Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/17237
Title: Interações físicas e psicossociais em mulheres com fibromialgia
Authors: Freitas, Rodrigo Pegado de Abreu
Keywords: Fibromialgia. Dor. Depressão. Ansiedade. Afeto. Apoio social;Fibromyalgia. Pain. Depression. Anxiety. Affect. Social support
Issue Date: 20-Sep-2013
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: FREITAS, Rodrigo Pegado de Abreu. Interações físicas e psicossociais em mulheres com fibromialgia. 2013. 111 f. Tese (Doutorado em Estudos de Comportamento; Psicologia Fisiológica) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.
Portuguese Abstract: A fibromialgia (FM) é uma síndrome reumática não inflamatória, de etiologia desconhecida, apresentando sintomas de dor musculoesquelética difusa e presença de sítios anatômicos específicos dolorosos à palpação, denominados tender points. Dentre os sintomas frequentemente associados estão a fadiga, distúrbios do sono, rigidez matinal, alterações na percepção da dor, ansiedade e depressão. Existe na FM uma correlação entre os sintomas físicos e comportamentais que influenciam negativamente na qualidade de vida dos pacientes. As habilidades emocionais aparecem como fatores importantes por estarem relacionadas com o mecanismo de bem estar subjetivo pessoal, produtividade, interação social e de relacionamento interpessoal. Objetivou-se descrever as interações físicas e psicossociais em mulheres com FM apresentando possíveis associações entre a percepção de apoio social e afetividade com os sintomas de dor, funcionalidade e estado de humor. Objetivo-se também, descrever um tipo de representação corporal da dor em mulheres com FM. Os dados foram coletados ao longo de 3 anos e o número amostral variou entre os estudos. A partir de um estudo exploratório descritivo transversal, foi composta uma amostra por conveniência de 63 mulheres com FM e 42 mulheres saudáveis como grupo controle (CT), com faixa etária de 20 a 76 anos, recrutadas mediante demanda espontânea no setor de Fisioterapia do Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL) e na Clínica Escola de Fisioterapia da Universidade Potiguar (UNP). Foi aplicado o Questionário de Impacto da Fibromialgia (FIQ), Inventário de Depressão de Beck (IDB), Escala de Apoio Social (MOS), Escala de Ansiedade de Hamilton e Escala de Afeto Positivo e Negativo (PANAS). A seguir foi realizada a avaliação da dor através da algometria de pressão. Para a análise dos dados, foram utilizados testes paramétricos e não paramétricos e de análise de variância. Foi encontrada diferença significativa quanto ao limiar e tolerância à dor, funcionalidade, depressão, ansiedade, apoio social e afetividade positiva e negativa. Os estados afetivos e o apoio social apresentaram associação com ansiedade, depressão e funcionalidade. Foi elaborada uma representação corporal da dor que apresentou maiores incidências em trapézio, supraespinhal e segunda costela. A razão de se estudar a FM integrando os aspectos sensoriais, afetivo-comportamentais e sociais amplia os horizontes para investigação científica e clínica dessa síndrome. Mulheres com FM apresentam estados de humor alterados, menor apoio social e expressão disfunções de afetividade que influenciam os demais sintomas da síndrome
Abstract: Fibromyalgia (FM) is a non-inflammatory rheumatic syndrome of unknown etiology, with symptoms of diffuse musculoskeletal pain and presence of specific anatomic sites called tender points. The symptoms are often associated with fatigue, sleep disturbances, morning stiffness, alterations in pain perception, anxiety and depression. Fibromyalgia exhibits a correlation between physical and behavioral symptoms, which have a negative influence on the quality of life of patients. Emotional skills are important factors since they are related to subjective well-being, personal productivity, social interaction and interpersonal relationships. We aim to describe the physical and psychosocial interactions in women with FM, showing the association between perceived social support and affect with symptoms of pain, functionality and mood. We will also describe a body representation of pain in women with FM. Data were collected over 3 years and the sample size ranged between studies. This is an exploratory cross-sectional study conducted with a convenience sample of 63 women with FM and 42 healthy women as a control group (CT), aged 20-76 years, recruited through spontaneous demand at Onofre Lopes University Hospital (HUOL) and the Clinical School of Physiotherapy of Universidade Potiguar (UNP). The Fibromyalgia Impact Questionnaire (FIQ), Beck Depression Inventory (BDI), Social Support Scale (MOS), Hamilton Anxiety Scale and Scale of Positive and Negative Affect Schedule (PANAS), in addition to pressure algometry were used. For data analysis, we used parametric and non-parametric tests and a general linear model with adjustment variables and analysis of variance. A significant difference was found between pain threshold and tolerance, functionality, depression, anxiety, social support, and positive and negative affect between the groups. Affective states and social support were associated with anxiety, depression and functionality. A body was drawn representing pain with higher incidences in trapeze, supraspinatus and second ribs. The reason for studying sensory aspects, affective behavior and social support in FM patients opens perspectives for scientific and clinical research of this syndrome. Women with chronic pain such as FM appear to have altered mood states, less social support and affective dysfunctions, influencing the other symptoms of the syndrome
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/17237
Appears in Collections:PPGPSICO - Doutorado em Psicobiologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RodrigoPAF_TESE.pdf1,12 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.