Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/14471
Título: Um estudante cego no curso de licenciatura em musica da ufrn: questões de acessibilidade curricular e física
Autor(es): Melo, Isaac Samir Cortez de
Palavras-chave: Inclusão escolar;Educação musical;Ensino superior;School inclusion;Music education;Higher education
Data do documento: 1-Nov-2011
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: MELO, Isaac Samir Cortez de. Um estudante cego no curso de licenciatura em musica da ufrn: questões de acessibilidade curricular e física. 2011. 148 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011.
Resumo: This work aims to discuss and analyze the process of school inclusion of a blind person in the Bachelor's Degree in Music, at the School of Music at the Federal University of Rio Grande do Norte, as well as reflect on the importance of establishing systems of support and to ensure university inclusive process of people with visual impairments. In pursuit to achieve these objectives, this research chose a qualitative methodological approach, the case study, using as procedures for data construction an interview, observation, analysis of documents and photographs. Joined the group of participants in this study, a blind student in the class of 2009.1of the EMUFRN Bachelor's Degree in Music, teachers from two disciplines complied by the student, two classmates, a monitor support in music theory, the course coordinator and school principal, and two other individuals who contributed to the inclusion process in actions not formalized institutionally. The results indicate UFRN proposed initiatives that contribute to inclusion of students with disabilities in this institution, the main one is the creation of the Standing Committee of Support for Students with Special Educational Needs (CAENE), a group that guides administrative sectors, teachers, principals, coordinators and students on the measures needed to enter and remain in quality education for all. Physical accessibility is still under construction at UFRN, and many access and sectors see it being adapted for students with physical or visual disabilities, and those with mobility impairments, have access to various parts of the university, however, as shown in this study, some points need to be reconsidered, as there are several places where the installation of tactile floor does not fully follow the guidelines proposed in the legislation. The proposals for access to the curriculum, mediated by EMUFRN, are actions that propose the inclusion of the blind student, as the existence of an educational monitor to help in the study of music theory, however, we need to rethink these proposals to not became actions of reactive intervention. Assuming a more proactive posture, the EMUFRN will be prepared to receive the diversity of students that expects. The study also points out that the blind student is part of a group of students that are practical musicians, who must work in events and evening shows, and who have little knowledge in music theory, leading, respectively, in low frequency classes and learning difficulties in certain curricular components, which may cause the closing of such components. In this case, the challenge of EMUFRN, considering the inclusive perspective, it is not specifically fit for the academic host a blind student, but to develop an accessibility project curriculum to consider effectively the diversity of all its students, taking into account mainly the economic and cultural conditions. This implies a process of resizing academic practices that be guided for collaborative and coordinated actions involving the various educational actors at EMUFRN and UFRN
metadata.dc.description.resumo: O presente trabalho tem como objetivos discutir e analisar o processo de inclusão escolar de uma pessoa cega no curso de Licenciatura em Música, na Escola de Música na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, bem como, refletir sobre a importância da constituição de sistemas de apoio para assegurar o processo inclusivo universitário de pessoas com deficiência visual. Na busca de atingir tais objetivos, essa investigação opta por uma abordagem metodológica qualitativa, do tipo estudo de caso, utilizando como procedimentos de construção dados a entrevista, a observação, a análise de documentos e os registros fotográficos. Integraram o grupo de participantes desse estudo, um aluno cego da turma 2009.1 do curso de Licenciatura em Música da EMUFRN, professores de duas disciplinas cumpridas por esse aluno, dois colegas de turma, um monitor de apoio em teoria musical, o coordenador do curso e o diretor da escola, além de outros dois sujeitos que contribuíram com o processo de inclusão em ações não formalizadas institucionalmente. Os resultados encontrados indicam iniciativas propostas pela UFRN que contribuem com inclusão de alunos com deficiência na instituição, a principal delas é a criação da Comissão Permanente de Apoio a Estudantes com Necessidades Educacionais Especiais (CAENE), grupo que orienta setores administrativos, professores, diretores, coordenadores e alunos quanto às medidas necessárias para o acesso e a permanência com qualidade para todos. A acessibilidade física ainda está em processo de construção na UFRN, vários acessos e setores vêem sendo adaptados para que os alunos com deficiência física ou visual, além daqueles com dificuldades de mobilidade, possam ter acesso aos diversos pontos da universidade, entretanto, conforme apresentado nesse estudo, alguns pontos precisam ser reconsiderados, já que existem diversos locais onde a instalação do piso tátil não segue totalmente as orientações propostas na legislação. Quanto às propostas de acesso ao currículo, mediadas pela EMUFRN, tratam-se de ações que propõem a inclusão do aluno cego, como a existência de um monitor pedagógico para auxiliar no estudo da teoria musical, contudo, é necessário repensar essas propostas para que não se resumam em ações de intervenção reativas. Assumindo uma postura mais pró-ativa a EMUFRN estará preparada a receber a diversidade de alunos que espera. O estudo aponta, ainda, que o aluno cego faz parte de um grupo de estudantes que são músicos práticos, os quais precisam trabalhar em eventos e shows à noite, e que apresentam pouco conhecimento em teoria musical, acarretando, respectivamente, baixa frequência nas aulas e dificuldades de aprendizagem em determinados componentes curriculares, podendo ocasionar o trancamento de tais componentes. Nesse caso, o desafio da EMUFRN, considerando a perspectiva inclusiva, não é, especificamente, adequar-se para o acolhimento acadêmico de um aluno cego, mas desenvolver um projeto de acessibilidade curricular que considere, efetivamente, a diversidade da totalidade dos seus alunos, levando em conta, principalmente, as condições econômicas e culturais. Isso implica em um processo de redimensionamento das práticas acadêmicas que se orientem por ações articuladas e colaborativas que envolvam os diversos agentes educacionais da EMUFRN e da UFRN
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/14471
Aparece nas coleções:PPGED - Mestrado em Educação

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
IsaacSCM_DISSERT.pdf1,01 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.