Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/13650
Título: A experiência humana como estratégia : a comunicação como jogo & o jogo como comunicação
A experiência humana como estratégia : a comunicação como jogo & o jogo como comunicação
Autor(es): Gomes, Bruno Sérgio Franklin de Farias
Palavras-chave: Comunicação;Complexidade;Jogo;Experiência;Comunicación;Complejidad;Juego e experiência
Data do documento: 14-Mar-2012
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: GOMES, Bruno Sérgio Franklin de Farias. A experiência humana como estratégia : a comunicação como jogo & o jogo como comunicação. 2012. 111 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional; Cultura e Representações) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.
Resumo: En la interface de las Ciencias Sociales y de la Comunicación, la tesis expone una discusión sobre la Comunicación Social como área de conocimiento y discute las bases fenomenológicas de la producción de significado utilitario sobre el mundo. Para dar cuenta de esa reflexión se tiene como referencia la película Slumdog Millionaire? del director Danny Boyle. La experiencia vivida por el personaje principal llamado Jamal Malik sirve de apoyo a su éxito en un programa de TV cuyos desafíos consigue vencer uno a uno y transformarse en un millonario. El film, y en consecuencia la trayectoria de Jamal, es el operador cognitivo para que se presente la estrategia del personaje que transforma su conocimiento experimental en conocimiento pertinente, objetivo. La investigación sirve de base para ofrecer el argumento central de que solo existe conocimiento por medio de la experiencia vivida. A partir de esa concepción, la comunicación es vista en este ensayo como entrecruzamiento de caminos y nudos que se asemejan a un rizoma donde cada construcción de sentido, cada palabra que gana significación representa diversos enlaces de esos nudos sistémicos. Aseguramos que la comunicación es una condición sine qua non a los humanos y puede ser comprendida por la paradoja natural-artificial. Es de esta paradoja, que presentamos una contribución de la complejidad de la comunicación creyendo de forma dialógica que sí, hay una condición innata de la comunicación (y así mismo post humana) concomitantemente con la hipótesis de la artificialidad comunicacional. Corroboramos así, la idea de que el conocimiento fenomenológico de la comunicación es un juego de la construcción científica y, por lo tanto, un juego de la humanidad. En este mismo juego podemos comprender la comunicación por intermedio de algunos macro conceptos de la compleja actividad de comunicar (retroalimentación, recursividad y holograma) constelando así una estrategia de ligazón/estímulo/respuesta que nos permite conocer bien y saber organizar mejor el conocimiento adquirido en la práctica. La tesis tiene como interlocutores principales Claude Lévi-Strauss, Edgar Morin, Jean-Marie Pelt, Norval Baitello Junior y Vilém Flusser, entre otros
metadata.dc.description.resumo: Na interface Ciências Sociais e Comunicação a dissertação expõe uma discussão sobre a Comunicação Social como área de conhecimento e discute as bases fenomenológicas da produção de significado utilitário sobre o mundo. Para dar conta dessa reflexão tem-se como referência o filme Slumdog Millionaire? (Quem quer ser um milionário?) do diretor Danny Boyle. A experiência vivida pelo personagem principal do longo Jamal Malik serve de apoio para seu sucesso num programa televisivo cujos desafios consegue vencer um a um e tornar-se um milionário. O filme, e por consequência a trajetória de Jamal, é o operador cognitivo para apresentar a estratégia do personagem em transformar seu conhecimento experimental em conhecimento pertinente, objetivo. A pesquisa serve de base para oferecer o argumento central de que só existe conhecimento por meio da experiência vivida. A partir dessa concepção, a comunicação é vista neste ensaio por intercruzamentos de caminhos e nós que se assemelham a um rizoma onde cada construção de sentido, cada palavra que ganha significação representa diversas ligações a um desses nós sistêmicos. Asseguramos que a comunicação é uma condição sine qua non aos humanos e pode ser compreendida pelo paradoxo natural-artifical. É deste paradoxo que apresentamos uma contribuição da complexidade da comunicação acreditando de forma dialógica que existe sim uma condição inata da comunicação (e mesmo pós-humana) concomitantemente com a hipótese da artificialidade comunicacional. Corroboramos com a ideia de que o conhecimento fenomenológico da comunicação é um jogo da construção científica. E, portanto, um jogo da humanidade. Neste mesmo jogo podemos compreender a comunicação por intermédio de alguns macro-conceitos da complexa atividade de comunicar (retroalimentação, recursividade e holograma) constelando assim uma estratégia de ligação/estímulo/resposta que nos permite conhecer bem e saber organizar melhor o conhecimento adquirido na prática. A dissertação tem como interlocutores principais Claude Lévi-Strauss, Edgar Morin, Jean-Marie Pelt, Norval Baitello Junior e Vilém Flusser entre outros
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/13650
Aparece nas coleções:PPGCS - Mestrado em Ciências Sociais

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
BrunoSFFG_DISSERT.pdf3,98 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.