Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/13641
Título: Jovens assentados, jovens estudantes, jovens professores: juventude em assentamentos rurais do RN
Autor(es): Silva, Jeremias Alves de Araujo e
Palavras-chave: Juventude rural;Participação;Educação do campo;Assentamentos rurais;Movimentos sociais;Rural youth;Participation;Education in the country;Rural settlements;Social movements
Data do documento: 2-Set-2011
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: SILVA, Jeremias Alves de Araujo e. Jovens assentados, jovens estudantes, jovens professores: juventude em assentamentos rurais do RN. 2011. 119 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional; Cultura e Representações) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011.
Resumo: This work discusses how schooling processes can contribute to young settlers resignify their relationship with rural settlements where they live. We want to understand youngster s place, his relationship with local community, social movements and their acting, after formation, at their localities. Thereunto, we tracked a group of students of Land Teaching Course, developed through a partnership between UFRN, INCRA and MST in the years 2004 to 2007. We observed their trajectories, the learnings provided by the Course and how Formation Centre experiences contributed to their agent conditions, offering them choice opportunities on different fields. We understand that formation process enabled them to have individual gains, widening their range of choices, while have contributed to development of areas in which they live, from their collective action. Social practices experienced in collective environment, combined with education access, provided a set of knowledge. These learnings have enabled youngsters to assume positions in participation areas which have been opened at school, while teachers, at social movements and at associations that manage the settlements
metadata.dc.description.resumo: Este trabalho discute como os processos de escolarização podem contribuir para que jovens assentados ressignifiquem a sua relação com os assentamentos rurais em que vivem. Procuramos compreender o lugar do jovem, sua relação com a comunidade local, os movimentos sociais e a sua atuação, posterior à formação, nas suas localidades. Para tanto, acompanhamos um grupo de alunos do Curso Magistério da Terra, desenvolvido através de uma parceria entre UFRN, INCRA e o MST, durante os anos de 2004 a 2007. Observamos suas trajetórias, os aprendizados proporcionados pelo Curso e de que forma as vivências no Centro de Formação contribuíram para a sua condição de agentes, oferecendo-lhes oportunidades de escolha em diferentes campos de atuação. Entendemos que o processo de formação pelo qual passaram lhes possibilitou ganhos individuais, no sentido de lhes ampliar o leque de escolhas, ao passo que tem contribuído para o desenvolvimento das áreas em que vivem, a partir da sua atuação coletiva. As práticas sociais vivenciadas no ambiente coletivo, aliadas ao acesso à escolaridade, proporcionaram um conjunto de saberes. Esses aprendizados possibilitaram aos jovens assumirem posições nos espaços de participação que se abriram para eles a partir de então, na escola, enquanto professores, no movimento social e nas associações que gerem os assentamentos
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/13641
Aparece nas coleções:PPGCS - Mestrado em Ciências Sociais

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
JeremiasAAS_DISSERT.pdf635,44 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.