Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/19409
Título: Nostalgia do espaço e do tempo: uma leitura da obra memorialística de Câmara Cascudo
Autor(es): Silva, Geise Kelly Teixeira da
Palavras-chave: Câmara Cascudo;Memória;Nostalgia;Velhice;Modernidade
Data do documento: 29-Jul-2014
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: SILVA, Geise Kelly Teixeira da. Nostalgia do espaço e do tempo: uma leitura da obra memorialística de Câmara Cascudo. 2014. 103f. Dissertação (Mestrado em Estudos da Linguagem) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.
Resumo: This dissertation addresses the work of the memoirs of the potiguar writer Luís da Câmara Cascudo (1898 - 1986) from an integrated reading of four works that comprise: O Tempo e Eu (1968), Pequeno Manual do Doente Aprendiz (1969), Na Ronda do Tempo (1971) and Ontem (1972). Produced under the contingency of the modern movement and urban reform, memories Cascudo evoke the old landscapes of old, populated by those who belonged to the old romantic and provincial Natal that no longer exists, but which still survives in the idealized memory author and that is (re)constructed by him from a written permeated with touches of imagination and a sense of nostalgia. Seeking to analyze how is the process of building memoirist of Cascudo, as well as reflect on the role that memory plays in the (re)construction of a time and a lost space, we used the studies of Maurice Halbwachs (2006) and Ecléa Bosi (1994). Within this theoretical framework, we seek, above all, to understand not only how the lived experiences of Cascudo will work in this matter of his memory, but also as this will guide a writing that touches on the history and social frameworks of the past
metadata.dc.description.resumo: Esta dissertação aborda a obra memorialística do escritor potiguar Luís da Câmara Cascudo (1898 - 1986) a partir de uma leitura integrada das quatro obras que a compõe: O Tempo e Eu (1968), Pequeno Manual do Doente Aprendiz (1969), Na Ronda do Tempo (1971) e Ontem (1972). Produzidas sob a contingência do moderno, do movimento e da reforma urbana, as memórias de Câmara Cascudo evocam as velhas paisagens de outrora, povoadas por aqueles que pertenceram à velha Natal romântica e provinciana que já não existe, mas que ainda sobrevive idealizada na memória do autor e que é (re)construída por ele a partir de uma escrita permeada de toques de imaginação e por um sentimento de nostalgia. Buscando analisar como se dá o processo de construção memorialista de Cascudo, bem como refletir sobre o papel que a memória exerce na (re)construção de um tempo e de um espaço perdidos, recorremos aos estudos de Maurice Halbwachs (2006) e Ecléa Bosi (1994). Dentro desse quadro teórico, buscamos, sobretudo, compreender não apenas o modo como as experiências vividas por Cascudo no presente irão trabalhar a matéria de sua memória, mas também como esta irá nortear uma escrita que toca na história e nos quadros sociais do passado.
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/19409
Aparece nas coleções:PPGEL - Mestrado em Estudos da Linguagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
GeiseKellyTeixeiraDaSilva_DISSERT.pdf1,54 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.