Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/15987
Título: Proposta de zoneamento ambiental visando a proteção dos recursos hídricos de uma bacia hidrográfica
Autor(es): Domingos, Leandro Gomes
Palavras-chave: proteção dos recursos hídricos;mapas de vulnerabilidade;proposta de zoneamento;water resources protection;vulnerability maps;proposed zoning
Data do documento: 2-Dez-2011
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: DOMINGOS, Leandro Gomes. Proposta de zoneamento ambiental visando a proteção dos recursos hídricos de uma bacia hidrográfica. 2011. 270 f. Dissertação (Mestrado em Saneamento Ambiental; Meio Ambiente; Recursos Hídricos e Hidráulica) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011.
Resumo: One of the most important natural resources for sustaining human life, water, has been losing the basic requirements of quality and quantity sufficient enough to attend the population due to water contamination'problems, often caused by human beings themselves. Because of this, the sources of this resource are often located in remote places of the natural environment to ensure the quality of the water. However, when urban expansion began to occupy these areas, which were once regarded as distant, environmental pollution problems began to occur due to occupation of the land without planning. Based on this occurrence, this study aims to propose environmental zoning for the Maxaranguape river watershed in order to protect its water resources. This is important because this river can serve as a source of supply for the metropolitan area of Natal, the capital of Rio Grande do Norte. In accordance to this proposition, the model of natural soil loss vulnerability (CREPANI et al., 2001), the model of aquifer pollution vulnerability (FOSTER et al., 2006), and the legal incompatibility map (CREPANI et al., 2001) were used to delimit the zones. All this was done with Geographic Information System (GIS) and also created a geographic database update of the basin. The results of the first model mentioned indicated that 63.67% of the basin was classified as moderately stable / vulnerable, 35.66% as moderately vulnerable, and 0.67% as vulnerable. The areas with high vulnerability degree correspond with sand dunes and river channels areas. The second model indicated that 2.84% of the basin has low vulnerability, 70.27%) has median vulnerability, and 26.76% and 0.13% has high vulnerability and extreme vulnerability, respectively. The areas with the highest vulnerability values also refer to part of the sand dunes and river channels besides other areas such as Pureza urban area. The legal incompatibility map indicated that the basin has 85.02 km2 of Permanent Protection Area (PPA) and 14.62% of this area has some incongruity of use. Based on these results it was possible to draw three main zones: Protection and Sustainable Use Zone (PSUZ), Protection and Environmental Restoration Zone (PERZ) and Environmental Control Zone, which are divided into A, B and C. The PSUZ refer to the coastal areas of the basin, where the sand dunes are located. These sites should be areas of environmental protection and of sustainable urban expansion. The ZPRA refer to river channels, which are in high need of rehabilitation. The third zone corresponds to the rest of the basin which should have, in general, the mapping of possible sources of contamination for further control on the use and occupation of the river
metadata.dc.description.resumo: Um dos recursos naturais mais importantes para a sustentação da vida humana, a água vem perdendo os requisitos básicos de qualidade e quantidade suficientes para atender a população devido aos problemas de contaminação hídrica causados, muitas vezes, pelos próprios seres humanos. Todavia, as fontes desses recursos hídricos geralmente estão localizadas em lugares distantes, onde as condições naturais do meio ambiente ainda asseguram a qualidade dos recursos. Porém, quando a expansão urbana começa a atingir essas áreas, antigamente tidas como distantes, problemas de poluição ambiental são gerados devido à ocupação do solo feita de forma não planejada. Com base nisso, este estudo objetiva propor um zoneamento ambiental da bacia hidrográfica do rio Maxaranguape, visando a proteção de seus recursos hídricos, uma vez que eles poderão servir como fonte de abastecimento à região metropolitana de Natal, capital do Estado do Rio Grande do Norte. Dessa forma, utilizaram-se os resultados obtidos nos modelos de vulnerabilidade à perda natural do solo (CREPANI et al., 2001) e de vulnerabilidade do aquífero à contaminação (FOSTER et al., 2006), juntos com a carta de incompatibilidade legal (CREPANI et al., 2001) para realização do zoneamento ambiental. Tudo isso foi feito em Sistema de Informação Geográfica (SIG) e ainda foi criado um banco de dados geográficos atualizados da bacia. Os resultados do primeiro modelo citado indicaram que 63,67% da bacia foram classificados como medianamente estáveis/vulneráveis, 35,66% como moderadamente vulneráveis e 0,67% como vulnerável. As áreas pertencentes às classes mais vulneráveis correspondem principalmente às áreas de dunas e dos canais fluviais. O segundo modelo indicou que 2,84% da bacia possuem vulnerabilidade baixa, 70,27% vulnerabilidade média, 26,76% vulnerabilidade alta e 0,13% vulnerabilidade extrema. As áreas com os mais altos valores de vulnerabilidade correspondem também à parte de dunas e dos canais fluviais, além de outras áreas como a zona urbana da cidade de Pureza. A carta de incompatibilidade legal indicou que a bacia possui 85,02 km2 de Área de Preservação Permanente (APP), sendo que 14,62% dessa área possuem alguma incongruência de uso. Com base nesses resultados, foi possível traçar três zonas principais: Zona de Proteção e Uso Sustentável (ZPUS), Zona de Proteção e Recuperação Ambiental (ZPRA) e Zona de Controle Ambiental, que foi dividida em A, B e C (ZCAA, ZCAB, ZCAC). A ZPUS refere-se às áreas mais próximas do litoral da bacia, onde também ficam as dunas, e aconselhou-se que sejam criados locais de proteção ambiental e de expansão urbana sustentável. A ZPRA corresponde aos canais fluviais e foi recomendada a recuperação dessas áreas. A terceira zona corresponde ao restante da bacia e recomendou-se, no geral, o mapeamento detalhado das possíveis fontes de contaminação para posterior controle no uso e na ocupação do solo
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/15987
Aparece nas coleções:PPGES - Mestrado em Engenharia Sanitária

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
LeandroGD_DISSERT.pdf17,24 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.