualidade do sono e força muscular. 2013. 48 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.
metadata.dc.description.resumo: O estudo tem como objetivo principal comparar o limiar e a tolerância à dor em mulheres com fibromialgia e mulheres sem sintomas de dor, correlacionando com capacidade funcional, qualidade do sono e força de preensão manual. Trata-se de um estudo descritivo de corte transversal realizado na Universidade Potiguar e na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, envolvendo uma equipe multidisciplinar com fisioterapeutas, médicos e educadores físicos. Setenta e duas mulheres foram divididas em dois grupos: grupo com fibromialgia (GF, n = 40) e grupo controle (GC, n = 32) sem sintomas de dor, pareadas por idade e índice de massa corporal. Questionários foram usados para medir capacidade funcional (Fibromyalgia Impact Questionnaire FIQ) e qualidade do sono (Pittsburgh Sleep Quality Index - PSQI). Limiar e tolerância à dor foram medidas por um algômetro de pressão e para determinar força foi usado um dinamômetro de preensão manual. Na análise estatística o teste T de Student foi usado para comparar grupos e o coeficiente de correlação de Spearman foi usado no GF para correlacionar limiar e tolerância à dor com as demais medidas. O GF mostrou piores resultados nas medianas comparado ao GC: limiar de dor 2 kg/cm2 versus 5,5 kg/cm2 (p <0,001), tolerância à dor 2,8 kg/cm2 versus 7,2 kg/cm2 (p <0,001) e força de preensão manual 14,5 kgf versus 25,2 kgf (p <0,001). Adicionalmente os dois questionários apresentaram resultados piores também no GF em relação ao GC, respectivamente: FIQ 65 versus 14,3 (p <0,001) e PSQI 13 versus 5 (p <0,001). No GF foi observada correlação negativa tanto entre o limiar de dor quanto a tolerância à dor com os escores do FIQ e do PSQI. No GF foram observadas correlações positivas tanto entre o limiar de dor (p <0,01) quanto a tolerância à dor (p <0,01) com força de preensão manual. É possível concluir que limiar de dor e tolerância à dor estão correlacionados com capacidade funcional, qualidade do sono e força de preensão manual em mulheres com fibromialgia
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/13406
Aparece nas coleções:PPGCSA - Mestrado em Ciências da Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
RanulfoFPPC_DISSERT.pdf793,97 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.