Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/17227
Title: Ritmo circadiano de atividade motora e distribuição diária dos comportamentos afiliativos ao longo da fase juvenil em saguis (callithrix jacchus)
Authors: Melo, Paula Rocha de
Keywords: Ritmo circadiano. Sagui. Puberdade. Callithrix jacchus
Issue Date: 27-Sep-2012
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: MELO, Paula Rocha de. Ritmo circadiano de atividade motora e distribuição diária dos comportamentos afiliativos ao longo da fase juvenil em saguis (callithrix jacchus). 2012. 161 f. Tese (Doutorado em Estudos de Comportamento; Psicologia Fisiológica) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.
Abstract: The temporal allocation of the active phase in relation to light and dark cycle (LD) changes during puberty in humans, degus, rats and rhesus. In marmosets, the animal model used in several biomedical researches, there is evidence of a delay at the beginning of the active phase and an increase in total daily activity after onset of puberty. However, as this aspect was evaluated in animals maintained in natural environmental conditions, it was not possible to distinguish between the effects of puberty and of seasonality. Furthermore, as motor activity is the result of different behaviors in this species, it is also important to characterize the diurnal distribution of other behaviors in juvenile stage. With the aim of characterizing the circadian rhythm of motor activity and the diurnal profile of affiliative behavior in marmosets, the motor activity of 5 dyads juveniles between 4 and 12 months of age and their parents was recorded continuously for actímetro. The families were maintained under artificial LD 12:12 h, constant temperature and humidity. The duration of grooming behavior, proximity and social play among juveniles was recorded 2 times a week in sessions of 15 minutes each hour of the active phase. Afetr onset of puberty in juvenile, it was observed that there was no change in the parameters of circadian motor activity rhythm which were common to most animals. Despite the absence of pubertal modulation, it was observed that the circadian activity profiles have stronger synchrony between individuals of the same family than that of different families, which may indicate that the circadian activity rhythm was modulated by the dynamics of social interactions. In relation to age, the total daily activity and the ratio between evening and morning activity (EA/MA) were higher in juveniles than in adults, which may be associated with differences in the circadian timing system between age groups. Furthermore, the onset of the 10 consecutive hours of higher activity (M10) occurred earlier in adult males than in other members of the group, probably as a way to avoid competition for resources in one of the first activities of the day that is foraging. During the juvenile stage, there was an increase in total daily activity that may be associated with increased motor ability of juveniles. In addition to the circadian activity rhythm, the daytime profile of proximity and social play behaviors was similar between the 5th and 12th month of life of juveniles, in which the interval between 7- 10 h in the morning showed the highest values of proximity and lower values of play social. Moreover, the duration of the grooming showed a similar distribution to adults from the 8th month, wherein the higher values occurring at the interval between 11 14 h of day. Considering the results, the parameters of the circadian activity rhythm had a greater influence of social factors than puberty. In relation to age, there were no changes related to the allocation of the active phase in relation to the LD cycle, but total daily activity, the ratio AV/AM and the start of the M10 is possible to observe differences between juveniles and adults
Portuguese Abstract: A alocação temporal da fase ativa em relação ao ciclo claro e escuro (CE) modifica-se durante a puberdade em humanos, degus, ratos e rhesus. Em sagui, modelo animal utilizado em diversas pesquisas biomédicas, há evidências de um avanço no início da fase ativa e um aumento no total diário da atividade após a entrada na puberdade. Entretanto, como este aspecto foi avaliado em animais mantidos em condições ambientais naturais, não foi possível distinguir entre os efeitos da puberdade e da sazonalidade. Além disso, como a atividade motora é resultado dos diversos comportamentos nessa espécie, torna-se importante também caracterizar a distribuição diurna de outros comportamentos na fase juvenil. Com o objetivo de caracterizar o ritmo circadiano de atividade motora e o perfil circadiano dos comportamentos afiliativos em saguis, a atividade motora de 5 díades de juvenis entre o 4º e 12º meses de vida e seus respectivos pais foi registrada continuamente por actímetro. As famílias estavam vivendo sob ciclo CE artificial 12:12 h e temperatura e umidade constantes. A duração dos comportamentos de catação, proximidade e brincadeira social entre os juvenis foi registrada 2 vezes por semana, em sessões de 15 minutos a cada hora da fase ativa. Após a entrada na puberdade dos juvenis, observou-se que não houve modificações nos parâmetros do ritmo circadiano da atividade motora que fossem comuns a maioria dos animais. Apesar da ausência de modulação puberal, foi observado que os perfis circadianos da atividade têm sincronia mais forte entre os indivíduos de uma mesma família do que entre famílias diferentes, o que pode indicar que o ritmo circadiano de atividade motora foi modulado pela dinâmica das interações sociais. Em relação às faixas etárias, o total diário da atividade e a razão entre a atividade vespertina e matutina (AV/AM) foram maiores nos juvenis do que nos adultos, o que pode está associado a diferenças no sistema de temporização entre as faixas etárias. Além disso, o início das 10 h consecutivas de maior atividade (M10) ocorreu mais cedo nos machos adultos do que nos demais membros do grupo, provavelmente como forma de evitar a competição por recursos em uma das primeiras atividades do dia que é o forrageio. Ao longo da fase juvenil, houve um aumento no total diário da atividade que pode estar associado ao aumento da habilidade motora nos juvenis. Além do ritmo circadiano de atividade motora, o perfil diurno dos comportamentos de proximidade e brincadeira social foi semelhante entre o 5º e o 12º mês de vida dos juvenis, nos quais o intervalo entre 7-10 h da manhã apresentou os maiores valores da proximidade e os menores valores da brincadeira social. Por outro lado, a duração da catação apresentou uma distribuição semelhante aos adultos a partir do 8º mês, em que os maiores valores ocorreram no intervalo entre 11-14 h. Tendo em vista os resultados, os parâmetros do ritmo circadiano de atividade motora tiveram uma influencia maior dos fatores sociais do que puberais. Em relação à faixa etária, não houve modificações relacionadas à alocação da fase ativa em relação ao ciclo CE, mas no total diário da atividade, na razão AV/AM e no início do M10 é possível observar diferenças entre juvenis e adultos
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/17227
Appears in Collections:PPGPSICO - Doutorado em Psicobiologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PaulaRM_TESE.pdf7,83 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.