Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/13410
Título: Análise do vetor de impedância bioelétrico na avaliação da suplementação de zinco em crianças prepuberais e sadias
Autor(es): Dantas, Marcia Marilia Gomes
Palavras-chave: Composição corporal. Análise do vetor de impedância bioelétrico (BIVA). Suplementação de zinco. Criança
Data do documento: 11-Out-2013
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: DANTAS, Marcia Marilia Gomes. Análise do vetor de impedância bioelétrico na avaliação da suplementação de zinco em crianças prepuberais e sadias. 2013. 37 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.
metadata.dc.description.resumo: A prevalência de desequilíbrio do estado nutricional tem aumentado em crianças e adolescentes nos países desenvolvidos e em desenvolvimento, abrangendo também deficiências de vitaminas e minerais essenciais. Este fato tem gerado muitos distúrbios nutricionais, comprometendo significativamente o crescimento e desenvolvimento deste grupo. A avaliação nutricional é importante para monitorar a saúde e estado nutricional de crianças saudáveis ou doentes. Existem muitos métodos de avaliação nutricional, porém a maioria possui limitações. A BIVA baseia-se exclusivamente nas propriedades elétricas dos tecidos. A combinação de mudanças tanto na hidratação do tecido quanto na estrutura pode ser monitorizado através da BIVA, pois ambos os componentes do vector de impedância são considerados simultaneamente e a composição corporal pode ser interpretada. Esta pesquisa caracterizou-se como um ensaio randomizado controlado, triplo-cego. O objetivo deste estudo foi utilizar, ineditamente, o vetor de impedância bioelétrico para avaliar o estado nutricional de crianças pré-púberes suplementadas com zinco, a fim de detectar possíveis alterações na composição corporal. As 60 crianças saudáveis e eutróficas, idades entre 8 e 9 anos, foram divididas em grupo controle (sorbitol 10%) e grupo experimental (10 mg Zn/dia) e suplementadas durante 3 meses . A avaliação antropométrica foi realizada em todas as crianças. O zinco sérico foi medido por espectrofotometria de absorção atômica e a composição corporal pela BIVA software 2002 usando os testes T2 de Hotelling. O IMC para a idade aumentou após a suplementação oral de zinco no grupo experimental (p < 0.005). A BIVA detectou aumento da massa magra no grupo experimental (p < 0.001). Além disso, quando comparamos este efeito entre os grupos, a BIVA não mostrou diferença entre os grupos experimental e controle. Em conclusão, após análises das elipses pela BIVA observamos que este método pode detectar melhoria da composição corporal em crianças saudáveis suplementadas com zinco. Estes resultados sugerem que a BIVA é um bom método para estudar uma pequena população sob intervenção do zinco. No entanto, estudos adicionais são necessários envolvendo outras populações, incluindo dose farmacológica de zinco
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/13410
Aparece nas coleções:PPGCSA - Mestrado em Ciências da Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
MarciaMGD_DISSERT.pdf1,4 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.