Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/13540
Título: Ilha dos indivíduos: a construção social da fortaleza moderna
Autor(es): Bittencourt, João Batista de Menezes
Palavras-chave: Segregação;Medo;Estranho;Subjetividade;Segregation;Fear;Stranger;Subjectivity
Data do documento: 15-Fev-2007
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: BITTENCOURT, João Batista de Menezes. Ilha dos indivíduos: a construção social da fortaleza moderna. 2007. 99 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional; Cultura e Representações) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2007.
Resumo: The aim of this work is to analyze the phenomenon of the partner-space segregation in the city of Fortaleza, having as reference the sprouting of recent forms of housing that privilege areas with desert-like aspects, and the removal from the popular accumulations, which is becoming the shelter of the populations economically favored of the capital. Our field study was developed in the land division Alpha Village, a located urban enterprise in the east of the city. Different from the research that deals with the question of segregation as a sui generis product of the partner-economic inequality, we opt to an analysis directed more towards the dimension of the subjectivity, searching the roots of the phenomenon in the proper constitution of the human being. From interviews with the inhabitants of the related land division, we decided to analyze the social imaginary significances (Castoriadis) that composed their speech, and that they defined in this way, its representations concerning themselves, as strangers that cross the streets of the cited space, becoming thus suspected in potential. Inside our perspective, the segregation gains a ambiguous connotation, therefore at the same time that it authorizes the symbolic destruction of the other, it is also a tool that aids to support the "pain of the unreliability"
metadata.dc.description.resumo: O presente trabalho tem como objetivo analisar o fenômeno da segregação sócio-espacial na cidade de Fortaleza, tendo como referência o surgimento de formas recentes de moradia que privilegiam áreas com aspectos desérticos, e o afastamento de aglomerados populares, e que vem se tornando o refúgio das populações economicamente favorecidas da capital. Nosso estudo de campo foi desenvolvido no loteamento Alpha Village, empreendimento urbano localizado no leste da cidade. Diferente das pesquisas que tratam a questão da segregação como um produto sui generis da desigualdade sócio-econômica, optamos por uma análise mais voltada para a dimensão da subjetividade, buscando as raízes do fenômeno na própria constituição do ser humano. A partir de entrevistas com os moradores do referido loteamento, buscamos analisar as significações imaginárias sociais (Castoriadis) que compunham suas falas, e que definiam por sua vez, suas representações acerca de eles próprios, como dos estranhos que cruzam as ruas do referido espaço, tornando-se assim suspeitos em potencial. Dentro de nossa perspectiva, a segregação ganha uma conotação ambígua, pois ao mesmo tempo que autoriza o aniquilamento simbólico do outro, é também uma ferramenta que os ajuda a suportar a dor da insegurança
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/13540
Aparece nas coleções:PPGCS - Mestrado em Ciências Sociais

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
JoaoBMB.pdf647,67 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.