Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/18370
Título: Variação espacial e sazonal de elementos maiores e traços no estuários do Rio Curimataú (RN), através de dados geoquímicos e de sensoriamento remoto
Autor(es): Garlipp, Adriana Baggio
Palavras-chave: Estuário;Geoquímica ambiental;Elementos maiores e traços;Sedimentos de fundo;Material particulado em suspensão;Sensoriamento remoto;Estuary;Environmental geochemistry;Heavy metals;Bottom sediment;Suspended particulate matter;Remote sensing
Data do documento: 27-Out-2006
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: GARLIPP, Adriana Baggio. Variação espacial e sazonal de elementos maiores e traços no estuários do Rio Curimataú (RN), através de dados geoquímicos e de sensoriamento remoto. 2006. 205 f. Tese (Doutorado em Geodinâmica; Geofísica) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2006.
Resumo: The Curimataú estuary is located in the oriental coast of Rio Grande do Norte State in Brazil. Its importance resides in the fact that this region possesses one of the last portions of preserved mangrove in the Rio Grande do Norte State. Nevertheless, it has been severely affected by many anthropogenic activities, as sugarcane monoculture and shrimp farming. Former works demonstrated that an accumulation of heavy metals is occurring in oysters in this estuary, and perhaps it could be explained by the input of metals in this ecosystem deriving from the shrimp farming. To better understanding the origin of these metals, bottom sediment samples, cores and suspended particulate matter were collected for a characterization of metal concentrations (Al, Ba, Cd, Cu, Cr, Fe, Mn, Ni, Pb, Zn) and to determine the potentially bioavailable metals. Additionally, the enrichment ratio for each element analyzed was calculated. The mineralogical composition of sediment samples and cores were obtained by X-ray diffraction. Moreover, data of orbital remote sensing were used in order to detect and quantify suspended matter by applying a logarithmic algorithm. Geochemical data of bottom sediments and cores revealed that, excepting Ba and Pb, the elements analyzed presented concentrations characteristic of an unpolluted ecosystem (Al: 0,25 - 8,76 %; Ba: 3,03 - 870 µg.g-1; Cd: < 0,25 µg.g-1; Cr: 1,72 - 82,4 µg.g-1; Cu: 0,12 -25,3 µg.g-1; Pb: 0,38 - 23,7 µg.g-1; Fe: 0,10 - 5,82 %; Mn: 15,1 - 815 µg.g-1; Ni: 0,14 - 36,1 µg.g-1; Zn: 1,37 - 113 µg.g-1). During the dry season a distribution pattern was observed, with higher metal concentrations in the margins, decreasing toward the central portion of the channel. These metal concentrations were well correlated with mineralogical compositions, with clay minerals prevailing at the margins, and quartz and feldspar in the center. However, this pattern was not observed during the wet season, probably because of the high water flux that disturbed bottom sediments. But, as observed for the dry season, a good correlation between metal concentrations and mineralogical composition was also observed for the wet season, with high metal concentrations where there were high quantities of clay minerals. Low enrichment ratios were obtained for the majority of elements analyzed, excepting for Mn, Ba and Pb. Manganese presented the higher ratios downstream for both seasons, and it can be an evidence of anthropogenic impact by shrimp farming. As barium and lead concentrations in sediment samples presented analytical problems during the total sample digestion, one cannot be sure that the ratios obtained correspond to the reality. The highest metal concentrations in particulate matter were obtained in the portion dominated by fluvial transport for all metals analyzed, excepting for copper. Barium and zinc were the only elements that presented elevated concentrations that are not common of unpolluted ecosystems (Ba: 5730 - 8355 µg.g-1; Zn: 3899 - 4348 µg.g-1). However, these high concentrations could not be related to the shrimp farming and waste waters from the town of Canguaretama, once they were obtained from the fluvial particulate matter, that is upstream from the activities above mentioned. The application of the logarithmic algorithm to the processed LANDSAT image was well succeeded, although the acquired image does not correspond exactly to the field campaigns. The IKONOS image provided very detailed views of the suspended sediment concentration at the estuary, as the mixture of distinct water flows at the confluence of Cunhaú and Curimataú rivers, with more turbid waters from Cunhaú river, that is directly affected by effluents from shrimp farming and urban waste waters deriving from the town of Canguaretama
