Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/16361
Título: Permanência de Walflan de Queiroz: uma leitura da obra O Testamento de Jó
Autor(es): Bezerra Neto, João Antônio
Palavras-chave: Walflan de Queiroz;Jó;Poesia mística;Literatura comparada;Testamento;Solidão;Amor;Walflan de Queiroz;Jo;Poesia mística;Literatura comparada;Testamento;Soledad;Amor
Data do documento: 31-Ago-2007
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: BEZERRA NETO, João Antônio. Permanência de Walflan de Queiroz: uma leitura da obra O Testamento de Jó. 2007. 145 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada; Literatura Comparada) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2007.
Resumo: Este trabajo tiene como objeto de investigación literaria la obra: O testamento de Jo , lanzada en 1965, por Walflan de Queiroz. El poeta norte-río-grandense ilustra a través de un conjunto de poemas su experiencia religiosa y metafísica a partir de la desgracia sufrida por el personaje bíblico Jo, desarrollando una estética de la soledad, de la pobreza y de la marginalidad. Según Alter y Kermode (1997), la poesía de Jo es asombrosa en su fuerza e inventiva. Se pretende demostrar que las poesías de Walflan de Queiroz poseen dos corrientes definidas: si, por un parte, se vinculan al tema de Jo, mon doux Job , como él escribió en un poema; por otra, diseminan una postura amorosa. Con el objetivo de situar al autor y a su obra, se discuten el contexto histórico y la agitación cultural en Río Grande do Norte en la década de 1960. La lectura de O testamento de Jo nos llevó a realizar inicialmente una comparación de la poética walflaniana con textos bíblicos para la construcción de una atmósfera mística en el libro. Enseguida, el abordaje de los poemas amorosos que retratan la imagen femenina presente de forma platónica o bajo el velo de la mitología, de los mitos de Orfeu y Eurídice, retomados por el poeta. En Walflan de Queiroz, el amor no se concretiza. Y el bardo escribe como los románticos y los simbolistas
metadata.dc.description.resumo: Este trabalho tem por objeto de investigação literária a obra O testamento de Jó, lançada em 1965, por Walflan de Queiroz. O poeta norte-rio-grandense ilustra através de um conjunto de poemas a sua experiência religiosa e metafísica a partir da desgraça sofrida pelo personagem bíblico Jó, desenvolvendo uma estética da solidão, da pobreza e da marginalidade. Segundo Alter e Kermode (1997), a poesia de Jó é assombrosa em sua força e inventividade. Pretende-se demonstrar, com este trabalho, que as poesias de Walflan de Queiroz possuem duas correntes definidas: se, por um lado, vinculam-se ao tema de Jó, mon doux Job , como ele escreveu num poema; por outro, disseminam uma postura amorosa. Com o objetivo de situar o autor e a sua obra, discutem-se o contexto histórico e a agitação cultural no Rio Grande do Norte na década de 1960. A leitura de O testamento de Jó levou-nos a realizar inicialmente uma comparação da poética walflaniana com textos bíblicos para a construção de uma atmosfera mística no livro. Em seguida, a abordagem dos poemas amorosos que retratam a imagem feminina presente de forma platônica ou sob o véu da mitologia, dos mitos de Orfeu e Eurídice, retomados pelo poeta. Em Walflan de Queiroz, o amor não se concretiza. E o bardo escreve à maneira dos românticos e dos simbolistas
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/16361
Aparece nas coleções:PPGEL - Mestrado em Estudos da Linguagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
JoaoABN_DISSERT.PDF2,7 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.