metadata.dc.description.resumo: O estuário do rio Curimataú localiza-se na porção sul do litoral oriental do Estado do Rio Grande do Norte, apresentando uma das últimas porções de manguezais no Estado. Este ecossistema tem sido fortemente afetado por diversas atividades antropogênicas, como o cultivo de cana-de-açúcar, a carcinicultura, além da urbanização. Trabalhos anteriores neste local revelaram que ostras Crassostrea rhizophorae apresentaram concentrações de alguns metais acima dos limites permitidos para consumo, e que talvez a entrada destes metais no estuário estivesse relacionada aos efluentes de carcinicultura. Para uma melhor compreensão da origem destes metais, foram coletadas amostras de sedimento de fundo, testemunhos e material particulado em suspensão para uma caracterização das concentrações de dez elementos maiores e traços (Al, Ba, Cd, Cu, Cr, Fe, Mn, Ni, Pb, Zn), bem como para a determinação dos elementos potencialmente biodisponíveis. Além disso, também foi realizado o cálculo da razão de enriquecimento para cada elemento analisado. A composição mineralógica das amostras de sedimento de fundo e dos testemunhos foi obtida através de difratometria de raios-X. Adicionalmente, dados de sensoriamento remoto orbital foram usados a fim de se detectar e semiquantificar o material particulado em suspensão através da aplicação de um algoritmo logarítmico. As análises geoquímicas das amostras de sedimento de fundo revelaram que os elementos analisados apresentaram concentrações características de um estuário não poluído (Al: 0,25 a 8,76%; Ba: 3,03 a 870 µg.g-1; Cd: < 0,25 µg.g-1; Cr: 1,72 a 82,4 µg.g-1; Cu: 0,12 a 25,3 µg.g-1; Pb: 0,38 a 23,7 µg.g-1; Fe: 0,10 a 5,82 %; Mn: 15,1 a 815 µg.g-1; Ni: 0,14 a 36,1 µg.g-1; Zn: 1,37 a 113 µg.g-1). Um padrão de distribuição dos metais foi observado durante a estação seca, com maiores concentrações nas margens, diminuindo em direção ao centro do canal. A concentração dos metais se mostrou bem correlacionada com as respectivas composições mineralógicas das amostras de sedimento, com minerais de argila predominando nas margens, e quartzo e feldspato mais presentes no centro do canal. Contudo, este padrão não foi observado durante a estação chuvosa, provavelmente devido ao fluxo de água mais intenso que promoveu o distúrbio dos sedimentos de fundo, com remoção da fração fina das margens. Mas, da mesma forma que observado para a estação seca, nas amostras coletadas durante a estação chuvosa também se observou maiores concentrações de metais nas amostras com predomínio de minerais argilosos. Razões de enriquecimento sugestivas de ausência de poluição foram obtidas para a maioria dos elementos analisados, com exceção de Mn. O manganês apresentou as maiores razões à jusante da atividade de carcinicultura, as quais sugerem poluição significativa neste trecho durante ambas as estações seca e chuvosa. Esta pode ser uma evidência do impacto da carcinicultura no estuário, já que a montante desta atividade a razão de enriquecimento foi baixa. No material particulado em suspensão as maiores concentrações de metais foram obtidas na porção dominada pelo transporte fluvial para todos os elementos analisados, com exceção do cobre. Os únicos elementos que apresentaram concentrações elevadas, incomuns para ambientes livres de poluição, foram bário (de 5730 a 8355 µg.g-1) e zinco (de 3899 a 4348 µg.g-1). Contudo, estas concentrações anormais aparentam não estar relacionadas à carcinicultura ou aos efluentes da cidade de Canguaretama, uma vez que foram encontrados à montante destas atividades. A aplicação do algoritmo logarítmico à imagem LANDSAT foi bem sucedida, embora a imagem adquirida não corresponda exatamente às datas de coleta do material em suspensão. A imagem IKONOS forneceu visões muito detalhadas do estuário que permitiram observar a distribuição do material particulado, com a mistura de fluxos de água distintos na confluência dos rios Cunhaú e Curimataú, sendo que o rio Cunhaú apresenta águas mais turvas, e é diretamente afetado pelos efluentes de carcinicultura e dejetos urbanos da cidade de Canguaretama
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/18370
Aparece nas coleções:PPGG - Doutorado em Geodinâmica e Geofísica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
AdrianaBG_TESE.pdf5,22 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.